[NnY] Extra do Volume 2 (4)

Finalmente termina aqui os extras… mas ainda não voltaremos para a história normal; os próximos capítulos são de um volume inteiro de side story (mas ele tem menos capítulos), o que só serve para aumentar a emoção quando voltar… mas enfim, vamos lá – Este capítulo foi traduzido de wn404.


Extra do Volume 2 (4)
Side Story: Insana pelo Herói Distante (2)

“Alesia-sama, como está você?” Disse o homem que entrou meu quarto. Ele tinha um rosto coberto com cicatrizes de batalha, e parecia estar nos seus vinte e tantos. Seu nome é Guidott, dito sendo o cavaleiro mais forte do reino, e atualmente capitão da nossa ordem de cavaleiros.
Ele tinha tanto uma aparência como personalidade que revelavam uma pletora de experiência no campo de batalha, e ele tinha um tom de voz que ficou rouco e baixo ao longo dos anos. A presença de um homem assim estava em um completo contraste com o quarto exuberante de alguém como eu, uma princesa.
Bem, isso não importa nem um pouco, não no momento.
“Sim, Guidott, eu me sinto bem. A dor se foi completamente, e felizmente, não houve maldição colocada em mim quando o colar foi removido.”
Uma semana antes, os pesquisadores que haviam sido chamados de Ermia haviam finalmente descoberto o mistério por trás do meu valorado colar. Eles haviam descoberto que a razão para aquele ornamento valorado ter me causado um sofrimento e infortúnio daqueles não era devido à qualquer maldição, mas algo diferente.

Aquele tesouro real originalmente tinha 4 encantamentos: 『Recuperação Automática de HP』, 『Efeitos de Cura Levemente Aumentados』, 『Memória Perfeita』 e 『Regeneração Menor』. Mas os 3 primeiros desses encantamentos foram trocados por 『Cura Reversa Inferior』,  『Impedir Remoção』 e 『Obstrução de Percepção』. (NT: Houve alterações do capítulo 27, que é quando fala disso: “registro de ilusão”>memória perfeita; auto-reparo (pequeno)>regeneração menor; cura reversa (minuto)>cura reversa inferior… eu mudei aqui o que achei melhor, depois altero lá).
Cura Reversa é uma forma de magia de recuperação que retorna feridas corporais ao seu estado original para curá-las.
Ordinariamente, feitiços de cura aceleram o processo de cura para recuperar HP e parar o sangramento. Eles não curam completamente o corpo. Isso quer dizer, enquanto elas podem lidar com lesões menores, feridas mais profundas, quando curadas, tendem a deixar cicatrizes duradoras. Recuperar de uma amputação é logo impossível nesse aspecto. Se um braço ou perna forem arrancados, magia de recuperação não fará eles crescerem de novo, e nem pode reverter a perda de sangue. E se uma ferida for deixada sangrando, o HP da pessoa cairá até a morte.
Cura Reversa, por outro lado, tem uma abordagem diferente. É uma magia que volta o relógio para as feridas, e dependendo do quanto a mana do usuário durar, ela pode até ser usada para recrescer membros. Por esta razão, feridas curadas em reverso não deixam uma única cicatriz, e o corpo é retornado ao estado antes da ferida ter sequer sido recebida. Mas o grande problema desta magia vem na forma de dor. Enquanto serve seu propósito de retornar o corpo para sua condição legítima, a natureza desta magia requer que o usuário aguente a dor de ter que reviver suas feridas.
Mesmo se uma ferida estiver praticamente curada através de meios convencionais, esta magia rasgará e arrancará a carne e retornará essa ferida passada para seu estado mais horrível antes de retornar pele por pele. Ma a dor inevitável acabaria instantaneamente se os efeitos desta magia fossem aplicados rápido o suficiente. Infelizmente para mim, o colar tinha 『Cura Reversa Inferior』. O ritmo de recuperação era abismalmente baixo, me tendo aguentando pontadas duras de dor pelas minhas costas, noite após noite.
『Obstrução de Percepção』, outro dos encantamentos alterados, me impedia quase que completamente de realizar meus deveres sociais como uma princesa. Eu fiquei incapaz de proferir os nomes das pessoas que eu deveria saber. Como um resultado, eu tive que ficar enfurnada no castelo para que o conhecimento desta fraqueza não se espalhasse. Simplesmente remover o colar teria nulificado esses encantamentos atrozes, mas oras, 『Impedir Remoção』 absolutamente me impedia de tirar ele por meios físicos.

