Capítulo 212: Decepcionamento com Ornoth

A formatação, no quesito de espaçamento de parágrafos e tal, está meio estranha em inglês, talvez fique um pouco também aqui… ah, e este é o TERCEIRO capítulo de hoje, comece lendo o 210! Aliás, deveria ter feito umas reservas de WCC hoje… mas vamos lá – Este capítulo foi traduzido de Arsl31.


Capítulo 212: Decepcionamento com Ornoth

Apesar de Ornoth ter feito um acordo com Hiiro para ensinar os métodos para se adquirir <Grande Aura Vermelha>, porque ele está atualmente ocupado com questões políticas neste momento, ele não consegue arrumar tempo para ensinar ele pessoalmente.

Então Hiiro não tinha outro jeito senão usar esse tempo para revisar o que está no pergaminho sozinho até Ornoth estar disponível. Contudo, no que ele passou pelos conteúdos, a maioria deles estavam descritos em ilustrações e pareciam estar escritos numa linguagem que só Ornoth pode entender.

Se for uma pessoa ordinária, ela poderia esperar por Ornoth, mas não Hiiro, que tinha a conveniente <Magia das Palavras>. Usando [Clarificação (解明)], ele decodificou os caracteres escritos que estavam criptografados de algum modo.

Ele pensou que com isto, ele não precisará mais perguntar para Ornoth, mas ele foi ingênuo demais. Sim, os caracteres criptografados agora podiam ser lidos, mas ele não conseguia entender o que eles diziam, e porque tudo falava sobre teorias sobre a mente e espírito, a explicação é tão abstrata que era difícil de se compreender.
Por exemplo, a primeira coisa escrita aqui é o método para gerar <Shakki>, mas como Hiiro já adquiriu isso, não era necessário, mas não é isso que está escrito aqui.

“Você deve se focar e fazer sua força vital e poder mágico irem fupa fupa. Tome cuidado para não perder o foco. Se você perder nem que uma vez, isso retornará para o que era antes. O truque é endireitar suas costas e deixar o poder sair bem fupa fupa.” (NT: Primeiro, isso não é uma fala. Segundo, aparentemente há uma onomatopeia japonesa que AeRoSoL31 não sabia traduzir e fez virar algo que não dizia nada; eu usei fupa fupa porque… pareceu certo em minha mente?)

…… você é uma criança!
Esses foram os primeiros pensamentos dele. Além daqueles efeitos fupa fupa, haviam tantas palavras abstratas que ele não conseguia entender o sentido não importa quão duro ele tentasse. Era como se este pergaminho tivesse sido escrito por uma criança no coração.

(Há uma diferença muito grande entre o rosto e a habilidade de escrita dele!)

Ele, pensando em Ornoth como um homem fera de boa aparência que tem a figura de um lobo destemido, só conseguia suspirar pela situação. Claro, não haviam problemas com a etiqueta e comportamento dele. Suas maneiras eram boas, também.

“Mas é isso. Ele é realmente ruim explicando.” (Hiiro)

Apesar dele ter escrito isto de um jeito realmente único, isso pode aparentemente ser entendido, de algum modo. Mas ainda assim, era necessário realizar isso em prática, então chamar Ornoth para corrigir ele é necessário, ou será inútil.

No que Hiiro soltou um suspiro no que ele enrolou o pergaminho, Nikki e Camus se aproximaram. Os dois pareciam ter se dado bem aparentemente, então quando eles tinham tempo livre, eles vão brincar do lado de fora junto com Mikazuki.

“Shishou, você consegue ler este pergaminho?” (Nikki)

Ela perguntou, no que ela viu o pergaminho. Liliyn, que disse “como alguém esperaria do meu subordinado, para se sentir insatisfeito com sua força presente, e ter o desejo de se aperfeiçoar ainda mais!” parecia agradada com isso, então Nikki e Camus tiveram interesse em seus conteúdos.

Mas quando ele foi pedido para explicar os conteúdos que não podiam ser lidos, eles derrubaram seus ombros em decepção.

Camus de lado, era ainda mais absurdo para Nikki que nem conseguia controlar magia sozinha. Isso se tornou ainda mais deprimente.

Então para dizer, mesmo que Nikki lesse essa coisa, ela não entenderia nada.

“Hmm. Então é melhor ouvir do Ornoth-dono, eu imagino?” (Nikki)

Talvez o que ela disse seja o método mais eficiente, mas neste momento, Ornoth havia ido para o [Reino das Feras ・ Passion]. No que ele herdou a característica de ser uma parte beastman, parece que a pessoa havia adquirido o dever de ser o mensageiro da [Raça Demônio ・ Evila].

Como é evitável até que ele retorne, Hiiro estava pensando em matar tempo na <Grande Biblioteca Fortuna>.

“Ah é, aquela aka loli voltou?” (Hiiro)

Liliyn, também conhecida como aka loli, juntamente com Silva e Shameo, e acompanhada por Mikazuki, foram para resolver alguns negócios e viajaram para fora, para o território estrangeiro.

