[NnY] Extra do Volume 2 (3)

A página do Facebook alcançou 500 curtidas, então aqui está um capítulo extra de NnY!

Já adianto que o próximo é uma continuação deste, e enquanto este aqui é pequeno até, o outro tem aí, em inglês, 4500 palavras mais ou menos; e na boa, as mulheres desse mundo me assustam… – Este capítulo foi traduzido de wn404.


Extra do Volume 2 (3)
Side Story: Insana pelo Herói Distante (1)

Por que, Por que, Por que.
Mesmo até o final do final, o coração do Kaito-sama havia permanecido aprisionado por aquela Diaba.
Mesmo quando eu sou aquela que mais te ama.
Mesmo quando eu sou aquela mais digna de você.
Mas eu, não sou aquela ao seu lado.
E você, não é aquele ao meu lado.
Por que, você derruba lágrimas por aquela Diaba.
Por que, seu coração quebra por aquela Diaba.
Por que, você deseja aquela Diaba.
Se ao menos você tivesse me desejado, eu teria lhe dado meu corpo, minha alma, meu tudo.
Claro, se apenas aquela Diaba se fosse, Kaito-sama finalmente abriria seus olhos.
Porque ele é aquele destinado à eliminar aquela Diaba. E eu, sou aquela que ficará mais perto dele enquanto ele fizer isso.
Eu ainda consigo me lembrar da alegria de quando eu descobri esse destino. Eu ainda consigo lembrar o desespero de ter esse destino violado.

Que era o motivo de eu ter pensado que tudo se resolveria assim que aquela Diaba, a violadora do meu destino, fosse morta.
E depois disso, tudo deveria retornar como deveria ser.
Porque Kaito-sama havia usado sua própria lâmina para cortar fora as correntes que haviam prendido ele.
Mas ainda. Mas ainda, mas ainda!
Até lá, seria tarde demais. Os malditos fragmentos daquelas correntes haviam se enterrado fundo, fundo no coração dele, sua alma para sempre suja, violada.
Eu não tinha escolha se não aceitar esse fato.
Então o mínimo que eu podia fazer era libertar essa alma imunda. Até essa alma roubada, marcada, corrompida certamente seria purificada pela graça de Deus, e certamente ele e eu nos encontraríamos de novo em nossas próximas vidas.
Porque eu sou a Santa, e Kaito-sama é o Herói.
E então, eu descobri que Deus havia concedido meu mais querido desejo.
O mundo errado não existia mais, e quando eu percebi isso, eu solucei, eu chorei lágrimas da mais alta alegria.
Desta vez será diferente. Desta vez, eu não falharei.
Desta vez, eu me tornarei sua única e exclusiva, eu serei aquela que ocupará completamente sua alma.
Por favor, por favor espere por mim.
Meu amado, meu Herói.

No que a carroça sacudiu pela estrada de terra, eu, Materia Laurelia, me senti levemente fatigada pela jornada.

(É porque eu fiquei acostumada em andar na carruagem sem balanço que Kaito-sama havia criado.)

No mundo passado, eu só podia me maravilhar pelo gênio dele, e eu me recordo ver ele falando com o mercador Avares sobre seus aspectos técnicos, eu agora me arrependo de não ter perguntado por aqueles detalhes eu mesma.
Eu estive sentada neste assento de carroça duro por tanto tempo que minhas nádegas estavam dormentes pelas vibrações constantes.
Eu usei cura para secretamente aliviar a dor dormente durante folgas na jornada. Eu era, afinal, ainda uma mulher criada numa estufa até o presente momento. Eu posso me lembrar das experiências que eu tive no mundo anterior, mas eu claramente não estava tão em forma como eu havia estado.

Minhas aventuras com Kaito-sama, em que durante elas eu aumentei meu level e proficiências em 『magia sagrada』 e 『magia d’água』 haviam todas virado nada.
Era extremamente desanimador perder os frutos do meu treino especial com meu amado.
Mas de novo, nós simplesmente tínhamos que fazer isso de novo, juntos, claro. Na verdade, com o conhecimento que eu tenho em minha posse, ele e eu podíamos esmagar todos nosso inimigos malditos sozinhos. Sim, nós não precisaríamos de outros ‘companheiros’ que só ficariam no caminho de nosso amor.

