Capítulo 136: Convite para o Castelo

Capítulo programado, porque pretendo gastar o dia para adiantar trabalhos e tal – Este capítulo foi traduzido da Kiriko(-chan).


Capítulo 136: Convite para o Castelo

Quando Hiiro deixou o quarto, o choque das palavras dele deixou Shinobu Akamori e Shuri Minamoto sem palavras por um tempo. Tudo que elas podiam fazer era continuamente sobrepor seus suspiros continuamente.

Seguindo isso, Shinobu sentou no chão com suas mãos em seus joelhos enquanto murmurava quietamente.

“… só o que nós devemos fazer…?” (Shinobu)

Se aquelas palavras eram atualmente destinadas à alguém, ou se ela simplesmente queria expressar aqueles pensamentos, mesmo ela em si não sabia a razão real pelo qual ela disse aquilo.

Ela queria uma resposta sobre o que ela devia fazer. Ela queria alguém para responder isso. Porque seria mais fácil. Em particular, desde que ela veio para este mundo, ela havia obedecido as ordens de outro e viveu sem ter que buscar nenhuma resposta.

Era possível dizer que o ambiente dela havia sido manipulado. Ainda assim, como Hiiro disse, teria sido possível manter suas próprias opiniões dentro disso e agir enquanto pensava sozinho. Era algo que elas nunca haviam feito.

Era exatamente por isso que ela havia ficado incapaz de refutar o sermão do Hiiro que podia ser pensado como severo demais.

Aqueles sentimentos eram similarmente contidos por Shuri também, que, ao perceber isso depois de ser dita, verdadeiramente se sentiu que ela era bem vergonhosa.

Apesar do que Hiiro ter dito não ter uma base exata, estava correto… sim, era possível julgar isso estando correto.

Por um lado, poderia ser dito que, porque elas eram palavras que ele podia dizer devido quão fortemente ele havia vivido neste mundo, elas tinham poder persuasivo.

E então, ela sentiu que elas não deviam continuar sendo assim. Enquanto as palavras de Hiiro haviam sido implacáveis, ela podia de algum modo que ele havia dito para elas para que elas pudessem abrir seus olhos.

Era exatamente por isso o motivo que ela se sentiu assim, desta vez, elas tinham que pensar cuidadosamente sobre o que elas deviam fazer agora e alcançar uma resposta sozinhas.

“… Shinobu-san.” (Shuri)

“Hm? O que é Shu… ri… cchi?” (Shinobu)

Ao erguer seu rosto para olhar para Shuri, Shinobu ficou involuntariamente sem palavras ao olhar para a expressão séria de Shuri.

“Shinobu-san, eu decidi.” (Shuri)

“… decidiu o que?” (Shinobu)

Ao ouvir a decisão de Shuri, Shinobu enrijeceu com uma expressão surpresa.

Uma pessoa que parecia ser um soldado 『Evila』 aproximou Hiiro e cia. fora do hotel. A razão que ele havia vindo era para estender um convite para ir ao castelo para Hiiro, que havia feito várias grandes conquistas nesta guerra.

Hiiro havia ao menos sido dito pela Maou, Eveam, que assim que a guerra se resolvesse, ela iria enviar alguém para chamar ele. Apesar dela ter dito ‘assim que se resolvesse’, eles haviam apenas conseguido expulsar os beastmen do país até agora. Parecia que os beastmen ainda permaneciam escondidos perto do país, mas, por hora, a ameaça imediata havia sido removida.

Pelo que ele havia ouvido do soldado, atualmente, os olhos dos soldados empregados nos arredores do país estavam brilhando com motivação. Logo, mesmo que algo acontecesse, eles seriam capazes de agir imediatamente. No que a situação havia se acalmado em comparação com mais cedo, Eveam queria convidar Hiiro e cia. para o castelo para que ela pudesse também introduzir eles propriamente para seus subordinados. Logo, ela havia decidido ter Hiiro seguindo o soldado ali.

“Ah, o que vocês vão fazer?” (Hiiro)

Hiiro virou seus olhos em direção Liliyn e cia..

“Umm… eles por acaso seriam seus companheiros?” (Soldado)

Entre eles haviam aqueles que não podiam ser vistos como 『Evila』, então o soldado olhou para eles com olhos duvidosos.

“Por hora, eu suponho.” (Hiiro)

Ao ouvir isso, o soldado deu um olhar pensativo e disse.