No fim, ele não podia ser removido, e eles tiveram que colocar um volume enorme de mana no ornamento para destruí-lo, encantamentos e tudo. O que era o mais lamentável, já que esse colar era um tesouro histórico passado pelas gerações de realeza. Ignorando seu valor monetário, ele também era um item que provava o direito de alguém ao trono.
Nesse tópico… “Me diga, Guidott. Eles terminaram de reparar meu colar?”
“Nós estamos tendo os artesões mais proeminentes da capital trabalhando nele enquanto nós falamos. Eu creio que eles terminarão numa questão de dias. Os encantamentos, contudo…”
“Sim, eu sei. Aqueles eram feitiços antigos do tempo dos fundadores de nossa nação. Eu não espero que eles façam milagres.”
Eu sabia que não era possível. Eu realmente sabia. Mas no que eu sentei ali, ouvindo o relato, minhas mãos ainda fecharam mais apertadas em cima dos meus joelhos. Aquele colar era um tesouro inestimável que provava meu direito de sucessão, sim, mas ele era muito, muito mais. Ele me lembrava de minha querida e falecida irmã mais velha. Ele havia sido uma vez dela.
Agora, aquele colar havia sido destruído por ter sido inundado com mana. E apesar de eu ter pedido para ele ser restaurado exatamente à sua aparência anterior, o fato permaneceria que ele foi quebrado, depois de gerações resguardando ele.

“… Não, eu estou certa que eles estão tentando fazer o melhor deles. Por favor diga para eles ao menos fazerem a aparência indistinguível do original.” Eu falei calmamente, não deixando minhas emoções surgirem em minha voz. Eu senti que eu ordenaria imediatamente uma execução se eu fosse ficar muito agitada.
Eu conheço Guidott a muito tempo. Ele foi um rosto familiar desde minha infância. Mas a´te para ele, eu não posso mostrar qualquer fraqueza. Porque eu sou Alesia Aurelia, princesa do reino de Aurelia e a herdeira legítima ao seu trono.
Além do mais, Guidott era originalmente cavaleiro da minha irmã mais velha. Ele sem dúvidas está igualmente tão bravo quanto eu sobre o fato do colar adorado de sua uma vez senhora ter sido arruinado.
“Pela sua vontade, princesa.” Guidott disse com um cumprimento nítido.
“Então agora, eu não suponho que você veio aqui apenas para checar minha saúde? Diga o que quer.”
Nós podemos ter sido conhecidos próximos, mas isso não é desculpa para entrar no quarto de uma princesa. Ele era um homem ocupado também. Alguém como ele visitando uma dama de minha posição, sozinho, e sem qualquer causa serviria apenas para criar boatos. Guidott definitivamente não era tão desatento, disso eu tenho certeza.
“Sim, eu vim para relatar meus achados. São referentes ao garoto com cabelo e olhos pretos. Minhas desculpas, vossa alteza, mas ele de fato fugiu da capital. Eu passei um pente fino procurando tanto com meios acima e abaixo do chão, mas nós ainda não sabemos do paradeiro dele.”
“Certo. Mas certamente isso não é tudo?”
“Não é. Eu também tenho relatos de testemunhas dizendo que elas viram um garoto da caricatura dele. Ele parecia ter mudado de roupas, mas nós temos um rastro dele dentro da cidade. Ele havia feito viagens frequentes às áreas de gueto e mercado negro, e nós sabemos o hotel em que ele ficou. Nós perdemos todos os traços de atividades dele alguns dias depois.”
“Eu entenderei isso como não havendo registros dele deixando a cidade do castelo também?”
“Sim, eu suspeito que ele fugiu através de algum outro meio além dos portões da cidade. Durante a invocação, os soldados lhe acompanhando podem ter sido incompetentes, mas eles não faltavam em Level. O que quer dizer, o garoto tem força além do que sua aparência sugere.”

