[TWwCP] Capítulo 62 – Uma Questão Problemática Surgiu

Por um lado, eu gostaria de doações para capítulos patrocinados, por outro, eu não estou com tempo nem para matar a dívida de NnY, então… mas enfim, vamos lá – Este capítulo foi traduzido de Junk Burst.


Capítulo 62 – Uma Questão Problemática Surgiu

O café da manhã na manhã após a primeira vez com Sylphy.
Por alguma razão, eu me senti esquisito olhando para Aisha.

Claro, Aisha esteve apoiando Sylphy, e na noite passada ela não veio para meu quarto.
… Eu entendo, mas… mas isso ainda é de algum modo esquisito.

Aisha parecia extremamente normal, e nada mudou.
É por isso que, eu acho que eu sou o único com esta sensação de esquisitice.

A propósito, falando da Sylphy… como eu digo isso, é extremamente fácil de entender que ela esteve embaraçada todo esse tempo.

Toda vez que Aisha perguntava o que aconteceu, ela envergonhadamente olhava para baixo.

… Honestamente, eu nunca esperava uma Sylphy assim.

De qualquer modo, eu não acho que será bom se isso continuar.
Esta é a parte onde eu, o homem, devo me recompor!

Eu não posso só deixar as coisas ficarem esquisitas assim! (NT: Na realidade, está escrito “dizer coisas como esquisito”, mas pode ter sido erro de digitação…)

Nós viveremos juntos de agora em diante, então eu terei que agir naturalmente sobre isto.

“Mais!”

Segurando minha tigela para Aisha, eu tive ela me colocando mais da sopa de carne.
Eu então comi com gosto.

Como esperado de 【Culinária Lv6】! Não importa o quanto eu coma, eu não me canso disso, e está rapidamente entrando no meu estômago.

Olhando para mim, Sylphy também parecia estar gradualmente recuperando sua aparência usual e pediu mais para Aisha.
Isso pode ter parecido um pouco forçado, mas isto deve ficar tudo bem, certo?

… Bem, tanto faz.

Vamos comer mais uma porção.

◆◇◆◇◆◇◆◇◆◇◆◇

Uma semana se passou num piscar de olhos.

Prefeito-san veio para nosso casa, e Artesão veio para uma inspeção preliminar do local da Casa do Clã.
Além do mais, o especialista de construção da capital também veio.

Minha nossa, o tempo realmente voa…

Então, a frenesi foi aumentada pela esposa do Alquimista-san.

Apesar do meu pedido para ela “Por favor não conte para ninguém!”, ela inintencionalmente falou sobre isso.
Apesar disso não ter causado qualquer caos, se espalhou bastante.

Os oji-sans e oba-sans no distrito do mercado à quem eu devo bastante, me parabenizaram um a um e trouxeram todos tipos de coisas. (NT: Oji/Oba = Tio/Tia, alguém velho, mas não idoso – masculino e feminino, respectivamente; se for Ojii ou Obaa, são idosos)
É porque eu devo bastante à eles que eu sei que eles são genuínos, e eu estou feliz por isso, mas… (NT: De novo, essa coisa de “dever bastante” é por eles cuidarem dele, não é que o Myne tem o nome do SPC)

… Eu recebi bastante bronca pela Sylphy.
Então… eu também dei bastante bronca para a esposa do Alquimista-san.

“Apesar de eu também ser culpada por não lhe contar para não falar, mas eu esperava que você pudesse pensar um pouco mais… Danna-sama.”

Eu pensei que eu tinha que contar para ela porque eu devia bastante para ela, mas eu certamente não fui prudente o suficiente.
Eu preciso pensar bem, bem mais fundo.

… Eu refleti bastante, sabe.

A propósito, a esposa do Alquimista-san também parecia ter sido fortemente mastigada por seu marido.
Un, por favor reflita com todo seu coração.

No que eu estava fazendo um rosto assim e olhando para Madame-san que estava recebendo bronca, Sylphy me encarou.

… Ah, eu também, huh. Me desculpe.

