Capítulo 3 – Verdadeira Amizade

— Eu não sou realmente chegado da palavra ódio.

Eu odeio a chuva…
Ela traz de volta memórias daquele dia.
No dia do funeral do meu pai e da minha mãe, também estava chovendo.

É dito que no Japão, cerca de dez pessoas morrem por dia.
As estatísticas flutuam todo ano, mas cada morte sempre parecia ser próxima de mim.
Um acidente de tráfego.
Aconteceu um pouco depois de eu ter entrado na escola fundamental.
Meus pais se tornaram dois de dez.
Carros são ferramentas convenientes e familiares, mas eles também são o perigo mais próximo.
Isso foi o que eu aprendi quando eu era pequeno.
Eu estava triste. Era doloroso. Era de partir o coração.
Meu peito dói, como se meu coração tivesse sido arrancado dele.
Mesmo quando eu estou aqui, as pessoas que deveriam estar comigo se foram… esse simples fato trouxe lágrimas aos meus olhos.
E no que eu boiei, como se minha alma tivesse sido extraída do meu corpo, o funeral acabou.
As conversas imediatamente viraram para se alguém queria me acolher.
Por essa hora, minhas lágrimas já haviam secado. Com olhos distantes, eu simplesmente olhei para o chão.

“________________”
“________________”

Uma mulher e um homem disseram algo para mim, mas aquelas palavras nunca entraram meus ouvidos.
Mesmo como uma criança, eu podia entender que aquelas palavras passavam extrema gentileza para mim, mas ainda assim, eu só podia dar uma resposta fraca.
E eventualmente, aqueles dois acabaram me acolhendo.
Um primo para meu pai e mãe, e uma amiga da infância deles. Uma mulher de algum modo fria, e um homem gentil.
Eles ambos pensavam bem de mim, e mesmo quando eles deveriam ter que trabalhar, eles esperariam toda manhã para dizer 『Te vejo mais tarde』 quando eu saia para escola, e 『Bem vindo em Casa』 quando eu retornava.
Nos finais de semana e feriados, eles me arrastariam para algum lugar para brincar.

“Eu sou uma professora de flores. Se for sobre flores, eu sou a pessoa com maior conhecimento no mundo.”

Talvez ela tenha notado eu com a base caída o caminho todo quando nós fomos para um parque de diversão na semana passada, mas desta vez, ela me levou para uma montanha com um cenário bacana em outra prefeitura.
Muitos tipos de flores floresciam por toda parte; um lindo campo de flores.
Mas nada disso entrou meus olhos…
Eu não consigo mostrar qualquer reação para a mulher… mesmo quando eu tentei, tudo que saiu foi uma única frase, 『Sinto muito…』, e ainda para alguém assim, ela continuou a falar gentilmente sobre flores.
O homem tentou me animar de um jeito similar, mas eu não podia responder aos esforços dele.
A casa… não era minha casa. Mesmo depois de me mudar para a casa dos dois, isso não mudou.

“Hoje eu cozinharei. Comida é algo que sempre tem um gosto melhor quando é feito por uma mulher.”

O homem sempre cozinharia, mas hoje a mulher tentou sua mão nisso.
Falando diretamente, era terrível.
Sem dizer nada, eu silenciosamente coloquei a comida na minha boca, e assim que a refeição acabou, eu fiquei sentado na minha cadeira encarando a janela.
Claro, não é como se eu realmente pudesse ver algo de lá. Pelo contrário, eu não quero ver nada.
Quando a manhã chegou, os dois me viram partir, e eu fui para a escola.

“Bom dia, Mizuki-kun.”
“…”

O professor gentilmente chamou por mim, mas minha atitude não mudou. Eu me sentei na minha carteira.
Eu não sofria bullying, e as crianças da classe tentavam falar comigo por preocupação numerosas vezes.

“Obrigado… desculpe…”

Eu não podia responder aos meus pares também. Eu só passei o dia inteiro encarando a janela.
Não é como se eu estivesse realmente pensando em qualquer coisa.
Eu não queria pensar.

Eu não queria esquecer minha mãe e meu pai.
Mas pouco a pouco, no que o tempo passava, os rostos do meu pai e minha mãe foram para mais e mais longe… eu estava triste.
Era por isso que eu odiava todo mundo.
Eu detestava eles.
Eu nunca vocalizei isso, mas eu estava apenas enfurecido com tudo ao meu redor.