“… Aquele incidente com a parede externa desmoronando, o surto de monstro. Do que eles eram chamados, wall eaters? Você não acha que ele usou aquele caos para escapar?”
“Os cavaleiros que correram para a cena não relataram ninguém que bata com a aparência dele. Mas mesmo nós apenas recentemente descobrimos que essa seção da parede havia sido remendada com materiais inferiores. Então considerando quão logo o incidente aconteceu…”
“Que, então você está dizendo que é possível que aquele monstro de outro mundo deliberadamente destruiu a parede? Que ele pegou o local em que nossos olhos não estavam focados e fez sua escapada por lá?”
Um dos crimes mais hediondos que alguém pode cometer é destruir as fortificações de uma cidade, suas paredes defensivas. E aquele monstro havia feito isso para nossa capital real. Seria coincidência demais que ele apenas este por acaso no lugar em que a parede desmoronou e usou a situação para fugir. É muito mais provável que ele mesmo tenha sido o culpado.

(Ainda… não, a própria existência dele tem sido uma anormalidade desde o começo. Ele nunca mereceu o título ou poder concedido ao Herói. Ele é uma invocação fracassada, um monstro em pele humana.)
Eu espantei aqueles pensamentos errantes e levei a conversa de volta para Guidott.
Haah, é francamente ridículo. As lendas dizem que o Herói deveria possuir um conjunto de skills iniciais que concedem para ele potencial ilimitado, mas ainda assim, ele não deveria ter sido forte desde o começo…”
“Alguém não pode dizer muito sobre a veracidade das lendas. Eu, por exemplo, firmemente acredito apenas no que eu tenha visto com meus próprios olhos.”
“… esse é um bom ponto.”
(Eu não serei capaz de receber as palavras do Grande Espírito por mais um tempo. Se apenas eu possuísse tanta aptidão espiritual quanto minha irmã mais velha. Então certamente eu seria capaz de receber oráculos mais frequentes.)
Eu pensei de volta na minha irmã de novo. Não é exagero dizer que ela era amada pelos Deuses. Ela era um gênio em todos os sentidos da palavra.

“… Há ainda muitos fatores desconhecidos nesta questão. Continue a investigação e me mantenha informada.” Eu ordenei Guidott. “E tenha certeza de manter isto sob sigilo. Eu não quero ninguém enfiando seu nariz onde não pertença.”
“Como você queira, vossa alteza”, o homem saudou. “Também, a emissária da teocracia chegou. Por favor faça suas preparações para recebê-la.”
Oh, certo, ela deveria ter chego por ora.
“A Santa da Teocracia Lunaria. Eu nunca teria imaginado que ela viria até aqui pessoalmente…”
A Teocracia Lunaria é, como o nome sugere, uma nação governada sob religião. Seu Deus, Lunaris, tem 3 preceitos principais: julgamento para todo mau, Paraíso para as crianças da terra e Salvação para os fracos e débeis. Com essas 3 ideias principais, e muitas outras menores, esta religião é atualmente a mais espalhada no continente inteiro.
Há, claro, uma variedade de outras, menores fés, mas Lunaris é a única que se propagou ao nível nacional. E como é um país, naturalmente, política está envolvida. Incrível como possa ser, mas até religião não pode limpar o pântano sujo do governo humano.

“Eu ouvi os relatos de como ela alegadamente apaziguou todas as facções, mas francamente, isso não é algo que eu possa acreditar prontamente. Ela pode ser capaz de realizar seus deveres como Santa perfeitamente, mas ela como uma política? Eu tenho minhas dúvidas.”
A Santa da Teocracia Lunaria, Materia Laurelia, é dita sendo o símbolo daquela nação. Sua imagem virtuosa e pura certamente a tornou popular com as massas, mas naturalmente, ela também tem inimigos nas disputas maiores por poder. O Papa, o homem no topo da cadeia de comando da teocracia, ficou doente mais cedo este ano, e a Santa, Materia não podia possivelmente escolher deixar seu país enquanto sua posição permanecia instável.
“Contudo, eles de fato nos informaram que a Santa em si estaria vindo. Eles lamentosamente deixaram de lado a questão do assunto, mas como uma pessoa do nível dela de influência pediu oficialmente uma audiência, é em nosso melhor interesse aceitar.” (NT: Em inglês, a palavra usada é algo como “obrigar/forçar”, mas no caso, eu não vejo fazer sentido, então…)
“Verdade. Bem, eu posso decidir o que ela quer e como lidar com ela quando eu ver ela eu mesma. Se você encontrar qualquer tempo, colete informação sobre a Santa também.”
“Como você queira, Alecia-sama. É quase a hora agora, por favor fique pronta para encontrar a emissária na sala de audiência.”
“Eu estou encontrando a Santa da teocracia, Materia-sama afinal. Eu devo parecer meu melhor. Enquanto você vai, chame para cá minha maid de vestimentas.”
“Muito bem, vossa alteza. Eu irei indo agora.” Guidott fez um último cumprimento antes de deixar minhas câmaras.