Ele só precisava de mim, e eu dele.

“… phew”, eu suspirei, “também faz tanto tempo desde que eu havia visto este país.”
“Perdão? Você viu ele?” disse a maid ao meu lado no que ela inclinava sua cabeça em confusão.

Eu havia soltado uma expressão de nostalgia quando eu olhei pela janela da carroça para ver as altas paredes que cercavam Aurel, a capital real do reino de Aurelia.
Como sou tolinha. Essa deveria ser minha primeira vez vindo à este país, então é claro que ela questionaria minhas palavras.

“Não é nada. Eu simplesmente confundi ela com outra coisa”. Eu falei um pouco mais friamente para que ela não perguntasse mais questões.

Mas então, a maid simples que não sabia nada de minhas circunstâncias pareceu chocada e até um pouco assustada. Eu me senti mal por isso, então eu falei para ela de forma macia,

“Sabe, eu definitivamente preciso aproveitar algum chá calmante assim que eu terminar com meus cumprimentos. Você deveria se juntar a mim. Eu acharia solitário tomar chá sozinha, afinal.”

Eu sorri gentilmente para ela, para que ela acalmasse seus nervos, e vendo isso, as bochechas da maid se avermelharam levemente no que ela gaguejou um ‘S-sim, senhorita!’, sua voz mais alta que o normal.
Eu então retornei meu olhar para o exterior da cidade se aproximando.
Eu recordo ouvir que neste ponto no tempo, Kaito-sama ainda havia permanecido na capital e estava no processo de aperfeiçoar suas Skills dentro do 『Ninho de Goblin』, uma recém formada dungeon.
Logo, logo, logo—–…
Eu entendi que impaciência não me deixaria encontrar ele nem um pouco mais rápido, e eu apertei as extremidades dos meus robes para lidar com meu desejo transbordante, fazendo ele se amassar.

(Kaito-sama, desta vez, desta vez para você, eu, somente eu ficarei ao seu lado…)

Neste momento, neste momento, neste momento.
Eu tinha que ver ele neste momento, eu precisava que os olhos dele me olhassem, que a voz dele chamasse meu nome, sua risada para acalmar meus ouvidos.
Desta vez, eu não deixarei aquela mulher vil se aproximar do meu Herói, eu não deixarei ela seduzir ele, sujar ele.

“Letícia Lew Harston…”

Eu me senti doente só de lembrar aquele nome maligno.
Ela havia se invadido no coração gentil, bondoso do meu Kaito-sama, escravizado a alma dele, roubado o lugar em que eu era destinada a estar.

Ela não receberá a chance desta vez. No mundo passado, eu havia acabado encontrando meu amado apenas depois que ela havia semeado suas sementes malignas na alma dele, mas desta vez, este mundo não será o mesmo.
Eu serei aquela à acalmar o coração angustiado dele, somente eu e mais ninguém. Esse é o único jeito.

“Ma-Materia-sama, você tem certeza que você está bem?” a maid gritou.

Parece que meus pensamentos estiveram aparecendo em minha expressão.

“Você pode estar certa”, eu disse, “eu suponho que eu havia finalmente relaxado agora que nós estamos tão perto de nosso longo aguardado destino. Eu posso estar me sentindo um pouco mal pela viagem.”
“M-minha nossa”, exclamou a maid, “nós precisamos parar para descansar de uma vez…”
“Kusukusu”, eu ri, “você se preocupa demais. Nós quase chegamos. Eu posso logo descansar na cidade.”

Eu podia entender porque a maid estava tão agitada sobre meu bem estar. Em nossa teocracia, a Santa possui uma posição equivalente à realeza. E não simplesmente como uma figura ilustrativa. Como uma Santa, eu tinha um dizer forte sobre as questões tratando do país e como uma subordinada, a maid teria que tentar de tudo para impedir alguém do meu posto se sentir desconfortável.
Isso sendo dito, eu não podia simplesmente abrir as verdades que somente eu sabia, então para acalmar meu coração turbulento, eu alcancei em minha mala e peguei meu boneco favorito.
Este boneco era pequeno o suficiente para descansar amplamente no topo de minhas mãos juntas. Ele tinha cabelo azeviche e vestia um robe negro.
Eu amavelmente acariciei meu boneco como se ele fosse ele, meu doce amado.