“Se este é o caso, então não deve haver nenhum problema. Se eles são companheiros do Hiiro-dono, então eu guiarei eles com todo o meu ser.” (Soldado)

“Entendo. Vocês querem vir?” (Hiiro)

A primeira a morder nessa oferta foi Mikazuki.

“Se você é convi~dado para o castelo, isso significa que haverá uma refeição!?” (Mikazuki)

“Eh, ah, isso… bem, está sendo preparada, mas-” (Soldado)

“Waa~!” (Mikazuki)

Pelas palavras do soldado, os olhos de Mikazuki brilharam radiantemente. Uma quantia vergonhosa de baba também começou a vazar também.

“En-então eu quero ir também! Eu estou com tanta fome!” (Nikki)

Foi Nikki quem pulou no trem.

“Fumu, então o que vocês irão fazer, Aka-Loli?” (Hiiro)

“Hmph, não há chance de eu…” (Liliyn)

“Nofofofofofo! Claro que nós lhe acompanharemos! Por todos os meios, nós iríamos amar nos juntarmos à você indo ali! Nofofofofo!” (Silva)

“Fueeeee! A-alguém como eu pode ir também!? Q-Q-Que gracioso! M-m-m-mas, eu sempre quis ir ao menos uma vez!” (Shamoe)

Como se eles estivessem obstruindo as palavras de Liliyn, os dois atendentes unanimemente dispararam palavras como eles queriam.

“Desista Aka-Loli, eles completamente pretendem ir.” (Hiiro)

“…… haaa, mesmo que eu não queira ir.” (Liliyn)

No que Liliyn coçou sua cabeça, ela demonstrou absolutamente nenhum desejo de ir.

“Você odeia isso tanto assim? Pode haver alguma comida deliciosa sabia?” (Hiiro)

“Hm…… iya, mu… tem um sujeito que eu não quero encontrar no castelo.” (Liliyn)

“Hou.” (Hiiro)

Olhando para ela, certamente parecia que havia alguém que ela não queria encontrar no que ela franziu relutantemente. Para uma existência como ela, que vestia arrogância como roupas, a existência de uma pessoa que ela odiava tanto assim brotou um pouco de interesse em Hiiro. Contudo, coagir ela seria problemático.

“Então você quer ficar aqui sozinha?” (Hiiro)

Depois de ser dita isso por Hiiro e pensando um pouco, Liliyn olhou para quão animados Silva e cia. estavam sendo no que ela soltou um largo suspiro.

“Iya bem, eu suponho que eu apenas tentarei ir por hora. Eu não sei se eu irei realmente acabar encontrando ele no fim das contas.” (Liliyn)

Parecia que tinha acabado com todo mundo aceitando o convite.

“Então devemos ir?” (Hiiro)

Assim que Hiiro disse isso,

“Por favor nos leve também.” (???)

Vendo a pessoa que havia dito isso, até Hiiro estava momentaneamente sem palavras.

A pessoa em questão era Shuri. Atrás dela, Shinobu também podia ser vista. A questão de porque elas decidiram aparecer naquele lugar, naquele momento, emergiu dentro dele.

Na frente deles estava o soldado 『Evila』. Se ele fosse alguém que conhecia os rostos delas, então outro evento problemático poderia ocorrer.

“… elas são suas conhecidas?” (Soldado)

Naturalmente, foi o soldado quem perguntou. Parecia que o soldado não sabia que as duas garotas eram heróis. Mas ele honestamente se preocupou sobre como exatamente ele devia responder. Isto era porque as duas delas tinham a aparência externa de 『Humas』,

Se ele dissesse que elas não eram companheiras, então isso levaria a uma discussão sobre porque exatamente humanos estavam aqui. Por causa da aparência delas, se tornaria óbvio que elas eram humanas que haviam vindo para participar na guerra. Ao julgar isso, as chances de uma batalha resultando eram altas.

Se ele dissesse que elas eram suas companheiras e eles fossem investigar mais tarde, seria revelado que elas eram heróis. Naquele ponto, seria irritante explicar porque ele teve que dizer que elas eram ‘companheiras’.

(Essas pessoas… elas realmente fizeram uma coisa problemática agora.) (Hiiro)

No que ele instintivamente virou um rosto desagradado para as duas garotas, ao ver a expressão de Shuri ele ficou, “Oh?”.

