[NnY] Capítulo 46 – O Dia em que o Mundo de um Certo Indivíduo lhe Deu as Costas (1)

Nota: o título utilizou uma frase idiomática que significa se virar para ir embora de forma rápida, brusca… eu fiz o que pude.

Aqui, um dos primeiro capítulos para comemorar os quatro anos de tradução… eu só não faço outro NnY porque o próximo tem aí 5K palavras, e eu não estou assim com tempo para isso (nem devia ter feito os que fiz), mas vamos lá – Este capítulo foi traduzido de Cardboard Translations.


Capítulo 46 – O Dia em que o Mundo de um Certo Indivíduo lhe Deu as Costas (1)

Aquele dia começou como outro qualquer, e isso foi provavelmente exatamente o que era.

Mas para Shuria, era muito, muito mais. Para Shuria, os eventos do dia eram tão impactantes que eles se cauterizou nas memórias de Shuria.

Shuria ainda consegue recordar vividamente bocejar levemente e esfregar seus olhos no que Shuria ouvia os pássaros piando.

Shuria ainda consegue recordar vividamente se banhar no calor do sol da manhã.

Shuria ainda consegue recordar vividamente ficar encarando no belo pôr do sol do anoitecer.

Porque foi nesse dia que tudo mudou. (NT: A nação do fogo atacou?)

E é por isso que Shuria estava tão certa que nunca poderia esquecer isso, mesmo se Shuria fosse morrer.

“Não parece que Kaito vai vir hoje também…”

Shuria se afundou inteira no banho e começou a fazer bolhas nele.

Quatro dias haviam se passado desde que Kaito, o espírito, havia passado primeiro pela minha porta. Shuria ficou realmente surpresa lá trás. Shuria nunca pensou que teria uma chance de encontrar um espírito real. Ver ele lembrou Shuria de um conto de fadas que minha mãe contava para Shuria quando ela era mais nova. A meia-elfa que estava prestes a viver junta com o espírito de luz, que por acaso vivia dentro da boneca dela. Eles iriam sempre topar com problemas e tinham que lidar com isso forçando seus cérebros, mas eles sempre acharam um jeito para resolver. Eventualmente, eles se encontraram vivendo felizes para sempre. Naturalmente, Shuria estava ciente que a história era apenas isso, uma história.
Não tinha como ser possível isso se aplicar para Shuria. Além do mais, Shuria não era nem uma meia-elfa para se começar. Shuria era apenas por acaso uma humana cujo sangue élfico corria forte. Shuria não queria particularmente viver junta com um espírito para sempre também. Tudo que Shuria queria era falar com um e talvez se tornar seu amigo.

“… Shuria acha que ela realmente deveria ser mais cuidadosa sobre não ser exageradamente familiar, no fim das contas.”

Espíritos tendiam a ser caprichosos e difíceis de se agradar. Eles também pareciam ser tímidos e não realmente gostam de se mostrar para as pessoas. Eles podem se esconder do homem médio com facilidade enquanto eles quiserem, mas os Olhos Escarlates de Shuria podiam achá-los porque eles eram basicamente pedaços de magia ambulantes.
Era por isso que quase ninguém os viu, a não ser que eles queiram se revelar.

“… Shuria terá certeza de pedir para ele ser seu amigo da próxima vez que nos encontrarmos.”

Shuria sabia que haviam itens lá fora que podiam invocar espíritos, mas eles eram realmente caros. A pessoa comum nunca sequer seria capaz de ver um, muito menos usar um. Yumis tinha um, mas ela não era capaz de deixar Shuria ver ele por causa do quão delicado ele era.

(Shuria provavelmente precisará falar com ele sobre algo que lhe interesse, mas Shuria não é realmente boa em manter longas conversas…)

Shuria continuou a pensar no que se mexia pela banheira.

Shuria nunca havia visto um espírito antes, então Shuria quase confundiu Kaito com um fantasma quando viu ele primeiro, mas ele realmente se materializou, e Shuria foi até capaz de tocá-lo, então ele tinha que ser realmente um espírito real.

“Shuria terá certeza de arrumar alguns tópicos prontos antes da hora para que Shuria não entedie ele da próxima vez que nós conversarmos.”

Shuria saiu do banho, se secou, colocou sua camisola, e começou a usar uma toalha para secar seu cabelo.