Logo após,houve uma batida na minha porta, e a voz de uma mulher mais velha veio do outro lado, Senhorita, posso entrar?
“Você pode.” Eu permiti, e a maid que veio para dentro me ajudou a me vestir. Enquanto isso, eu continuei ponderando sobre o que poderia possivelmente compelir a Santa em si a vir para nosso país.

“Um prazer lhe encontrar, Rei Eudras Aurelia, e a Rainha e Princesa.” Falou uma jovem dama que exalava a própria essência de pureza com um longo cabelo prata platinado trançado em um único trança definida que ficava de forma macia logo acima do ombro direito dela.

Reino de Aurelia. Atualmente, no grande salão de conferência.

A beleza dela era tamanha que eu achei difícil descrever com meras palavras. Suas vestes religiosas que ordinariamente fariam ela parecer modesta apenas acentuavam as linhas de seu corpo. Seus peitos, eram muito largos.
Eles saltavam para fora por baixo dos robes dela, como se contestando qualquer força que ousasse empurrá-los para baixo.
Mas ainda, o olhar macio nos olhos dela e as feições faciais delicadas, tudo por tudo, impediam alguém de ter quaisquer pensamentos libidinosos. Ao invés disso, ela passava a sensação de uma graciosa mãe observando suas crianças.

Os cavaleiros presentes de guarda pelo quarto tinham seus olhos roubados pela figura dela, mas nenhum tinha qualquer desejo carnal para a dama efêmera. Ela era a própria definição de uma flor além do alcance. A dama diante de nós possuía a magnanimidade de um santo, assim como um calor calmante, maternal.

“Permita-me me introduzir, eu sou Materia Laurelia. Eu fui abençoada em ter recebido o título de Santa no meu país, a Teocracia Lunaria.” Ela juntou suas mãos num gesto de reza. “Que as bênçãos e salvação de Lunaris recaiam em vocês.”
Ela não parecia estar usando qualquer magia, mas ela parecia ter uma aura de luz divina a o redor dela. Eu havia ouvido que ela é apenas 2 anos mais velha do que eu, mas ela tinha um distinto ar de maturidade que eu ainda tinha que alcançar.

“Mm, Senhorita Materia”, o primeiro ministro que estava de pé ao lado do rei deu um passo para frente para se endereçar à Santa, “Sua carta disse que você gostaria de 『aprofundar a amizade』 entre nossos países, mas o que especificamente você teria em mente? Nós renovamos nossos acordos de comércio apenas ano passado, você achou um problema pertinente aos termos?”
Parece que meu pai e o primeiro ministro acreditam que ela veio aqui para negociar os detalhes do acordo de comércio de grãos do ano passado com Lunaria.

“Não”, a Santa lentamente balançou sua cabeça, “eu não estou aqui por questões tão pequenas.”
O primeiro ministro estava chocado em descobrir que sua previsão do motivo da outra nação não estava apenas errada, mas foi até diminuída como insignificante pelo outro lado.
Eu senti o mesmo, mas eu estava além de exibir isso no meu rosto. Tendo sido ensinada sobre assuntos relacionados ao reino, incluindo a importância de uniões e acordos com nossos vizinhos, o comentário da Santa sobre isso sendo uma questão pequena rapidamente abaixou minhas expectativas e opinião da senhorita.
Mas no que eu estava prestes a marcar ela como incompetente, ela derrubou um assunto que deixou todos nós sem palavras.
“Eu estou aqui neste país não como uma Representante de Lunaria, mas como a Santa de Lunaria.”