(Ela…) (Hiiro)

Ao ver o rosto de Shinobu, apesar de estar um pouco embaçado, parecia estar colorido com determinação também.

(… entendo. Então elas estão tentando seguir um pouco em frente.) (Hiiro)

Contudo, como o método delas envolviam arrastar ele nisso, Hiiro ficou deprimido. Percebendo os sentimentos de Hiiro, Shuri abaixou sua cabeça.

“Me desculpe Okamura-kun!” (Shuri)

“……” (Hiiro)

“Mas neste momento, nós realmente precisamos do poder de Okamura-kun no fim das contas! Por favor nos leve com você!” (Shuri)

Parecia que elas se sentiram mal sobre arrastar ele nisso. Shinobu similarmente abaixou sua cabeça.

Vendo as duas delas abaixando suas cabeças, Hiiro pensou.

(… Eu não tenho nenhuma obrigação em fazer o que elas querem, mas seria irritante ter que pensar numa desculpa. E eu também estou um pouco interessado em que tipo de resposta aquela Maou vai dar…) (Hiiro)

Mais importantemente, ele não queria gastar mais tempo aqui. Ele queria aproveitar a refeição deliciosa o mais cedo possível.

“……… tá. Mas eu não assumirei responsabilidade pelo quer que aconteça no castelo, tudo bem?” (Hiiro)

Como ele disse assim, Shuri, quem estava vigorosamente abaixando sua cabeça, brilhou.

“Muito obrigada! Mesmo!” (Shuri)

No que ela parecia não gostar do sorriso que Shuri mandou para Hiiro, as sobrancelhas de Liliyn tremeram no que ela fez um rosto infeliz.

“Oy! Nós estamos indo para o castelo, certo! Vamos indo logo Hiiro!” (Liliyn)

Liliyn agressivamente segurou a mão de Hiiro e trouxe ele para o soldado, como que arrancando ele longe de Shuri.

“O-oy, me solta! Eu posso andar sozinho!” (Hiiro)

“Aaa~ isso é ligeiro, Liliyn-dono!” (Nikki)

“É, é! Mikazuki devia ser aquela de mãos dadas com mestre!” (Mikazuki)

No que Nikki e Mikazuki disseram isso, elas tentaram pegar a outra mão de Hiiro, mas,

Pokan! Pokan!

As duas coitadas receberam cada um soco na cabeça de Hiiro. E ele balançou fora a mão de Liliyn-

“Eu te falei que eu posso andar sozinho.” (Hiiro)

A boca dele fez uma expressão desagrada e ele seguiu em direção ao soldado.

“Ahh Shishou! Por favor espere!” (Nikki)

“Não me deixe para trás!” (Mikazuki)

Depois de serem atingidas, as duas não queriam deixar o lado de Hiiro. Elas ficaram cada uma de um lado dele e andaram juntas com ele. Vendo isso, até o soldado de algum modo teve um sentimento pacífico.

“Ahaha, então por favor me sigam.” (Soldado)

O soldado guiou eles no que eles andaram para o castelo.

Tendo tido sua mão forçadamente arrancada, Liliyn encarou a mão que ela esteve segurando com um rosto vermelho. Mesmo que ele tinha sido capaz de ler o clima, mas ele ousou ignorar isso, o mordomo então disse-

“Nofofo, Ojou-sama, você gostaria de segurar minha mão? Pode ser minha mão direita ou esquerda, ah, ou se você quiser, eu posso até te carregar nas costas e lhe abraçar!” (Silva)

“Porque você só não vai abraçar a parede!” (Liliyn)

Dogasu!

“Ugaahh!?” (Silva)

Silva recebeu um tapa tremendo e foi enviado voando para a parede de um prédio por perto.

“Fueeeeee!? Você está bem, Silva-sama!” (Shamoe)

“Deixe aquele pervertido sozinho, Shamoe! Vamos nos apressar e ir!” (Liliyn)

“E-e-e-e-e-e-entendido!” (Shamoe)

“Oy, vocês duas também, se apressem e venham!” (Liliyn)

No que Liliyn disse isso de maneira desgostosa para Shuri e cia., as duas delas, que estavam olhando para a cena de maneira esbabacada, apressadamente começaram a seguir atrás do grupo.

Anúncios

10 respostas em “Capítulo 136: Convite para o Castelo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s