Shuria então usou um jarro para encher seu copo com água antes de pegá-lo com ambas as mãos e beber tudo de uma vez. Um copo não era o suficiente, então Shuria repetiu a ação três vezes antes de estar finalmente satisfeita. Virar cada copo de uma vez era algo que o velho homem que vivia na casa ao lado ensinou Shuria quando ela era pequena. Ele disse que essa era a etiqueta correta depois de sair do banho. Para ser honesta, o jeito certo de fazer isso era colocar uma das mãos no quadril enquanto bebia, mas, a mãe de Shuria deu bronca quando viu ela fazendo isso, então Shuria acabou apenas segurando o copo com ambas as mãos ao invés disso. (NT: Quanto mais forço a 3ª pessoa, mais eu entendo porque em inglês ligaram o foda-se para isso…)

E então, com o corpo de Shuria todo aquecido, Shuria finalmente se esfregou até a cama. Yumis contou para Shuria que seriam apenas mais alguns dias antes da magia de Shuria ser transferida para ela.

Logo seria hora para Shuria se despedir do quarto que tinha na mansão de Yumis. Shuria foi dita que eu podia levar todos seus animais de pelúcia com ela, mas Shuria ainda não conseguia evitar de se sentir um pouco solitária, mas isso estava tudo bem. Porque Shuria finalmente ia começar a viver com sua mãe e Shelmy de novo.

“Espera! Oh não! Como Kaito saberá como achar Shuria assim que ela deixar este lugar!?”

O corpo de Shuria se ergueu para fora da cama com uma arrancada. No começo, Shuria pensou que podia apenas pedir para Yumis redirecionar ele, mas Shuria então percebeu que ela nunca será capaz de vê-lo a não ser que ele se mostre para ela, porque ela não tinha os Olhos Escarlates. Além do mais, ele pediu que Shuria mantivesse tudo sobre ele um segredo, até dela.

No fim, Shuria nunca foi capaz de descobrir o que fazer. Ao invés disso, Shuria apenas acabou adormecendo enquanto perdida em pensamento.

“Está tudo pronto, Shuria! O feitiço finalmente terminou de fazer seu trabalho. Obrigada por aguentar por tanto tempo.”

A irmã mais velha de Shuria a visitou alguns dias depois, seu rosto decorado com um sorriso gentil. Shuria já sabia que ela veio informar Shuria, não só porque ela contou para Shuria que o dia estava chegando, mas também porque os Olhos Escarlates de Shuria haviam a permitido ver a magia que girava ao redor dentro da sala havia finalmente se dissipado.
O primeiro pensamento que veio à mente foi que Shuria infelizmente não seria capaz de encontrar Kaito de novo, afinal.

“… Isso significa que Shuria finalmente pode ir para fora de novo?”

“Yup. Veja só, eu na verdade havia planejado para hoje ser uma folga. O que você diz de dar um passeio juntas?”

“… Um passeio? Isso soa ótimo.”

“Okay. Eu acho que isso está acontecendo, então. Sori, você poderia por favor deixar tudo pronto?”

“Sim, senhora. Considere suas ordens recebidas.”

Sori se curvou uma vez e deixou o quarto.

Shuria era finalmente capaz de ir para fora pela primeira vez em um longo tempo, e Shuria ia passar tempo com Yumis ainda por cima. Shuria não conseguia esperar.

“Parece que hoje vai ser realmente um bom dia.”

“Parece.”

Yumis sorriu de sua forma usual, gentil no que ela respondeu Shuria.

Yumis levou Shuria pelas ruas de Ermia para que nós pudéssemos fazer compras. Shuria não esteve composta o suficiente para olhar ao redor quando chegou pela primeira vez, então era na verdade sua primeira vez dando uma boa olhada para a cidade.

“Ermia é enorme! Shuria acha que disse isso quando veio pela primeira vez também, mas há tantas pessoas e tantas lojas!”

“Fufu, Ermia é de fato uma cidade razoavelmente grande. Deve ser uma bela visão para alguém que nunca viveu fora de uma vila antes.”

A irmã mais velha de Shuria se disfarçou ao colocar um grande chapéu e um par de óculos. Do mesmo modo, Shuria também estava usando um chapéu, mas ele era vários tamanhos maior do que Shuria, e fez com que você difícil para Shuria ver.

“… Yumis, Yumis! O que é aquilo!?”

“Aquilo é um item mágico que deveria lhe deixar acender um fogo. Nós na verdade temos um desses na cozinha lá em casa.” (NT: Fogão.)

“E aquilo?”

“É um dos muitos jogos de tabuleiro que as pessoas jogam em seu tempo livre.”

O clima estava ótimo, então os mercadores estavam chamando por todos que por acaso passassem por suas lojas e estandes de uma maneira animada. Olhando ao redor, Shuria percebeu que o número de pessoas andando por esta rua sozinha já era bem maior que o número de pessoas que viviam na vila inteira de Shuria.

