Capítulo 45 – Nossentes

Primeiro capítulo do ano, tomara que este ano não seja tão desgraçado como o passado… apesar que eu sei que estarei bem mais ocupado… mas vamos lá – Este capítulo foi traduzido do Lunaris.


Capítulo 45 – Nossentes

Na manhã seguinte, Yuusuke fez uma checagem final em suas malas com que ele havia terminado de fazer noite passada para sua viagem. Uma troca de roupas, diferentes tipos de pano, que ele usa como material para customização em preparação para uso e gasto, e diferentes tipos de comida.

A missão para Nossentes só começará oficialmente depois de um resumo de instruções dos detalhes no palácio.

Devido ao pequeno alvoroço ontem, os criados da casa começaram a tratar Sun com o mesmo respeito que Yuusuke. Eles também começaram a colocar seu profissionalismo para trabalhar em servir os residentes da mansão. Yuusuke, que notou isso, acenou no que ele disse, “agora eu posso partir para Nossentes com paz de mente”.

“Sun, eu tenho algo que gostaria que você fizesse em minha ausência.” (Yuusuke)

“Sim? O que é?” (Sun)

Yuusuke confiou à Sun um “Anel de Artes de Vento”, que ele então contou para ela dar ao vice-capitão da Corps de Arte de Vento 4 dias depois. Apesar dele poder ter pedido para Violet fazer isso, mas conhecendo o temperamento dela, algumas situações problemáticas podem ocorrer.

Para poder evitar um alvoroço desnecessário, Yuusuke decidiu confiar ele à Sun no que ela já era conhecida dentro do palácio.

“Bem, então, eu voltarei o mais breve possível.” (Yuusuke)

“Te vejo mais tarde, Yuusuke-san.” (Sun)

Sun gentilmente soltou suas mãos do braço de Yuusuke. Já havia se tornado um movimento usual para Sun fazer este gesto como um tipo de amuleto de boa sorte toda vez que ele saía, ‘Yuusuke terá qualquer reação à isso?’ No que ela estava pensando sobre isso, Yuusuke gentilmente acariciou o cabelo branco dela.

Sun, que ficou surpresa pelo momento, estava piscando intensivamente, no que suas bochechas ficaram coradas em vermelho, e ela então enviou um sorriso felpudo para Yuusuke.

Yuusuke começou a descer até o saguão central, seu mordomo e 2 outros criados ficaram diante da porta no que eles enregaram suas despedidas para verem seu mestre partir. (NT: Ele desceu do foyer até o saguão central, mas eu não faço ideia do que seja isso, pelo que vi tem origem francesa, e é algo como lareira/casa… então nem coloquei)

“Cuidem de Sun em minha ausência.” (Yuusuke)

“Afirmativo pela vossa vontade. Entendido.” (Jeffrey) (NT: Esse afirmativo é feito de uma forma super formal)

Yuusuke subiu em sua carruagem pessoal que estava estacionada ao lado da entrada, e deu suas instruções finais ao seu mordomo que então retornou para a mansão.

***

“Agora, aqui está o geral da missão.” (Kreivol)

Nos andares superiores do Palácio de Volance, a Corps do Deus da Escuridão estavam foram concedidos oficialmente com uma carta escrita à mão pessoal. Ela era para ser entregue para a capital de Nossentes, Patrucia Nost, com os embaixadores de Fonclanc. Eles então ficarão lá por vários dias antes de retornarem para casa.

Oficialmente, a Corps do Deus da Escuridão ia carregar a carta pessoal do Rei Esvobus, mas na verdade eles estavam lá para serem os seguranças dos embaixadores.

“Normalmente, uma comitiva consistindo de diferentes cavaleiros do palácio seria organizada e formada, essas pessoas seriam cuidadosamente selecionadas para formar o grupo para uma missão diplomática, mas…” (Kreivol)

Atualmente, Nossentes e Gazzeta estão numa guerra fria, e é apenas neste período de tempo que eles tinham para priorizar e tomar uma decisão rápida, no que Kreivol explicou a situação se tratando da visão geral da missão. Antes de embarcar na jornada principal, eles irão até uma pequena cidade no sul de Sanc Adiet, onde eles irão passar a noite.

No primeiro dia da jornada, eles seguirão para uma cidade portuária nas redondezas do Lago Espelho da Lua, onde a jornada deve levar um dia inteiro, e depois eles irão residir lá por uma noite. No dia seguinte, eles subirão num barco para cruzar o lago e ancorar na península de Trent Rietta, e então eles estarão à pé de lá até o meio da península, onde eles armarão um acampamento.

No terceiro dia, eles continuarão a avançar pela outra metade da península até eles alcançarem o arredor do sul da borda, lá eles irão se juntar à uma comitiva que está marcada para ser despachada de Nossentes. No último dia, eles irão subir a carruagem que levarão eles ao destino final deles, Patrucia Nost.