Não finja ser meu pai. Não tente ser minha mãe.
Não leve minhas coisas preciosas embora.
Para aqueles dois, meu professor, e meus pares, isso era tudo que eu conseguia pensar.

“Mizuki-kun, hoje nós estamos de folga, mas tem algum lugar que você queira ir?”
“Não… nenhum…”
“Então hoje, nós iremos–”

Quando eu quietamente murmurei, a mulher estava prestes a dizer algo, mas o homem parou ela sacudindo sua cabeça.
Os dois tentaram oferecer palavras para me animar múltiplas vezes, mas eventualmente eles deixaram o quarto em que eu estava. Eles começaram a discutir algo.
Mesmo como uma criança, eu estava ciente que eu havia feito algo errado.
Depois disso, a quantidade de tempo que eles discutiriam juntos simplesmente aumentou.
O tempo que eu passei sozinho aumentou com isso, então eu até me senti grato.

Na semana seguinte.
Era sexta, e o dia seguinte era de folga. Naquele dia, eu fiquei sem palavras no momento em que eu pisei na casa.
O prédio inteiro estava preenchido com flores.

“O que está…”

Naquele momento, meu coração foi inundado por flores.
Quero dizer, do jardim até a entrada, os corredores e todos os quartos, muitas flores estavam penduradas. Era apenas tão deslumbrante.

“Que tal isso, Mizuki? Eu te falei que eu era uma super professora de arranjo de flores, não falei?”

No que eu estava tomado pelas flores, a mulher disse isso.
Como se o coração infantil dela tivesse pego fogo, ela sorriu divertidamente, e começou a se gabar.

“Mizuki-kun, eu pensei que seria melhor se você chegasse a conhecer nós dois.”

Com um tom gentil e educado, o homem se endireçou a mim.

“…”
“Tanto eu como este homem só sabemos coisas sobre flores. Nós não sabemos qualquer jeito de vida que não pertença à elas. É vexatório, mas eu não posso fazer nada para lhe animar. Eu não sei como. Então eu decidi lhe ensinar o que me deixa feliz. Você entendeu?”

Eu não sei o significado do que ela estava dizendo.
Tudo estava uma bagunça… mas minha expressão mudou daquela que eu tinha antes, e…

“S-sim…”
“Bom, você acenou pela primeira vez. Ficará incrível daqui para frente!”

De forma fraca, como uma criança sendo ameaçada, eu acenei. E para mim, a mulher direcionou um sorriso claro.

E depois disso, realmente ficou incrível.
Todo dia quando eu chegava em casa, eu encontraria flores aflorando brilhantemente, presas em toda parte como ornamentos para decorar o lugar.
Além do mais, essas flores eram aquelas que o homem havia criado do zero, e a mulher as arranjou, aparentemente.
Eu pensei que isso soava bobo, mas toda vez que eu ficava ainda que um pouquinho suspeito, o homem iria me contar apenas como ele as criou, e a mulher, apenas como ela as arranjou, do começo ao fim.
Os sentimentos deles de apenas quão importantes suas próprias flores eram para eles transbordavam até a conversa ter acabado.
E eu perdi para aqueles sentimentos. Mesmo quando eu não conseguia me fazer ouvir mais nada, por alguma razão, isso apenas foi capaz de entrar em meus ouvidos.

Mesmo quando eu tentei esquecer, eles iriam empilhar mais informação de flores uma após a outra como uma cachoeira inacabável.
Eu não ligo nem um pouco para flores, mas eu era capaz de entender apenas quanto esses dois amavam elas.
Assim como os sentimentos que eles tinham para mim…

Dali em diante, eu tentei não pensar sobre isso. Se eu entendesse, então eu iria começar a entender.
Minha mãe real, e meu pai real.
Então eu resolvi meu coração à resistir o máximo possível.
Eu sabia que eu nunca poderia vencer contra os adultos, mas se fosse apenas meu coração, eu não podia perder.

“Estou indo… brincar.”
“Oh!? Mizuki, você fez um amigo?”
“S-sim.”
“Então vai logo! É natural que crianças estejam brincando com seus amigos.”