“Oh…”

“O que foi desta vez? Oh, entendo. Aquele adorável animal de pelúcia deve ter pego seu olho.”

Shuria viu uma série de largas, brancas pelúcias em forma de gato sentadas num estande por perto vendendo itens diversos. Elas estavam segurando um garfo em uma mão, uma faca na outra e vestiam um babador com uma substância tipo ketchup espalhada por toda parte. Shuria não pôde deixar de congelar no momento que as viu, ao que sua irmã mais velha reagiu com um risinho.

“Olá. Quanto é por um desses?”

“Um lhe custará oito moedas de cobre grandes.”

“Soa perfeito. Eu levarei um. Aqui, Shuria. É seu, então você segure ele, okay?”

“… Shuria pode realmente ter ele?”

“Ahaha, eu já fui e comprei, então se qualquer coisa, eu ficaria mais incomodada se você apenas não aceitasse ele.”

Shuria estava realmente feliz. Claro, seu humor tinha em parte surgido do fato que Shuria recebeu um animal de pelúcia fofinho, mas era principalmente porque sua gentil irmã mais velha havia pessoalmente lhe dado um presente.

Shuria não podia deixar de sorrir no que ela deu à pelúcia um grande abraço.

“Parece que é por volta da hora do almoço. O que você diz de nós seguirmos até o parque para que possamos achar um local para comer os sanduíches que Sori preparou para gente?”

“Isso soa maravilhoso.”

Yumis levou Shuria em direção de um parque lindo. Shuria havia visto fotos de parques muitas vezes antes porque eles eram frequentemente ilustrados nos livros que lhe foram dados, mas Shuria nunca tinha tido a chance de ver um pessoalmente. A vila nunca teve nada tão chique assim.

Nós pegamos um banco, nos sentamos e cada uma comeu metade dos sanduíches da cesta que nos foi dada. Nós duas havíamos comido juntas várias vezes no passado, mas o almoço de hoje parecia que era extra especial.

Nós continuamos comprando por aí mesmo depois que nós terminamos o almoço. Shuria teve tanta diversão que o tempo quase parecia voar; a noite veio antes de Shuria perceber.

“Hum… você realmente estava bem com passar hoje com Shuria, Yumis? Shuria se divertiu bastante, mas…”

“Tem algum problema?”

“Shuria estava um pouco preocupada que Shuria havia estragado sua folga. Shuria meio que sentiu que você estava apenas deixando Shuria ter toda a diversão.”

“Não ligue para isso. Hoje foi a primeira vez que eu fui às compras em um bom tempo, então eu estava tendo tanta diversão quanto você estava. Além do mais, eu estava apenas celebrando a completude do meu feitiço de três anos, de qualquer forma, então você não se preocupe, okay?”

Yumis sorriu gentilmente para Shuria de novo.

“Parece que o sol vai se por em breve, então por que nós não vamos para nosso próximo destino?”

“Nosso próximo destino?”

“Veja só, a verdade é, sua mãe e irmã estão vindo para Ermia hoje!”

“Espera… sério!?”

“Haha, eu não lhe contei porque eu queria manter isso como um pouco de surpresa, mas Sori, sua mãe e irmã estão atualmente trabalhando juntas para poderem deixar uma festa pronta.”

(Não consigo acreditar…! Shuria finalmente pode ver sua mãe e Shelmy!)

Shuria nunca esteve entediada porque Yumis visitaria, e porque Shuria conseguiria trocar cartas com sua mãe e Shelmy uma vez por mês. Mas Shuria sempre se sentiu um pouco solitária.

Já se passaram três anos inteiros desde que Shuria havia visto por último o resto de sua família.

Shuria já sabia que não seria capaz de vê-las por um longo tempo, mas três anos pareceram ser muito mais longo do que Shuria estava esperando.

“Tudo bem, vamos lá. Todos devem estar esperando por você na sua nova casa.”

“Claro! Shuria não consegue esperar!”

Shuria andou pela noite com sua irmã mais velha ao seu lado. Shuria conseguiu se impedir de correr pelas ruas escurecidas, mas Shuria não conseguia conter os sentimentos que estavam passando pelo seu peito. Três anos haviam finalmente se passado. Shuria ia finalmente conseguir ver sua família de novo.

Shuria não tinha ideia de onde nós estávamos indo, então Shuria teve certeza de ficar um passo atrás de Yumis e deixar ela guiar Shuria na direção certa.

E essa foi a razão pela qual Shuria não sabia a expressão que ela tinha naquela hora.

ANTERIOR | ÍNDICE | PRÓXIMO

Uma resposta em “[NnY] Capítulo 46 – O Dia em que o Mundo de um Certo Indivíduo lhe Deu as Costas (1)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s