Se tudo correr de acordo com o plano, eles entrarão na capital de Nossentes no começo da tarde do 4º dia.

“Perceba que, na península de Trent Rietta podem haver ataques de feras mágicas, então por favor tomem as precauções necessárias.” (Kreivol)

“Eu não experienciei qualquer encontro com uma fera mágica antes, há quaisquer planos para lidar com elas?” (Yuusuke)

“Elas são apenas os animais selvagens perigosos básicos que não devem causar um enorme problema.” (Vermeer)

Essas feras mágicas parecem ter evoluído de animais carnívoros que haviam comido usuários de artes divinas. Eles herdaram a habilidade de artes divinas das vítimas, fazendo essas criaturas sofrerem mutação. No que elas evoluíram, elas receberam o mesmo tipo de artes divinas que as vítimas delas tinham. Depois disso, elas tinham uma tendência à ir buscar humanos com o mesmo tipo de artes divinas que elas.

Se alguém entre eles fosse um alvo de um ataque, eles teriam um tempo fácil para julgar e repelir o ataque sem ninguém se machucar.

Entre a hierarquia de feras mágicas, há aquelas que evoluíram em tipos carnívoros e as outras que por alguma razão adotaram virar um herbívoro, uma fera mágica do tipo planta. Feras herbívoras raramente atacavam humanos, logo elas são normalmente deixadas quietas no que elas não parecem ser perigosas.

“O tipo de fera mágica de planta é geralmente fraco contra fogo, então ele dificilmente deixa a floresta. Então quando nós estivermos acampando, enquanto nós mantermos o fogo acesso pela borda da floresta, nós devemos ficar bem.” (Vermeer)

“Entendo.” (Yuusuke)

Parece que Vermeer e os outros tinham experiência em lidar com feras mágicas. Apesar que, pelo caminho, nós temos que prestar atenção à qualquer tipo de ataques perigosos que possam ser feitos por grupos armados tais como bandidos.

“Então agora, que as fortunas da guerra abençoem vocês no sucesso desta missão.” (Kreivol)

“Não façam nada muito irrazoável. Todo mundo deve voltar seguramente.” (Violet)

Violet rezou pela segurança de todos no que a Corps do Deus da Escuridão começou sua jornada de Sanc Adiet até a capital de Nossentes.

***

A corps do deus da escuridão e os embaixadores chegaram em seu primeiro destino, a pequena cidade no sul, por volta da noite. Ao usar a curta viagem de hoje, eles se condicionaram para a longa jornada de amanhã.

Para que os 3 embaixadores aguentem a longa viagem, 2 a 3 planos foram criados antes da confirmação final. Depois do que, eles seguiram de volta para o hotel para descansar seus corpos em preparação para a jornada do dia seguinte. (NT: Acho que eles discutiram o caminho ou algo assim… ficou estranho, mas é isso)

“Isotta.” (Yuusuke)

“Ah, Capitão…” (Isotta)

“Mandando o relatório de hoje?” (Yuusuke)

“Sim.” (Isotta)

Isotta estava atualmente concentrando numa estrada espaçosa enquanto encarava em direção de Sanc Adiet, usando suas artes de vento de transmissão para relatar que nada grande havia acontecido pelo dia. Para aqueles que estão numa missão que requer movimento constante, contato regular através de transmissões de arte de vento tinham um papel crucial.

“Eu, sempre… quis ir numa missão assim, esta é minha primeira vez.” (Fonke)

“Eu também.” (Isotta)

Ah… então, nós somos iguais…” (Aisha)

Os membros da Corps do Deus da Escuridão sabiam que Yuusuke não veio de alguma vila artlesss em alguma terra distante como Zeshald havia declarado quando ele trouxe ele junto para Fonclanc. Eles sabiam que Yuusuke era um ser invocado de outro mundo para se tornar o deus maligno.

Isso dito, “o que é um deus maligno em primeiro lugar?”, até a pessoa em si não tinha ideia.

“Capitão… não é nem perverso ou maligno.” (Isotta)

“Awawawa, o deus maligno é mais provavelmente um tipo de apelido, eu não acho que essa seja uma razão para se tornar realmente mau, sabia?” (Yuusuke)

Yuusuke não acredita em si sendo o “Deus Maligno da Calamidade” que está sendo falado nas ruas. Ao juntar os pedaços de informação que ele ganhou da conversa que ele teve com Shinra, ele chegou à conclusão que ‘não há algo como uma chave para o começo da revolução como o deus maligno’.

