Capítulo 219: Espírito

Pronto, aqui está o KnW da semana (que saiu ontem de noite); numa nota paralela que talvez seja ignorada, eu estou pensando em trocar de avatar, aceito sugestões… se você desenhar e não ter direitos autorais (como o Pikachu atual) melhor ainda, só quero manter o ar da zoera, mas vamos lá – Este capítulo foi traduzido do Arls31.


Capítulo 219: Espírito

“Bem, eu disse ‘encontrei’, mas nós sempre estivemos juntos…” (Hiiro)

“Hm? Quem?” (Hoozuki)

Correto. O espírito a quem Hiiro se referia é o mordomo pervertido e seu companheiro, Silva Plutis, que está com ele por mais de meio ano ao menos.

“Entendo, eu achei isso no que eu vi ele por Cissie na arena de duelo…” (Hoozuki)

Ele tinha uma expressão conflita por alguma razão.

(Parece que algo aconteceu entre eles.)

Eu ouvi do próprio Silva que ele é um ‘espírito defeituoso’. Eu pensei que ele tinha uma anormalidade comparado com um espírito normal, mas parece que ainda tem mais alguma coisa.

“Cissie, eu perguntarei mais uma vez. É realmente ele?” (Hoozuki)

“É ele. Quero dizer, nós tivemos nossos altos e baixos antes.” (Cissie)

Para as palavras de Cissie sem uma gota de hesitação, Hoozuki soltou um suspiro.

“Posso lhe chamar de Hiiro?” (Hoozuki)

“Faça como quiser.” (Hiiro)

“Okay. Hiiro, quanto foi que ele lhe contou sobre ele mesmo?” (Hoozuki)

“Eu quase não ouvi nada dele. Além de que ele era um ‘defeituoso’.” (Hiiro)

“Hmm. Bem, você quer saber mais, é o que eu gostaria de lhe perguntar, mas…” (Hoozuki)

“Não muito. Eu não tenho interesse em forçar qualquer pessoa sobre seus segredos. Se qualquer coisa, eu só quero ouvir isso diretamente dele.” (Hiiro)

Talvez ainda seja desnecessário para ele, ele declinou por ora.

“É mesmo? Eu não ouvi nada dele por um longo tempo. Ao ponto onde eu fiquei surpreso de ouvir da existência dele por Cissie.” (Hoozuki)

Parece que Silva havia saído de sua cidade natal por um tempo muito longo que a existência dele morreu por aqui.

“Sério? Então está tudo bem. Eu não tenho interesse no passado daquele cara. Até quando aquele cara quer falar sobre isso, se eu não quero, eu não quero.” (Hiiro)

Se ele recusar, ele não ligará.

“… Entendo, de fato. Bem, se ele alegremente gasta seu tempo neste momento, pode ser okay.” (Hoozuki)

Olhando em algum lugar distante, um traço de leve arrependimento foi sentido nas palavras dele. Hiiro não sabe que relacionamento havia entre Hoozuki e Silva, mas ele sentiu um laço extraordinário entre eles.

“Bem, se você fosse descrever isso em poucas palavras, então aquele cara e eu somo amigos bem próximos…” (Hoozuki)

Pelo jeito que ele disse ‘melhor amigo’ sem ser na flexão de passado, ele e Silva ainda são bem próximos, ou ao menos é isso que ele pensa. Apesar dele não saber o que Silva acha dele, presumindo o fato que eles não entraram em contato um com o outro, ele foi capaz de julgar que ele está mantendo uma distância de Silva.

“Bem, eu poderia dizer que aquele cara está bem. Tendo me chamado aqui e feito essas coisas, nós podemos acabar com isto agora?” (Hiiro)

Se os negócios com ele já terminaram, ele já queria retornar, mas,

“Eeeh~!? Indo para casa já? Indo para casa já?” (Orun)

Ele havia esquecido completamente que havia aquele barulhento ali.

No que não havia razão para ele ficar mais na Floresta de Espíritos, Hiiro queria voltar. Mas Orun, assim como Nikki e Camus também, que estavam estranhamente se dando bem com os espíritos deixaram ele hesitante.

“Hiiro, você pode ficar um pouco mais antes de ir para o outro lado? Eu não posso vir aqui frequentemente, então por que não aproveitar a experiência de vez em quando?” (Niña)

Um suspiro de resignação saiu da boca de Hiiro. Sua ideia já podia ser adivinhada. Eles estavam agradados com o raro convidado que tem a habilidade de vê-los, mesmo trazendo a Rainha das Fadas e os outros qui, eles querem deter ele mesmo que por um momento. (NT: Em inglês estava escrito Hoozuki na parte do suspiro, mas não faz muito sentido ser ele…)

Com o banquete mais cedo, ele honestamente estava satisfeito por ora. Mas porque Camus e os outros estão felizes com isso, ele não tinha escolha senão ficar um pouco.