A família real, os cavaleiros de guarda, o primeiro ministro, e até as maids que tinham conhecimento de diplomacia estavam todos sem palavras. Aqueles que sabiam sentiram terror sobre quanto esta mulher pode saber, enquanto outros silenciosamente mastigaram sobre o que esta declaração pode significar.

“O que você quer dizer?” Não foi o primeiro ministro mas meu pai quem diretamente perguntou para a Santa. Ele havia ficado pálido e estourado num suor frio.

“Minha nossa, ficará tudo bem se eu revelar isso aqui?” A Santa falou com um sorriso conhecedor.
Agora, todos que sabiam do segredo haviam chego numa única conclusão.

——… A Santa sabe que o Herói foi invocado.

A Santa da Igreja Lunaria que adere à doutrina de eliminar todo o mal havia vindo ao nosso reino não por uma razão política, mas uma religiosa. Na superfície, ao menos. Agora, as únicas razões religiosas para que uma Santa precisaria viajar pessoalmente seriam para requerer fundos para trabalho missionário, ou mais importantemente, o Ritual de Invocação do Herói.
E se ela havia vindo para requerer o primeiro, teria ela dito “ficará tudo bem se eu revelar isso aqui“? Não, ela não teria, já que requerer ajuda não requer segredo. O que ela estava timidamente implicando era que ela não deveria revelar o fato que a invocação do Herói havia sido feita sem o conhecimento ou participação deles.

A invocação do Herói foi feita para ir contra o cerco do demonkin, mas para a Igreja Lunaria, o Herói era uma existência tão importante quanto a Santa. Eles são muito prováveis de nos acusarem de tentar monopolizar o Herói se eles souberem de nossa empreitada secreta.
Mas então, nós estávamos tentando monopolizar o Herói. Nós tínhamos planejado treinar e manipular o inicialmente fraco Herói a ser nosso peão. Mais tarde, nós poderíamos facilmente inventar uma desculpa de que nós não podíamos deixar o demonkin saber do Herói quando ele estava em seu ponto mais fraco, então esta era uma medida que nós tivemos que tomar. Naquele estágio, eles ficariam duramente pressionados para apontar dedos.
Mas nossa situação, como está, é muito ruim. O Herói que nós invocamos é um louco e vê o reino como seu amargo inimigo. Depois de como ele brutalizou eu mesma e tantos cavaleiros, nós seríamos insanos em pensar que ele é algo além de hostil.
Se os eventos que transpiraram fossem se tornar conhecimento público, a família real receberia um golpe sério. Um que poderia nos deixar indefesos se as nações vizinhas nossas decidirem impor sanções contra nós.

“… Todos aqui além do primeiro ministro e do capitão cavaleiro devem nos deixar.” Meu Pai declarou.
“S-senhor?” “Mas nós não podemos…” Alguns tentaram protestar.
“Agora. Isso é uma ordem.”
Aqueles que não sabiam estavam profundamente embananados pela decisão súbita de meu Pai, mas seguiram a ordem do rei deles e deixaram o salão.

“Você deve sair também”, a Santa disse para sua maid atendente.
“M-mas Materia-sama, eu-”
“Você não precisa se preocupar, eu ficarei bem.”
“… Sim, senhorita. Eu obedecerei sua vontade.” A atendente se curvou e também saiu.

No que a última das pessoas não envolvidas foi removida, a porta para o salão de audiência foi fechada para manter privacidade. Agora, os únicos remanescendo eram Pai, Mãe, eu mesma, Baras, o primeiro ministro, Guidott, o capitão cavaleiro, e a Santa.
Pai e o primeiro ministro haviam ficado esparsos de palavras, sem saber até que ponto esta mulher sabe. Será que ela só sabe que o Herói foi invocado, ou será que ela também sabe sobre os atos hediondos que ele cometeu depois de ser invocado?

“Então vamos começar, sim?” A Santa quebrou o ar congelado. “Eu estou informada sobre o que o reino fez. Então sem mais delongas, vamos discutir a questão dele com cabelo preto e olhos pretos. Claro que eu falo do Herói.”