“Bem, eu imagino se teria sido melhor se eu fosse para o lugar do Shinra ver se há verdade nas afirmações de Shinra.” (Yuusuke)

“… Capitão, erm… algum dia, você irá eventualmente para Gazzeta?” (Isotta)

“Eventualmente eu seguirei para lá. Mesmo que eu vá, eu posso não ficar lá, sabia?” (Yuusuke)

No que Yuusuke disse que ele queria achar seu propósito neste mundo presente, Isotta começou a se virar com uma expressão desconfortável em seu rosto.

“Mas, Capitão… você se tornaria um aliado de Gazzeta? Você é insubstituível para nós… sabia?” (Isotta)

“Eu considerarei minhas opções quando a hora chegar.” ( Yuusuke)

“Por favor responda isso seriamente.” (Isotta)

Ouvindo a resposta de Yuusuke sem qualquer hesitação, Isotta temeu que isso se tornaria uma relação hostil no futuro, então ela tentou perguntar e sondar Yuusuke pelos seus verdadeiros pensamentos. Vendo como Isotta reagiu à isso, Yuusuke declarou para ela numa voz acalmadora.

“Enquanto eu for eu mesmo, eu nunca me tornaria seus inimigos. Então tenha paz de mente.” (Yuusuke)

“… okay.” (Isotta)

Isotta respondeu no que ela deu um pequeno aceno.

***

Na manhã seguinte, a Corps do Deus da Escuridão que havia começado o dia mais cedo estava prosseguindo tranquilamente pela rodovia que cortava pela floresta. Eles então chegaram numa bifurcação na estrada na redondeza do território de Blue Garden onde eles tiveram sua pausa para almoço. A distância daqui até a cidade portuária era cerca de uma viagem de ida e volta de Sanc Adiet até Rufk.

“Se nós continuarmos nos movendo nesta velocidade, nós devemos chegar no destino de noite.” (Vermeer)

“Entendido, obrigado pelo trabalho duro. Todo mundo descanse um pouco antes de nós começarmos a nos mover de novo.” (Yuusuke)

“U~issu.” (Fonke)

“Capitão, a comida está pronta.” (Aisha)

A carruagem puxada à cavalo estava estacionada ao lado da estrada, os embaixadores se juntaram à eles e se amontoaram num círculo no que eles começaram a encher suas caras com comida simples. Se alguém fosse espiar e olhar na floresta só um pouco, eles podiam achar frutas lala crescendo naturalmente. Com uma abundância assim, é improvável que alguém se esfomeie até a morte pelas terras desoladas de Kaltsio.

“Feras mágicas aparecerão neste local?” (Yuusuke)

“As feras mágicas carnívoras ao redor de Fonclanc foram caçadas quase até a extinção, mas se alguém fosse entrar fundo na floresta, ainda devem haver alguns remanescentes de feras do tipo planta.” (Vermeer)

É geralmente seguro ao redor das áreas da rodovia. Devido ao selamento da borda da outra vez, para poder assegurar a segurança dos mercadores que estavam viajando na rota da rodovia de contorno, a submissão de feras mágicas pela rodovia foi implantada. Como um resultado, essas feras mágicas haviam desaparecido da área.

Como substitutos das feras, bandidos começaram a infestar a área.

“Esses grupos armados são definitivamente mais perigosos que as feras mágicas.” (Vermeer)

“Isso não é irônico.” (Fonke)

Depois do extermínio dessas feras mágicas, isso levou ao atual cenário perigoso. E em algum sentido, Fonclanc aprendeu uma valiosa lição, não é bom exagerar nas coisas.

Desde os tempos antigos, os artless haviam expressado um entendimento, de preservar e balancear o eco-sistema, mas as eras mudaram para uma atitude mais flexível, aqueles que sabem sobre essas relações podem não existir mais.

***

Depois da pausa, eles começaram a partir em direção da cidade portuária. O sol começou a se pôr no que eles saíram da floresta. No lado direito da carruagem puxada por cavalos estava o Lago Espelho da Lua, eles andaram por mais 3 horas, e no que eles começaram a se aproximar da cidade portuária, eles podiam ver seu reflexo brilhando na superfície do lago de uma distância.

Iluminando na frente de um grande hotel que observava o pier, pessoas descarregando sua pegada do dia podiam ser vistas. Eles cada começaram a dividir a carga de trabalho de descarregar suas próprias bagagens da carruagem. No que eles estarão cruzando o lago por barco amanhã, mesmo quando é só uma pequena caminhada agradável até o hotel, eles ainda tinham que ter certeza que todos estão responsáveis por sua própria bagagem.

“Hoje a noite nós passaremos a noite aqui, amanhã nós finalmente vamos entrar no país vizinho.” (Yuusuke)

Yuusuke murmurou para si mesmo no que ele olhou para o reflexo da lua de Kaltsio na superfície escura do lago, enquanto estava ao lado de Isotta que estava fazendo seu relatório diário usando artes de vento de transmissão.

4 respostas em “Capítulo 45 – Nossentes

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s