Capítulo 245: Tomada

… tá acabando, tem capítulos feitos pouco antes e terá mais um, vamos lá… – Este capítulo foi traduzido da Anri-sama.


Capítulo 245: Tomada

“O país para você mesmo? Você ficou senil?” (Judom)

Judom encarou Avoros que disse aquelas intenções insanas, onde o último apenas respondeu com uma risada.

“Para te dizer a verdade, nós na verdade planejamos tomar vantagem desta situação através do coup d’etat daquele lixo agora pouco…” (Avoros)

Pela menção do lixo de que ele fala, Judom olhou para a cabeça arrancada de Lorde Jance, o primeiro na lista da facção anti-Judom.

“Mas se o coup d’etat realmente acontecer, eu perderei um monte de peças para usar.” (Avoros)

“Huh?” (Judom)

“Ahaha, eu estou falando sobre os soldados restantes deste país, bobinho. Eu ficaria preocupado se eles morressem por uma razão sem sentido.” (Avoros)

Na menção daquelas palavras, Judom finalmente recordou outro nome desta pessoa.

《Necromante》…  O poder de chamar os mortos e livremente os empregar em seu controle. E outro pensamento subitamente veio à ele.

(… Para poder usar os mortos, não é necessário que os corpos devam estar mortos?)

No que Judom imaginou isso, não seria mais conveniente se ele pudesse juntar mais corpos mortos através do coup d’etat. (NT: Novamente, autor não sabe pontuar direito… e eu acho que ele tem que matar pessoalmente para funcionar, acho)

Contudo, o jeito que ele disse soou como se ele ficaria com problemas se eles morressem. Qual é o sentido disto…

(Então ele não consegue realmente trazer os mortos? Isso tudo era um rumor? Ou havia uma condição primeiro antes deles morrerem?)

Muitas dúvidas vieram à mente dele, mas ele descartou isso por ora no que não era a hora de pensar em tais coisas.

“O que você planeja fazer ao tomar a propriedade deste país?” (Judom)

“Que embaraçoso, 《Rei do Impacto》, não é normal para nós reis terem um país que devemos governar?” (Avoros)

“… Por que este país?” (Judom)

“Kukuku, você realmente não sabe a razão?” (Avoros)

Avoros tentou testou Judom, claro que ele estava ciente disto. Mas ele não respondeu e aguardou pela resposta dele em silêncio.

“Não tem o que fazer. Eu irei lhe satisfazer um pouco. Normalmente, o melhor candidato seria o 【País Demônio】, até eu tinha inicialmente planejado tomar ele.” (Avoros)

Isso é natural porque ele era o Maou Predecessor.

“Mas é um pouquinho difícil.” (Avoros)

“…?” (Judom)

“Falando de forma simples, invadir aquele lugar é um pouco difícil de se fazer. Um monte de forças poderosas estão reunidas ali, então eu desisti disso sem ter o que fazer.” (Avoros)

Certamente, o que ele disse era verdade. É a terra natal da raça 『Evila』 e com a atual aliança que eles estavam estabelecendo, era virtualmente impossível conquistar 【Xaous】 facilmente.

“Que tal o 【Reino das Feras】?” (Judom)

Naquela questão, Avoros só deu de ombro e riu desdenhosamente.

“Ahaha, por favor pare de brincar comigo. Diante daquele fedor de feras, até eu desistiria disso.” (Avoros)

Aparentemente, o ponto inteiro é que ele apenas não gosta daquele lugar. E com isso também fora, era razoável que Avoros fosse selecionar 【Victorias】 como a última opção.

“Com a ausência do rei deles, os soldados aqui estão inquietos, e a maioria dos potenciais de guerra, incluindo os oficiais comandantes, morreram na guerra, seria certamente mais fácil tomar este país com tal instabilidade.” (Judom)

“Não é? Eu estou planejando isto para fazer disso meu apoio para declarar minha guerra contra este mundo.” (Avoros) (NT: Apoio, base, onde coloca o pé para começar)

“… Duas raças se aliaram, e este país quase não tem força suficiente para lutar. A situação está firmemente seguindo em direção de paz sem conflito. Mas apesar disto tudo, vocês cretinos ousam erguer outro inferno de novo!” (Judom)

Para ser honesto, Judom planeja começar uma aliança com as outras duas nações assim que ele reconstruir este país do zero. É verdade que há ainda muitas incertezas entre as outras duas raças.

Contudo, seria, no mínimo, benéfico estabelecer um acordo similar à um tratado anti-guerra. Para que eles pudessem pouco a pouco entrar na aliança entre 『Evila』 e 『Gabranth』.

Apesar disso poder levar tempo, Judom buscou um futuro onde eles seriam capazes de ter uma aliança real com duas raças e apoiar um ao outro.

