Capítulo 213: Reencontro com um Velho Amigo

Este capítulo foi traduzido de Arsl31.


Capítulo 213: Reencontro com um Velho Amigo

Victorias. O Reino dos [Humas].

De lá, uma pequena e solitária cabana foi construída, escondida na borda mais extrema da área residencial. É tão pequena que você nunca pensará nela como um local de habitação, além do fato que ela parece tão velha.

Entre a grama alta que tomou os arredores, claramente indicando que o lugar não teve manutenção por muitos anos, uma velha mulher vive em tal cabana.

Quando acaba sua adivinhação na rua principal da cidade, ela compra comida e então retorna para a cabana, passando seu tempo em paz, mas neste momento…

No que ela colocou o pão que foi comprado como de costume na mesa, colocou leite em seu copo e sentou em sua cadeira rangente,

“E pensar que você só está num lugar assim.” (???)

Ouvindo uma voz aguda de uma criança por trás, ela, que ficou espantada, se virou. De pé lá estava uma criança que era a origem da voz.

A velha mulher arregalou seus olhos, enrijecida no que ela viu a criança.

“Eu procurei por você por toda parte. Mas eu nunca pensei que você estaria aqui na Capital Imperial do Rei Humano esse tempo todo.” (Avoros) (NT: Quem estou querendo enganar ao enrolar para dizer que é ele?)

Como que desistindo, a velha mulher fechou seus olhos e deu um suspiro para ele. Ela então abriu eles lentamente, e começou a espremer suas palavras para fora.

“Tu conhecias-me bem, certo……… Avoros?” (Velha) (NT: Ela usa um discurso mais formal, mas não está assim tão bem em inglês pelo AeRoSoL31 não ser tão nativo e ter adaptado… e eu vou fazendo o que posso)

Ela sabia que era o ex-Maou o tempo todo. Assim como o propósito do motivo dele de ter vindo aqui.

Então, a velha mulher perguntou para a existência envolta em robe preto atrás das costas dele.

“Então, essa é sua peça atual?” (Velha) (NT: Peão, de xadrez… mas se eu usar aquela palavra, todos vão imaginar um pedreiro ou algo assim…)

Ela não disse ‘subordinado’. O motivo é porque ela é completamente ciente do fato de que esta pessoa trata pessoas como se fossem peças de xadrez. Então, rindo como se ouvindo uma piada engraçada,

“Devo introduzir este aqui para você?” (Avoros)

Ele mostrou um sorriso tão sombrio que te encheria com desgosto. Com o fato dela ter sido pega aqui, deixando ela incapaz de agir mediocremente.

“Não, ao invés disso, que tal dizer o que tu desejas para acabarmos com isto?” (Velha)

“Fufufu, apressada como sempre. Isto, depois de não nos encontrarmos de novo por um longo tempo? Você não acha que eu pretendo florescer com você, uma flor de um conto antigo?” (Avoros) (NT: Que merda foi essa, cara!? щ(ಥДಥщ) )

“Tu vieste aqui só para me dizer tais conversas?” (Velha)

“…… Tsk, sem senso de humor, como sempre.” (Avoros)

Avoros deu de ombros exageradamente, então soltou um suspiro. Ele olhou ao redor mais uma vez.

“Mas para Alicia da <Previsão> ter que se esconder e viver num lugar sujo assim…” (Avoros)

“As línguas que proferem esse nome não são mais deste mundo. Eu não uso-o mais.” (Alicia?)

“Sério? Ah é, pelo que você se chama mesmo? Ah! É…… Marquis Bluenote, certo?” (Avoros) (NT: Nota Azul, é isso que significa o sobrenome)

“…….” (Marquis…?)

“De qualquer maneira, o livro que você escreveu, que diabos é aquilo? Eu folheei por ele, mas… sério, que tipo de piada é aquela?” (Avoros)

A sede de sangue que não foi sentido até então, cercou o corpo inteiro dela, espetando como agulhas. Ela engoliu seco inconscientemente, e com uma fungada, a sede se sangue parou.