Eu contei uma mentira.
Eu estou realmente sempre sozinho na escola, e mesmo se eles falam comigo, eu os rejeito.
Mas ainda assim, os dois tinham pequenas gotas de água nos cantos de seus olhos no que eles alegremente me parabenizaram.
eu me senti culpado.
Eles sempre estão me colocando em primeiro lugar, e eles lidam comigo gentilmente. E ainda, eu contei uma mentira.
Só isso era o suficiente para fazer meu estômago doer, como se agulhas estivessem cutucando seu interior.

Eu sentei no parque, num lugar difícil de se ver, esperando que a noite chegasse.
E esse evento diário se repetiu por semanas. Por meses.
Pela hora em que eu notei, meus pensamentos para os dois estavam lentamente começando a mudar.
Uma mulher que dava uma impressão séria… na realidade, ela é muito gentil, mas uma pessoa esquisita.
Mas eu não quero chamar aqueles dois de minha mãe e meu pai.
Se eu fizesse isso, eu tenho a impressão que tudo mudaria… era uma sensação terrível.
E então, mesmo quando eu havia notado isso, eu tranquei aqueles sentimentos nas profundezas do meu coração.
Pela hora que meio ano havia se passado, meus pares haviam desistido de mim, e formado seus próprios times.
No que eu não fazia nada além de olhar para a janela toda vez que não tivesse uma aula, não tinha o que fazer.
Esses dias continuaram, mesmo quando o ano mudou, e mesmo depois que eu subi de série, eles continuaram iguais.

Abril.
A estação das sakuras florescerem.
Não limitado à sakura, era a estação onde vários tipos de flores formavam brotos.
Era também a estação onde as flores dos dois pela casa davam a maior radiância.
Eu estava numa série maior, e algumas pessoas que eu conhecia, e algumas que eu não conhecia, se tornaram meus colegas de classe.
Meu professor era a mesma pessoa de antes, e pelo que eu ouvi mais tarde, ele mesmo se voluntariou para isso.
Mas eu era igual. Eu tratei meus novos colegas de classe apenas como eu sempre fiz.

“E? Ele não tem pais?”

No que eu me virei, eu vi alguns garotos olhando na minha direção e falando entre si.
Notando eu olhando para eles, as expressões deles se tornaram arrependidas, e eles rapidamente se filtraram no corredor.
Isso acontecia ocasionalmente.
Na maioria dos casos, eles nem tentavam se aproximar de mim.
Em primeiro lugar, meu coração não estava aberto para ninguém, então isso era natural.
Mas aquela criança era diferente.

“Hey, que tipo de sensação é de não ter pais?”

Ele era uma criança realmente detestável.
Para ser capaz de perguntar algo assim sem pensar sobre os sentimentos da outra pessoa, eu questionei a alma dele.

“…”

Naturalmente, eu fingi ignorar ele, e olhei pela janela.

“Oy, não vá me ignorando.”

Ele disse algo assim, mas isso não entrou nos meus ouvidos.
Não… eu nem queria tentar ouvir as palavras dele.
Elas deixam meu peito mais vazio. Não tinha uma única coisa boa nelas.

“Quer ir para casa junto?”
“Apenas vá com seu grupo…”
“Hey, minha casa é perto da sua, então você é meu grupo. E espera, ontem, e o dia anterior, nós fomos juntos, certo?”
“Entendo…”

Parece que a casa desta criança é na mesma direção da minha, e ele me cumprimenta todo dia.

“Veja só, minha mãe grita comigo por colocar melaço e mel no meu hotcake tudo de uma vez, sabia? Então desta vez eu vou colocar chocolate, melaço e mel, então eu devo ficar bem, certo?” (NT: Hotcake é uma panqueca japonesa, mas aquelas que você vê em filmes americanos, não a nossa com carne moída)
“…”

O garoto continuou falando comigo todo dia sem se cansar disso.
Eu não tenho certeza qual é o problema dele, mas ele continuava falando sobre várias coisas.
Pelo que eu ouvi, este garoto é uma formiga extrema. Toda vez que ele abre sua boca, ele fala sobre doces, e ele sempre compete na fila do almoço toda vez que algo doce está sendo servido.
Eu… não realmente ligo se a comida é boa ou ruim, então…

“Hey, Mizuki, do que você gosta?”
“…”
“Você tem que ter ao menos uma coisa, certo? Hey? Você sempre é assim, parece entediante.”
“…, …da…”

Na mosca… eu imagino se é o que era.
Desde que meu pai e minha mãe morreram, todo dia tem sido duro, dolorido e triste.
Mas mais do que todo o resto, tudo parecia ser tão entediante para caramba.
Aquelas palavras, vindo do garoto que eu odiava, me deixaram bravo pela priemira vez desde que meus pais morreram.