(Logo, meu Kaito-sama. Eu finalmente estou indo lhe encontrar.)

E assim, meu coração mais uma vez reganhou a calma.
Eu sorri maciamente no que a carruagem alcançou ainda mais perto da cidade, simplesmente acariciando meu amado boneco.
Algum tempo depois, nós havíamos entrado nos portões.

A capital real era um local lotado. Em um olhar, a cidade era menos organizada do que a capital divina de nossa teocracia Lunaria, mas mais animada e turbulenta.
Em alguns meses a partir de agora, Kaito-sama terá conquistado a dungeon em que ele estava usando exclusivamente para treinar, e ela seria aberta ao público. Assim que isso acontecer, é certo que ela ficará ainda mais lotada.

(Bem, eu estarei me juntando à ele em breve, então pode não levar nem esses poucos meses.)

Eu olhei para o grande castelo de minha janela no que a carroça andou pela cidade.
(Eu terei que convencer a princesa Alesia primeiro. E se ela tentar não ser cooperativa, eu posso usar o fato que eles havia secretamente o Herói como uma carta em minhas negociações. Eles provavelmente não tornarão isso fácil para mim.)

Eu comecei a construir minha estratégia enquanto cutucava as bochechas macias do meu boneco do Kaito-sama.

(Os únicos outros que sabem sobre a invocação devem ser os cavaleiros reais liderados pelo Capitão Ryuudos. Se eu não armar a base com antecedência, aquelas realezas podres definitivamente tentarão colocar ‘companheiros’ que interferirão na jornada do Kaito-sama junto comigo.)

Desta vez, desta vez, o Herói, Kaito-sama, e a Santa, eu, iremos consumar nosso amor destinado.
Eu ficarei vitoriosa. Com meu conhecimento do mundo anterior, eu posso facilmente esmagar quaisquer existências que busquem causar mal ao Kaito-sama, seja a princesa ou qualquer outra.
Na verdade, ele e eu poderíamos derrotas qualquer inimigo juntos, logo fortalecendo ainda mais nosso laço.

“Fufufu!”, eu ri.
“Materia-sama, eu vejo que você está se sentindo bem de novo”, a maid comentou. “Graças a deus.”
“Sim, eu estou bem agora. Obrigada por sua preocupação.”
“Ainda, foi uma longa jornada. Por favor descanse um pouco depois dos seus cumprimentos com sua Majestade. Seria terrível se você fosse ficar doente devido à fadiga.”

Assim que eu novamente agradeci a maid por sua preocupação, eu notei minha pulsação subindo.

Kaito-sama estava aqui, nesta cidade, tão perto mas tão longe.

Eu havia passado muitos dias de coração partido esperando por esta vida, desejando apenas salvar a alma dele. Era um passo necessário para purificar ele, e eu sabia disso. Mas no momento em que a espada foi espetada no peito dele, eu havia sentido uma dor de arrasar o coração, como se ela tivesse perfurado o meu próprio peito. Era uma dor que eu nunca poderia esquecer.
Dias e dias do meu amado me direcionando olhos odiosos, meu próprio ódio pela a muito morta maou multiplicou.
Mas aqueles dias acabaram.
Já que eu agora havia recebido a oportunidade de arrumar esse erro, e avançar em direção do futuro correto.

“Fufu”, eu sorri em alegria, imaginando o caminho para meu destino.

ANTERIOR | ÍNDICE | PRÓXIMO

6 respostas em “[NnY] Extra do Volume 2 (3)

  1. Opa, não entendi perfeitamente, mas vou tentar explicar:

    Essa mulher que narra o capítulo é a santa( comentado no cap 1, uma das pessoas que o protagonista quer se vingar) aparentemente essa mulher é louca e matou o protagonista pq ele não amava ela. Sendo assim ela reteve
    suas memórias da primeira passagem( não sei como) e pensa que o protagonista esqueceu…. Não vejo a hora da vingança :)))

    Obrigado pela tradução

    Curtir

Deixe uma resposta para davifelizardo Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s