“Ooops, desculpe por isso. Foi só um erro… então me ignore por isso, ‘tá? Além do mais, aquele livro é terrível. A composição parecia estar tirando sarro do protagonista.” (Avoros)

“……” (Marquis!?)

“Eu não sei quais são suas intenções por escrever aquela coisa, além do fato de que você escreveu isso de vários jeitos, sério. Mas desde quando você se tornou alguém de fora? Apesar que ser capaz de sobreviver depois de conhecer aquela coisa é elogiável.” (Avoros)

“Os olhos de Avoros se cerraram nela. Como encurralando totalmente sua presa, sua intenção de caçar em seguida está sendo transmitida para ela.

“… Quem poderia saber, isso não significa que eu esteja afetando qualquer pessoa.” (Marquis….)

“Hee~” (Avoros)

“Tu sabes, é simplesmente porque conhecer aquela coisa que faz-me como uma águia tomando uma caneta com esta mão.” (Marquis) (NT: Eu ainda estou inconformado com esse nome felizmente arrumei, mas essa de ‘águia tomando uma caneta’ foi terrível)

“O que você está buscando?” (Avoros)

“E se eu não falar?” (Marquis)

“Você pode permanecer quieta, mas…” (Avoros)

Uma intenção assassina saiu de Avoros mais uma vez. Apesar dela ter alcançado o ponto onde Marquis queria recuar instintivamente, ela ficou firme no chão, apertando ele com seus dedos do pé.

O confronto continuou por mais um pouco, mas então Avoros sacudiu sua cabeça em desgosto.

“Sua obstinação não mudou como no passado. Que desapontante.” (Avoros)

“Essas são as palavras de Koch, não são? Além do mais, isto não é pressão demoníaca demais para uma velha mulher?” (Marquis)

“Ahahaha! O que você está dizendo! Você só é uma velha mulher por fora.” (Avoros)

“…….” (Marquis)

“Até quando você vai ter um rosto feio desses? E esse jeito de falar, também. Você está envergonhada por tanto tempo que você não consegue nem mostrar seu rosto real nesta hora tardia?” (Avoros)

No que Avoros encarou Marquis, ela fechou seus olhos, como que se entregando. Então, ela pegou algo de seu bolso no peito e colocou em sua boca. Então, surpreendentemente, sua pelo dura, enrugada ficou jovem e brilhante. (NT: Eu disse que foi de um bolso, mas no caso dela pode realmente ter sido do peito… mas não quero imaginar essa cena)

Como que voltando à vida, seu cabelo cinza descolorido pela idade virou um belo azul escuro. Sua altura aumentou, também, finalmente aparecendo uma mulher de um excelente calibre.

Rejuvenescimento. É algo que não pode ser expressado em palavras. Com isso, você nunca pensará que a jovem beldade com o rabo de cavalo neste momento era uma velha mulher logo antes.

Avoros, vendo tal espetáculo de Marquis, bateu palmas em entretenimento.

“Aham. Você nessa figura é a melhor no fim das contas.” (Avoros)

“……” (Marquis)

“Isto com certeza, é a mulher que eu queria pegar uma por uma vez lá trás.” (Avoros)

“… Eu recuso sua proposta, não importa o que você diga para mim.” (Marquis)

Uma voz clara e doce soou no interior.

“Bem, eu não tenho realmente o luxo para fazer algo assim agora nesta hora. Você também é uma maravilhosa avó, apesar de quão jovem você pareça neste momento. Sua jovem filha realmente começa a parecer com você.” (Avoros)

“Minha nossa, você pensa que dizendo tais coisas para a vovó vai fazer você ter a permissão para pegar minha jovem filha?” (Marquis)

“Hmm~ se você vê isso assim, eu não sou ainda mais popular? Você não concorda?” (Avoros)

“Bem, apenas por sua aparência.” (Marquis)

“Ahaha! Sua resposta realmente arde, sabia~” (Avoros)

Avoros tem o charme que atrai qualquer um, independentemente de idade e gênero. Sua personalidade, por outro lado, é um fracasso épico.