Como Hiiro estava pretendendo ficar no meio tempo até ele ficar satisfeito em ler os livros na biblioteca, ela disse que ela tinha alguns negócios para resolver e saiu.

Bem, para começar, o propósito dela vir ao país em primeiro lugar era encontrar um conhecido dela próximo do país, então ela saiu.

“Ela ainda não voltou!” (Nikki)

“É mesmo?” (Hiiro)

“… Hiiro… tempo livre?” (Camus)

Camus, que não se movia como algum tipo de decoração, falou.

“Eu não tenho tempo livre. Eu tenho livros que não li ainda… só tem isso.” (Hiiro)

Em um quarto emprestado por Eveam, Hiiro sentou na cama e direcionou seu olhar para sua esquerda. De lá, estavam empilhados cinco a seis livros.

Eles são livros que vieram da <Profundidade 5>, mas como ele conseguiu a ‘permissão para carregar’ de Eveam, está tudo bem. Ainda assim, porque eles estão na lista de livros banidos, ele não pode mostrá-los para outras pessoas.

Logo ele escreveu os caracteres [Leitura Proibida (禁読)] e os evocou, fazendo as escritas se moverem e a leitura impossível por ora. Em adição, mesmo se alguém carregar ele por aí, ele consegue traçar sua localização onde for que estiver por causa do poder mágico dele, claro, com permissão de Eveam também. Mas é ainda necessário ter uma palavra com ela primeiro antes de trazer isso.

“Cidade… ir?” (Camus)

“Cidade? Para fazer o que?” (Hiiro)

“Andar por aí com Hiiro… só uma vez.” (Camus)

Parece que eles queriam convidar ele para uma caminhada, mas no que Nikki que estava ao lado dele excitadamente esperava ele aceitar,

“… é um incômodo. Vocês dois devem provavelmente ir sozinhos.” (Hiiro)

Ela ficou deprimida em um olhar. Mas Camus, que estava usando uma expressão impassível como de costume,

“Quero ir… com Hiiro.” (Camus)

“Não, eu ainda tenho meus livros para…” (Hiiro)

“Quer vir… ne?” (Camus) (NT: Aquele ‘ne’ que japonês fala.)

“Is-isso memo!” (Nikki)

Camus que ganhou Nikki como uma aliada pressionou ele adiante.

Agora, dois pares de olhos de filhotes estavam emboscando ele.

“…… não presta?” (Camus)

“Uu~shishou~” (Nikki)

Com os dois sendo tão persistentes, ele só pode se resignar e se juntar. Bem, ele julgou que se isto continuar ele não será capaz de ler os livros tranquilamente.

Além do mais, o jantar será em breve, então ele pensou que sair para comer fora seria melhor de uma vez. Ele ouviu recentemente pelos rumores que há um restaurante que colocou itens novos em seu menu.

Ele certamente aprecia os pratos no castelo que Musun faz, mas talvez uma mudança será melhor de vez em quando.

Fechando o pergaminho aberto, ele colocou ele em seu peito e deixou a cama.

“Okay. Eu irei. Mas eu não procurarei por nenhuma criança perdida, entendido?” (Hiiro)

“… Un!” (Camus)

“Yay-desuzoo!” (Nikki)

Os dois se quebraram em sorrisos como se eles tivessem conquistado suas ambições de longa data.

 

Dentro de uma caverna levemente iluminada, uma estranha luz azul ilumina os arredores. A origem da luz eram quatro megálitos azuis. Raízes de uma coisa estilo planta se enrolavam e envolviam as pedras. E das luzes azuis iluminando a caverna, algo nasceu.

Algo que não pertence à caverna apareceu no centro do espaço. Era um trono onde um Rei se senta. Lá, um jovem garoto se sentava nele, e tendo feito sua mente, se levantou e chamou por uma mulher de cabelo branco que esperava ao lado dele.

“Você chamou por mim, Vossa Majestade Avoros?” (???)

O garoto se chama Avoros, com o título de ex-Maou. Alguns dias atrás, no duelo entre os [Evila] e os [Gabranth], que resultou numa aliança pelas palavras de encorajamento de sua irmã mais nova Eveam, ele apareceu diante deles e fez uma certa declaração.

“Sim. Eu sairei por um momento.” (Avoros)

O nome da mulher é chamado Valkiria, que Avoros chama como No. 5.

“Você quer uma companhia?” (No. 5)

“Não, mas como eu estarei me movendo, traga Isuca aqui.” (Avoros)

“Entendido. Por favor se cuide.” (No. 5)

“Está tudo bem. Apesar que é um pouco nostálgico… porque eu estarei encontrando com um bom e velho amigo.” (Avoros)

No que No. 5 curvou sua cabeça em respeito, ele ergueu sua mão em resposta, então deixou o lugar e foi embora.

Anúncios

7 respostas em “Capítulo 212: Decepcionamento com Ornoth

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s