Então, provavelmente porque a questão de nós termos sido repreendidos se espalhou, o auê se acalmou consideravelmente.

… Assim que eu pensei isso.
Uma bomba ultrajante caiu em minha casa.

 

“Nós ouvimos que Sua Alteza Sylphy está aqui e chegou. Sua Alteza estaria disposta em nos encontrar?” (NT: Eu posso ter traduzido erroneamente “Alteza” por “Majestade” em capítulos anteriores, mas neste capítulo eu precisava diferenciar os dois, então agora está bem separado… – eu não pretendo caçar e arrumar isso, mas enfim)

Alguém parecia estar visitando.
Eu ouvi uma voz vindo de fora.

“Si–m, chegando~!”

E u respondi, e quando eu fui em direção da entrada, o que entrou nos meus olhos era a figura de uma carruagem imponente.
A carruagem inteira estava estava coberta num preto bem escuro, e as bordas estão ornamentadas com uma cor dourada, uma carruagem de aparência extremamente extravagante.

Aah, isto… é sem dúvidas a carruagem de um nobre.

E aquele que esteve chamando na entrada é um ojii-san vestido magnificamente num uniforme estiloso de mordomo com um esplêndido bigode.

“Você é o dono desta casa? Nós chegamos para vistar Sua Alteza Sylphid…”

Parece que ele tem assuntos com Sylphy.
Bem, isso é compreensível… não tem como um mordomo servindo um nobre assim tivesse vindo me visitar.

“… Sim, ela está.”

No que eu respondi isso, um homem vestindo roupas elegantes com ornamentos excessivamente extravagantes nelas veio da carruagem.
Ele parece ser mais velho que Sylphy.

Ele provavelmente é um nobre desta cidade, mas… eu não conheço ele mesmo.
Eu não tenho qualquer interesse, mas eu provavelmente não posso dizer mais isso de agora em diante, huh…

Eu imagino se ele está aqui para cumprimentar Sylphy, sabendo que ela está aqui pela conversa espalhada pela Esposa do Alquimista-san?

No que eu estava pensando isso enquanto olhava para aquele nobre, a primeira coisa que saiu de sua boca foi algo inacreditável.

“Aah, qual o sentido disto!
Para uma nobre e amável pessoa como Sua Alteza Sylphid ficar em um barraco pequeno e imundo desses…!”

 

! ! ! ! !

 

… O que ele disse… Este cara, que diabos ele acabou de dizer?
Ele está esnobando a casa que Otou-san e Okaa-san deixaram para trás!!?

Bem quando eu estava para protestar, eu lembrei que ele é um nobre.

Isso mesmo, Sylphy me disse antes.
Que eu tenho que pensar mais antes de eu agir.

Não adianta, se eu fosse reclamar sobre um nobre… eu não sei o que acontecerá.
Se for depois que eu me casar com Sylphy, estaria tudo bem, mas como eu ainda sou um plebeu…

… Contudo, eu me sinto muito humilhado.

Para mim, esnobar esta casa é o mesmo que esnobar Otou-san e Okaa-san.
Ele naturalmente não notou minha humilhação, não, mesmo se ele tiver percebido, ele apenas considerará como inferior.

Este nobre estava determinado em continuar a esnobar eu e esta casa.

No que eu peguei meus punhos bem apertado e cerrei meus dentes, Sylphy e Aisha saíram imaginando o qual o problema.

Então, o nobre orgulhosamente falou sobre isso, e naturalmente Sylphy e Aisha ouviram sobre ele insultar eu e minha casa.

“… Você está falando até que bastante sobre meu parceiro e essa casa, não está? Claude Roselia.”

Enquanto Sylphy estava segurando sua raiva, ela chamou pelo nobre… aliás, Claude.
Ele provavelmente não sentiu a raiva de Sylphy, e cumprimentou Sylphy em uma maneira calma.

“Ooh! Vossa Alteza!!! A quanto tempo.
Minha nossa, você está tão amável quanto sempre!! Mesmo em um lugar sujo desses, a beleza de Vossa Alteza não foi nem um pouco manchada!
Além do mais, essa não é a recepcionista da guilda Aisha-dono ali!
Ser capaz de ver duas beldades incomparáveis juntas com esses olhos, eu, Claude, estou extremamente alegre.”