E do nada, esta rebelião chega. É como se ele tivesse previsto todos os movimentos deles. Era inimaginável para Judom para esta pessoa atingir o país que ainda estava no meio de se recuperar de suas percas.

“Inferno, huh? Kukukuku!” (Avoros)

Avoros levemente se afastou do olhar de Judom e então,

“Você certamente não acredita que esta idade de guerra está para acabar, acredita?” (Avoros)

“… que tem isso?” (Judom)

“Não está acabando ainda. Ou aliás, eu não deixarei acabar ainda.” (Avoros)

“Seu cretino, o que você está tentando dizer?” (Judom)

“Meu desejo só virará verdade em tempos de guerra. Se uma guerra acabou, então eu só preciso começar outra… para prolongar o caos.” (Avoros)

“Que monte de merda!” (Judom)

Vindo de Judom, uma pressão similar à uma onda de choque seguiu em direção de Avoros. Mas Avoros apenas cerrou seus olhos e segurou uma mão sobre a onda de choque.

Bachin!

A onda de choque se dispersou como estava. E Avoros continuou com suas palavras.

Agora deixe a dominação mundial começar.” (Avoros)


Era um lugar muito escuro…

Ele não tinha certeza de onde ele estava. Mesmo quando sua consciência estava estranhamente mais clara, apenas escuridão estava presente ao redor, como se ele estivesse envolto pela pretice dela. (NT: Eu juro que é basicamente isso, pretice, que está escrito)

Por que ele está num lugar assim… quando ele tentou se mover para procurar por luz, ele não conseguiu. Parece que sua liberdade foi restrita.

Contudo, por causa de seu impaciente remeximento, ele descobriu um pequeno grão de luz.

Parecia uma estrela flutuando no céu escuro, mas ela também passava uma impressão de um vaga-lume voando como uma fraca luz nesta escuridão.

Quando ele focou todos seus sentidos em direção à ela por um longo tempo, a luz gradualmente começou a crescer.

E ela se tornou um flash estonteante que atacou seu corpo inteiro.

“… ku.” (Olimar) (NT: Eu traduzo lendo, nem sei quem é também)

Seu corpo parecia languido, seus olhos pareciam pesados. Ainda, ele tentou abrir seus olhos lentamente e viu um teto familiar. Apesar de sua mão direita estar tremendo, ele a estendeu em direção da vista nostálgica.

Ele segurou suas mãos várias vezes reconhecendo que ele a conseguia mover.

“Eu… sobrevivi?” (Olimar)

Ele olhou para o maltrapilho de sua mão direita fina para estimar quanto tempo ele esteve dormindo aqui.

Mesmo que ele tentasse mover seu corpo, ele não agia como ele queria. Era como se os músculos em seu corpo inteiro estivessem enrijecidos.

A única coisa que ele conseguia mover era sua mão direita. Contudo, ela também caiu em seu peito no que ela alcançou seu limite. Aparentemente, ele não morreu…

Enquanto pensava tais coisas, uma atmosfera cobriu seus arredores no que ele moveu apenas seus olhos em resposta. Ele não sabia o que era, mas algo estava errado.

Naquela hora, o som da porta sendo aberta foi ouvido. Apesar de alguém ter entrado, ele não conseguia confirmar quem ou o que era com seu corpo estilo paralisado.

Enquanto tentava manter sua consciência, ele encarou adiante aguardando pelo visitante. E então ele notou a identidade do visitante que fez ele se sentir um pouco aliviado. Era a pessoa que seu pai uma vez o introduziu, Judom Lancaster.

Sua memória estava vaga depois disso. Quando ele tentou falar com Judom, ele estava terrivelmente surpreso mas logo sorriu em resposta. De algum modo, essa aparência parecia similar ao pai dele.

Mesmo quando ele estava rindo por fora, havia uma tristeza e solidão dentro disso, um sorriso complexo misturado com arrependimentos.

Pensando de volta, podia ser um sorriso para que ele não se sinta desconfortável, mas depois de saber o que aconteceu com ele, e porque Judom saltou para este lugar… pela primeira vez, ele entendeu a dor que Judom esteve passando.

Judom então pegou seu frágil corpo com ele para fora enquanto se protegia. Quando ele pensou nas pessoas meio colapsadas como seus aliados, ele caiu numa situação perigosa, e de algum lugar, uma bela mulher apareceu e emprestou sua assistência para eles. Mas sua consciência saiu naquela hora.

Quando ele acordou de novo, ele foi dito o que aconteceu depois disso, e a notícia mais desesperadora de sua vida.

Anúncios

2 respostas em “Capítulo 245: Tomada

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s