“Além do mais, principalmente porque você ganhou contra Cissie, eu assumo que você saiba a verdade por trás dos Espíritos, certo?” (Hoozuki)

“A verdade que você está referindo é a noção que eles podem assumir uma forma humana como você? Que os poderes de Espíritos do tipo humano são extraordinários?” (Hiiro)

“Hohoho, como você sabe? Silva lhe contou?” (Hoozuki)

“Algo por aí.” (Hiiro)

“Entendo.” (Hoozuki)

Hoozuki encarou Hiiro, como se ele estivesse profundamente movido.

“Parece que Silva é bem chegado de você no fim das contas.” (Hoozuki)

Ele fez um largo sorriso no que ele alegremente esfregou sua barba. Julgando pelas trocas presentes, ele sabia que não são sentimentos negros como ódio que conectam os dois.

“Porque só há um pouco número de pessoas que são capazes de manifestar espíritos em formas humanas, mesmo com a diligência dele, aquele Rei das Feras ainda tem muito a desejar.” (Hoozuki)

“Hoozuki-sama, Leowald é um grande homem que este aqui reconheceu. Este aqui acredita que ele pode manifestar a verdadeira forma deste aqui no futuro próximo.” (Cissie)

“Estando um pouco ofendido por isto, Cissie não queria aceitar as palavras de Hoozuki que criticaram Leowald como vieram. (NT: Em inglês fala que Hiiro que ficou inconformado, mas… não pode ser isso!)

“Hohoho, me desculpe por isso. Acredite em mim. Naquele Rei das Feras, ainda reside a conexão para o espírito dele que vai de volta desde os tempos anciões onde a raça dele ainda podia usar magia. Provavelmente por causa disso, ele foi capaz de realizar a manifestação.” (Hoozuki)

Cissie acenou em satisfação.

“Contudo, isto não é nada novo para os Beastmen. Aquele bracelete é feito realmente bem.” (Hoozuki)

“… bracelete? Esse seria por acaso o Bracelete Sem Nome?” (Hiiro)

“Isso mesmo.” (Hoozuki)

A ferramenta que eles fizeram para poder usar as Técnicas de Binding. Por causa disso, todo Beastman que normalmente não podiam usar magia eram capazes de ir pau-a-pau com os Evila diretamente.

“É uma grande invenção. A ferramenta pode despertar os poderes do Espírito dormindo na própria alma deles A pessoa que fez isso é verdadeiramente um gênio.” (Hoozuki)

Apesar de Yuhito não ter uma atmosfera de um gênio com aquele cabelo bagunçado e óculos grossos dele, parece que ele é reconhecido assim pelo Rei dos Espíritos. (NT: Mas é justamente assim que os gênios aparecem em sua maioria!)

“Posso perguntar algo?” (Hiiro)

Já que se tornou uma questão de interesse, Hiiro tentou perguntar.

“O que é?” (Hoozuki)

“As origens dos Beastmen são os Espíritos, chamados Feras Sagradas, se eu não estou enganado. O bracelete é a ferramenta que puxa o poder do Espírito Interior dentro deles para fazer um fenômeno, certo?” (Hiiro)

“Hoho, você sabe bastante.” (Hoozuki)

Falando verdadeiramente, ele só recordou o que Rarashik havia contado para ele.

“Veja só, mesmo sem o bracelete, você pode fazer um fenômeno em particular com seu Espírito Interno.” (Hoozuki)

“… Bem, isso é um argumento coerente.” (Hiiro)

Originalmente, mesmo sem a ajuda do bracelete, é possível trazer para fora o poder que dorme dentro deles. O bracelete só age como um propulsor, fazendo o fenômeno se manifestar mais facilmente.

“Assim que a consciência do Espírito Interno em mim despertou, a Floresta de Espíritos deu a luz para mim como um Espírito em si.” (Hoozuki) (NT: Ótimo, hora da filosofia sobre o que é a vida… de um Espírito)

Os Beastmen tiram poder do Espírito dormindo dentro deles, e se torna um certo fenômeno. Em outras palavras, se ele ou ela não fizerem um contrato com o Espírito, ele não existirá na Floresta de Espíritos desde o começo.

Para isso, o Espírito Interno do Beastman que está dormindo se torna um fenômeno em si mesmo e vem aqui para se desenvolver.

“Então, isso quer dizer que até agora, os próprios Espíritos são o próprio poder dos Beastmen manifestados em si mesmos?” (Hiiro)

Ele jogou uma teoria. Contudo, Hoozuki balançou sua cabeça.

“Isso está errado na verdade. Alguns de nós são nascidos aqui naturalmente. Eu mesmo e a princesa, e até Tenn ali.” (Hoozuki)

Parece que os de alto ranque com poderes naturais como Hoozuki podem virar um espírito também.

“Mas para Cissie, o Rei das Feras fez um Fenômeno de Espírito Interno com aquele bracelete.” (Hoozuki)

“É isso. Leowald é deste humilde aqui. E este humilde aqui é de Leowald.” (Cissie)

Isso significa que os dois estão conectados.