“Eu odeio isso! Eu odeio todo mundo!”

O garoto estava chocado, e eu corri para sair daquele lugar.
Depois disso, parece que o garoto esteve fazendo uma expressão complicada.
Claro, a quantidade de vezes que ele falava comigo diminuíram, e ele parece estar imerso em pensamento toda vez que ele não está comendo doces.
Está finalmente quieto. É o que eu pensei.

Na manhã seguinte, eu fui atingido com aquela sensação de alívio, eu vi meu ódio chovendo lá fora.
Eu não queria ir para a escola em dias assim, mas eu não sei o que aqueles dois diriam se eu não fosse.
Parece que eles consideraram alternativas, mas eu tenho que andar um longo caminho todo dia.
Naquele dia, o garoto saiu mais cedo, então sua ausência deixou as cosias realmente quietas.
Eu cheguei na escola, e entrei na sala de aula, mas quando eu cheguei para minha própria carteira, eu inclinei minha cabeça.

“…?”

— Flores amarelas num vaso haviam sido deixadas no meu assento.

“Ku… u…”

Quando a visão daquelas flores entraram nos meus olhos, eu senti algo que eu estive guardando subitamente estourar.
Desde que meus pais morreram, não importa o quanto eu quisesse chorar, eu nunca chorei.
Não importa o que eu fiz, tudo que havia era o nada, e eu estava meramente triste sem sentido.
Apesar disso, eu comecei a berrar.
Mesmo quando meus colegas de classe estavam na sala, eu chorei sem hesitação diante dos olhos de todos.

“Quem quer que tenha feito isto, erga sua mão!”

Notando a situação repentina, o professor perguntou isto na homeroom com um rosto vermelho. (NT: Homeroom é basicamente um período de orientações antes das aulas pelo que entendi, feito pelo professor responsável da sala)
E alguém ergueu sua mão… aquele garoto.
O garoto já tinha um enorme calombo na parte de trás de sua cabeça. Eu estou relutante em imaginar o que levou ele a estar nesse estado.

“Por que você fez algo assim!?”

O garoto que permaneceu silente, e o professor dando bronca duramente.
Eu não podia dizer por que ele estava bravo com o garoto.
Quero dizer, nós ainda estamos nas menores séries do fundamental, eu tenho quase certeza que nós não deveríamos saber o que o ato de colocar flores na carteira de alguém deveria significar. (NT: É um jeito meio de zoeira de demonstrar respeito aos mortos – é dizer que quer que a pessoa morra)
É por isso que eu fiquei diante do garoto, e disse isso.

“Não! Tsukishiro-kun não quis dizer nada ruim!”

Como eu, que sempre estive deprimido por aí, ergui minha voz num nível desses, tanto o professor como o garoto estavam surpresos.

“É porque ele é, Tsukishiro-kun… é meu amigo!”

As flores amarelas… Geranium.

Na linguagem das flores: 「Afeto」, 「Verdadeira Amizade」, 「Determinação」, 「Desejos de Felicidade」.
Elas florescem de Abril a Novembro, e são uma flor bonita de origem africana.
Ele, Tsukishiro Yuuji aprendeu que minha casa era uma floricultura, e até tentou aprender a língua das flores, que ele absolutamente não tinha interesse.
Para eu poder ter notado, meu pai e mãe teriam tido que me ensinar tudo sobre as flores, e ele teria tido que estar verdadeiramente preocupado comigo.
Meu pai, minha mãe, não só ele.
Eu fui salvo por muitas pessoas, e agora eu estou aqui. Eu levei uma grande quantidade de gentileza.
E por ter pisoteado em todos os sentimentos deles, eu comecei a me odiar.
E então eu não sou tão chegado da palavra ódio.
Ela nega algo. Uma pessoa. Um objeto. Um sentimento. É uma palavra que pisoteia tudo isso.

Eu gosto de dias chuvosos.
Eles significam o dia em que eu percebi que minha mãe e meu pai, e meu melhor amigo esticando suas mãos para pegarem na minha.

Para mim, eles são, a realidade é – Algo que não pode ser jogada fora… um tesouro precioso.

ANTERIOR | ÍNDICE | PRÓXIMO

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s