Todos, exceto a falante em si, engoliram. Eu subitamente senti raiva surgindo de dentro de mim. O simples ato de ser lembrada daquele monstro me deixa furiosa.
Em contraste, meu Pai pareceu desanimado, ou aliás, ele havia desistido de manter aparências.
A Santa tendo conhecimento das feições distinta do Herói significa que ela tem confirmação das visões dele fora do castelo. Ela, ao menos, sabe que o Herói se fez um inimigo do reino. Nós não iríamos a lugar nenhum tentando esconder esse fato agora.

“… Certo. Senhorita Materia, quais são suas demandas então?” Meu Pai disse finalmente.
Eu mentalmente estalei minha língua ouvindo meu Pai falando como se não houvesse mais espaço para negociação.
É cedo demais para ceder. Eu sei que meu Pai não é a pessoa mais esperta quando se trata de discurso político, mas nós devemos nos manter firmes em negociações, não importa quão inevitável nossa perda. Se não, nós podemos perder mais do que nós havíamos barganhado.

“Eu peço que o reino não interfira com o tempo que eu passar com meu querido Herói. Eu, como a Santa, sou destinada a ser aquela com o Herói, como vocês sabem.” A Santa sorriu como uma flor aflorando, em completo contraste à depressão de meu Pai.
Eu primeiro me senti aliviada que ela não demandou nada que custe muito, mas ao processar as palavras dela, eu senti uma sensação de desconforto com a dama.
Eu simplesmente não podia compreender que tipo de personalidade esta Santa teria para ela estar sorrindo tão afetuosamente apesar de saber das atrocidades do Herói.
De acordo com a fé de Lunaria, a Santa é uma mulher que deve ser ligada ao Herói e tranquilizar o coração dele. Assim, ela deve ser a própria imagem de compaixão. Contudo, não importa quão fortemente ela possa acreditar que seu papel é honorável, eu não podia empatizar com alguém que poderia dizer sem hesitação que ela ama aquela criatura vil de outro mundo.

Mas pelo jeito que ela está se dizendo, eu entendi que até ela não sabe o paradeiro exato do Herói.
“Perdão, Senhorita Santa, mas por ora, até o reino não sabe do paradeiro dele. Nós temos informação sobre seu breve período de atividade na cidade do castelo, mas nada de onde quer que seja que ele tenha ido.”
(Pai, por favor tente governar essa língua solta, isto é ridículo…)
Eu mordi meu lábio inferior em quão facilmente meu Pai estava divulgando informação que nós poderíamos ter usado para nossa vantagem. Mas surpreendentemente, aquela que mostrou a mudança mais drástica de expressão pela revelação foi,

“… Eh?” A Santa em si. Provavelmente, ela havia descoberto este fato sendo tão fora de suas expectativas que ela completamente negligenciou manter sua calma exterior.

Meu Pai nem parecia notar isso, e continuou falando.
A facção real esteve perdendo poder nos anos recentes, então ele deve achar que não seria sábio fazer um inimigo da teocracia. Nosso plano havia sido reinar os anti-realistas ao exibir nosso controle do Herói, mas isso evidentemente acabou em fracasso.
Logo, meu Pai provavelmente quer revelar tudo que nós sabemos sobre o Herói para poder fazer as pazes com a teocracia.

“Pelo estado atroz de minha filha e muitos cavaleiros depois que o Herói os atacou, nós havíamos inicialmente sido levados a crer que ele era um louco selvagem com força além de seu controle.” Meu Pai explicou. “Mas vendo como ele foi capaz de nos eludir até agora, parece que ele não é um mero bárbaro. Pelas palavras que ele deixou para trás, nós podemos assumir que ele planeja causar problemas eventualmente. Nós acreditamos que pode ser mais produtivo aguardar que ele se revele. Claro, nós não relaxamos em nossa busca, mas com apenas o cabelo e olhos pretos dele como feições únicas, tem sido difícil.”

“Pelas palavras que ele deixou para trás?” A Santa inqueriu.
“Ele disse ‘eu recuso ser seu peão. Deixe essas cicatrizes em suas costas serem prova disso. Eu posso, e irei fazer pior. Eu tomarei tudo de vocês. E não haverá piedade de minha vingança, desta vez.'”
As palavras de meu Pai fizeram as feridas em minhas costas, que agora estavam completamente curadas, queimarem em dor fantasma. Mais uma vez, fúria ardeu dentro de mim. E mais uma vez, eu não mostrei uma gota disso na superfície.
“Eu não sei se a teocracia possui mais detalhes, mas eu estou certo que ele agirá em breve. E quando ele fizer isso, nós podemos estar preparados para capturá-lo.” Meu Pai terminou com um suspiro.