“A propósito, Marquis… eu posso lhe dizer algo importante? Eu quero que você venha comigo.” (Avoros)

“Eu recuso.” (Marquis)

“Ahaha! Eu pensei que você recusaria, apesar que eu esperava que você pensasse um pouco sobre isto.” (Avoros)

“Eu não posso ficar com você mesmo depois da morte. Eu já não te disse isso a muito tempo atrás?” (Marquis)

“……” (Avoros)

“Enquanto você disser que você quer que esse desejo se torne verdade, eu não lhe darei meu consentimento.” (Marquis)

Marquis jurou numa expressão bem definida. Então, Avoros tendo quebrado seu sorriso, moveu sua boca com um rosto sério.

“Você tem certeza disso?” (Avoros)

“Sim. Eu estou certa disso.” (Marquis)

“Como eu posso lhe convencer? Mesmo neste mundo, você é…” (Avoros)

“Eu não quero aquela tragédia se repetindo mais.” (Marquis)

Sentindo a determinação de Marquis, Avoros respondeu com um ‘é mesmo’ mostrando uma pequena tristeza em sua expressão.

“Eu sou o que eu sou, logo eu farei minhas coisas do meu próprio jeito. Esta é… minha redimição.” (Marquis)

“…… Mesmo que eu lhe mate aqui… você não virá?” (Avoros)

“Não irei.” (Marquis)

“Então, mesmo que eu diga que a vida de todos aqueles países estão pairando num balanço?” (Avoros)

Mesmo que todas as pessoas neste mundo se tornem meus reféns? Ele ainda expressou um sorriso cruel no que ele soltou aquelas palavras. Mas Marquis não vacilou nem um pouco.

“Nunca.” (Marquis)

A determinação dela não se moveu.

“……… Haaa.” (Avoros)

O que você está pensando, Avoros? Ele repentinamente se virou e saiu da sala. Ele realmente pretende se livrar de uma nação como esperado? Para Marquis que estava fazendo uma expressão rígida,

“… Uma guerra começará de agora em diante.” (Avoros)

“… Eh?” (Marquis)

Fazendo uma parada repentina, ele disse para Marquis, que por sua vez havia ficado embasbacada.

“É uma guerra que envolve o mundo como um todo.” (Avoros)

“Você, você ainda, no fim das contas…!” (Marquis)

Avoros então virou suas costas para ela, e disse.

“Eu espero que você ainda se lembre, Marquis… não, Alicia.” (Avoros)

“…?” (Marquis)

“Que eu quero obter este mundo inteiro de qualquer modo.” (Avoros)

“… Avoros.” (Marquis)

Ele tentou mover suas pernas por uma segunda vez, desta vez dando palavras enquanto saía.

“Você pode ser morta aqui. Você quer corrigir aquele erro seu, certo? Então ficar neste lado é mais correto. Afinal, você decidiu ficar viva até o último minuto.”

Ele virou um pouco em direção do rosto de Marquis.

“Até mais, Alicia, foi divertido depois de um longo tempo. Apesar que estaria bem se eu tivesse ou não encontrado você.” (Avoros)

“Avoros…” (Marquis)

“Eu lhe mostrarei a resposta correta. Você deve esperar ansiosamente por isso.” (Avoros)

Depois daquelas palavras, Avoros deixou a sala junto com a figura em vestimentas pretas. Naquele lugar onde apenas silêncio permaneceu, fadiga surgiu em Marquis repentinamente, exaustando a força dela.

Ela se sentou na cadeira, tremendo. Suor frio pingou de seu corpo inteiro. Foi depois de um longo tempo que ela experienciou este tanto de tensão.

No que ela bebeu seu leite de uma vez para aliviar sua sede,

“Avoros…”

Ela cochichou.

“Seu jeito… é sem esperanças.” (Marquis)

Mas os pensamentos dela não alcançaram ninguém.

Anúncios

5 respostas em “Capítulo 213: Reencontro com um Velho Amigo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s