… Este cretino! Ele está sendo a porra de um esnobe com a casa de novo! (NT: Tem um “fucking” que eu queria passar, por isso que ficou assim ao invés de só “esnobando a casa de novo”)

Você é estúpido? Você é estúpido, não é!? Não vê que Sylphy está brava?
Aisha também parece bem brava, e normalmente, você notaria isso!

… Parece que o mordomo notou a atmosfera perigosa.
Este nobre estúpido não liga nem um pouco para as condições de Sylphy e Aisha.

“… Bocchan, bocchan, você não pode fazer isso.” (NT: Em inglês, eles traduziram e está escrito “jovem mestre”, que eu me lembre, o termo para esses casos é “bocchan”… pode ser outro, mas sei lá agora – só quis manter em japonês porque fica melhor para meu gosto)

O mordomo tentou impedir ele num pânico, mas ele está tarde demais.

“… Um nobre como você veio aqui para comprar uma briga comigo?”

Sylphy finalmente surtou.
Olhando para a situação, o nobre Claude finalmente entendeu a situação.
“N, nem um pouco! … N, não… Vossa Alteza… vivendo num lugar sujo desses, lamentando, não, hum…”

“Oh, é mesmo, eu entendo. Por que eu não aceito seu desafio” (NT: Faltou a interrogação, mas isso acontece bastante em novels… em inglês, é evidente que é uma pergunta pela ordem das palavras…)

Como esperando, pensando que seria ruim se isto continuar, o mordomo se forçou no meio.

“Por favor perdoe esta rudez, Claude-sama não tem qualquer má intenção, e estava pensando em Vossa Alteza Sylphid.
Por favor entenda e nos perdoe.”

Olhando para o mordomo se curvando profundamente, Sylphy soltou um suspiro e cruzou seus braços.

“… Não haverá uma próxima vez.”

Sylphy apertou os olhos e encarou o mordomo e o nobre Claude.
No que ele parecia de algum modo ter conseguido perdão, ele estava notavelmente aliviado.

“… Colocando de lado você vir aqui para comprar uma briga comigo, pelo que diabos você veio aqui?”

Ele provavelmente recordou por fim seu assunto.
O nobre Claude tirou uma coisa estilo carta do seu bolso no peito.

“Eu ouvi que Vossa Alteza se casará.
… eu ouvi que o parceiro de Vossa Alteza será um plebeu, então as pessoas que propuseram para Vossa Alteza até agora, incluindo eu, não podemos consentir… é por isso que nós temos uma proposta.
Antes da cerimônia de casamento, nós gostaríamos de jogar um jogo com o parceiro de Vossa Alteza.
Se ele ganhar, nós seremos obedientes e daremos nossas bênçãos para o casamento de Vossa Alteza.
Se ele perder, nós queremos que esse casamento seja cancelado.
Sua Majestade disse que se Vossa Alteza concordar, Sua Majestade aprovará.”

Enquanto dizia isso, ele entregou a carta que ele tirou de seu peito.

“Por que eu tenho que ter as bênçãos de vocês cretinos? Não tem jeito de eu aceitar isso.
Isso é tudo, certo? Saia imediatamente da minha frente, só seu rosto já me deixa desconfortável.”

Rejeitado claramente por Sylphy, ele fez uma expressão humilhada por um momento, antes de me encarar.

“Você lamentará isto, Vossa Alteza!”

Deixando atrás uma linha indesejada, o nobre Claude que subiu em sua carruagem retornou.

“Me desculpe, Danna-sama… isto é tudo minha culpa.”

“Uun, isso não é verdade. Todos eles são os culpados…”

Eu estou curioso sobre as palavras finais dele, mas por ora, a questão problemática se foi.

ANTERIOR | ÍNDICE | PRÓXIMO

Anúncios

Uma resposta em “[TWwCP] Capítulo 62 – Uma Questão Problemática Surgiu

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s