“… -ta vez? … não pode ser, …. por que, … mas, … não.”
“Senhorita Materia? Há algum problema.”
A Santa mostrou mais reação à mensagem do Herói do que até eu, em que fui tormentosamente encravada. Ela não deu bola enquanto meu Pai chamava por ela. A respiração dela acelerou e seu rosto tinha uma expressão sombria no que ela olhava para baixo e começou a murmurar numa voz quieta.
Ela estava tão perplexa por causa da notícia de que o Herói está sumido?

“… então, . . . oh, . . . Letícia Lew Harston!”
Todos nós estávamos chocados. O comportamento calmo da Santa havia ruído e ela estava audivelmente rangendo seus dentes em frustração. Eu senti um arrepio passar pela minha espinha no que eu vi a dama demonstrando fúria intensa.

“Senhorita Materia, senhorita Materia.” Meu Pai chamou fortemente. “Está tudo bem?”
Houve uma pausa.
“… Me perdoe, eu estou bem.” A Santa ergueu seu rosto e colocou seu sorriso usual. “Eu pareço estar mais fatigada de minhas viagens do que eu percebi. Eu humildemente peço uma continuação desta discussão em uma data mais tarde, isso seria concordável?”
Ela pode estar sorrindo, mas a diferença de antes, daquele sorriso como uma flor aflorando, era como a noite e o dia. O contraste era aparente para todos presentes.
“Eu, entendo.” Meu Pai disse rigidamente. “Muito bem. Nós não podemos ter a Santa ficando doente em nosso país, afinal. Vamos deixar isto para outro dia.”
Com isso, a Santa fez um gesto de reza, apesar de sua condição anormal, e se curvando uma vez, ela também se retirou do salão de audiência.

(Letícia Lew Harston?)

Eu era incapaz de entender a maioria do que ela havia dito, mas eu ouvi o nome que ela falou no final muito claramente. Eu senti um estranho desconforto por esse nome que eu não conheço.

“Aaaaaaaaaaahhh! Ahhh, Uggghhh, uhhuuu, Aaaaahh!!”
Dentro da câmara para convidados preparada para a Senhorita, lamentos insanos ecoavam. A Santa, como se ela tivesse ido para os fins profundos, descontou suas frustrações ardentes na cama luxuosa.

“Por que! Por que! POR QUE!! Quanto, você maculará, meu Herói, antes de, você ficar, satisfeita!! Demônio! Demônio! DEMÔNIO!!” A Senhorita pegou e ergueu seu travesseiro, e jogou ele em suas cobertas em fúria.
Eu fui posta como a atendente da Santa não muito antes de nós partirmos Lunaria para vir para este reino, então eu não posso dizer que eu conheço a Senhorita bem o suficiente para entendê-la. Contudo, eu nunca vi ou ouvi um comportamento desses para a estimada dama, esta 『raiva』, não, uma 『ira』 furiosa que é isto.

“Por que isto aconteceu!? Por que, por que a alma do meu querido Herói foi corrompida por ela, mesmo neste novo mundo!? Não era assim que deveria ser! Não cedo assim! Eu deveria ter tido tempo para salvar ele desta vez!!”
“M-Materia-sama?” Eu hesitei, “há algo em que eu possa lhe ajudar?”
Esta era uma Santa desconhecida para mim. Eu tremi por dentro, mas ainda me venturei a perguntar se eu poderia ser de algum uso. Em primeiro lugar, eu não tenho ideia do porquê a Santa ficou tão enfurecida assim. Eu lamento ter deixado ela sozinha naquele salão de audiência.

“Aquela mulher! Bruxa! Você ousa sujar meu, meu querido, meu querido…! Uuuuuu!!” Gritou a Santa, não prestando qualquer atenção para minha presença.
“Materia-sama…”
Eu só podia observar enquanto a Senhorita se desvairava em angústia.

ANTERIOR | ÍNDICE | PRÓXIMO

4 respostas em “[NnY] Extra do Volume 2 (4)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s