“Hm? Estando conectados ou o que seja, se você morrer, isso significa que o Rei das Feras também morre?” (Hiiro)

“Não realmente. Quando eu digo conectados, eles estão somente uma parte de suas almas. Contudo, mesmo se o Espírito desaparecer, ele é nascido de novo com o tempo.” (Hoozuki)

“Entendo.” (Hiiro)

“Contudo, para os Beastmen, é diferente.” (Hoozuki)

“… diferente no que?” (Hiiro)

Pelo que eu ouvi, se o Espírito em contrato morrer num ataque de terceiros, ele pode ser revivido aqui com o tempo. (NT: Esse terceiros é literalmente “outro grupo” ao invés de “terceiros”, dos “outros”, mas não sei como formular melhor)

Contudo, se o Beastman que manifestou ele morrer, eles não podem ser revividos por uma segunda vez. Isso leva à morte completa literalmente.

“E o que é este ‘terceiro’?” (Hiiro)

“Eu e Tenn somos seres nascidos da natureza, então nós não temos nada que possa nos segurar neste mundo. Se nós morrermos, o poder que nos impede de sair é perdido e nós desapareceremos completamente neste mundo.” (Hoozuki)

“Entendo. As fadas são iguais também?” (Hiiro)

Ele perguntou para Niña que estava ouvindo em silêncio por perto.

“Bem, originalmente, Fadas não fazem contratos com ninguém. O conceito de morte é similar aos humanos. Se nós ficamos sem poder, nós morremos.” (Niña)

Aparentemente, os Feom para resumir, são idênticos de algum modo.

“Entendo, se esse é o caso, comparado com um espírito nascido naturalmente, espíritos contratados não são de algum modo mais vantajosos? Enquanto seu contratante viver, você não tem que se preocupar com morrer algumas vezes.” (Hiiro)

Então, Hoozuki fez um rosto complicado.

“Esse aí tem uma história meio difícil de contar.” (Hoozuki)

“Por que?” (Hiiro)

“Você entende a razão porquê os Beastmen não conseguem fazer um contrato com os outros Espíritos?” (Hoozuki)

“………… espera, então é possível tornar o contrato recíproco?” (Hiiro) (NT: Estou perdido aqui, mas só traduzo)

Originalmente, um Espírito habita dentro de um Beastman. Logo, mesmo que você tente fazer um contrato com outro Espírito, ele repele eles, tornando isso impossível.

“Mas se nós estamos nos referindo a um Humas ou um Evila, então é uma história meio complicada.” (Hoozuki)

“Sério?” (Hiiro)

Certamente, se for um ser que originalmente não tem um Espírito dentro ele, ele pode ser qualificado como um contratante em potencial, mas o problema é, para começar, os Humas e os Evila não possuem o receptáculo certo para conter o poder.

O receptáculo era originalmente para apenas a alma deles. Por causa disso, os Beastmen são uma exceção porque eles eram originalmente Espíritos e tinham mantido seus poderes, duas almas não podem normalmente estar contidas em um único receptáculo.

Mesmo que você coloque ela à força, o receptáculo não será capaz de aguentar o tamanho, e o pior caso é o medo dos espíritos quebrando.

Ainda mais, no presente, os Humas e os Evila não possuem qualquer tipo de confiança com os Feom. O contrato é o poder da confiança. Nesta situação, fazer um contrato estaria além dos sonhos deles.

O poder dos Espíritos é tão grande que ele certamente se tornará um grande potencial de guerra enquanto você conseguir masterizá-lo. Por esta razão, os Feom no presente não conseguem dar seus poderes para os Humas e os Evila.

Isso é porque eles certamente usarão o poder no jeito errado. Guerra……… eles não conseguem passar seus poderes para uma disputa tão estéril.

(Bem, essa coisa é óbvia. Especialmente, se o Rei Humano fosse saber disto, ele certamente teria abusado disso com certeza…… hm?)

Então, isso se tornou uma questão do interesse dele.

“Oy, por que você está contando algo tão importante assim para mim?” (Hiiro)

Hiiro é uma pessoa que participou na guerra, e pertencendo à raça dos Humas também. Depois de ouvir um fato importante desses, Hoozuki não acha que isso pode ser exposto para alguém?

Contudo, Hoozuki colocou um sorriso afetado por alguma razão. Hiiro sentiu algo realmente ruim sobre isso-

“Hiiro, você pode usar o Shakki… certo?” (Hoozuki) (NT: Aquela mente vermelha em inglês, a aura vermelha lá)

“Ah, aaa…” (Hiiro)

-ao ponto que ele só conseguia franzir em desprazer.

“Que tal fazer um contrato com alguém, Hiiro?” (Hoozuki)

Anúncios

9 respostas em “Capítulo 219: Espírito

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s