Capítulo 209: Rebelião de Kokurou

Eu estou postando e daqui a pouco indo para o primeiro dia de aula pós-férias… numa nota inútil, como eu odeio identificar quem está falando nessa família real, todos falam meio parecidos… mas vamos lá – Este capítulo foi traduzido de Arsl31.


Capítulo 209: Rebelião de Kokurou

Uma epidemia repentinamente se espalhou pelo [Reino das Feras・Passion]. Com a causa desconhecida, Yuhito e Rarashik desesperadamente tentaram elucidar ela, mas não conseguiram providenciar meios efetivos contra ela.

No começo, ela se espalhou para os cidadãos rapidamente como veneno. Enquanto muitas pessoas estavam sofrendo, pela cura, Lendock até tentou fazer algumas viagens nas cidades próximas e vilas para investigar, mas tudo foi a toa.

Isso parecia se espalhar apenas em [Passion] por algum motivo. Uma doença chama <Síndrome de Desidratação>, e uma vez que você é infectado, em cada dia que se passa, a doença diminui os fluídos em seu corpo.

Mesmo tomar continuamente água consegue apenas atrasar o progresso, e como um veneno mortal sem tratamento, ela rapidamente corrompeu o país inteiro.

Muitas pessoas morreram, mas finalmente, Yuhito teve sucesso no desenvolvimento da cura. Era feita de uma erva medicinal rara fervida. A quantia não era o suficiente, mas ela pode ser administrada através daquelas pessoas que estão de algum modo sofrendo a doença, então ele conseguiu parar seus avanços. (NT: Esse final… ficou estranho, mas fazer o que)

Mas no que o remédio estava para acabar do estoque, a <Síndrome de Desidratação> havia infectado Branza e Nerei ao mesmo tempo.

Yuhito foi ordenado à entregar o remédio restante imediatamente, mas…… só havia o suficiente para uma única pessoa. Claro, Lendock organizou suas tropas em seu comando e tentou procurar pela erva, mas infelizmente, a invasão dos [Humas] havia começado.

Se ele diminuísse as tropas aqui, eles poderiam perder a luta. Mas os pensamentos de Lendock de salvar as duas era muito forte. Ainda mais, as duas pessoas tinham as intenções de se tornarem a esposa de Leowald.

Naquela hora, Gareos se voluntariou. Mesmo que ele se retirasse, ele declarou que esta guerra não era muito de um empecilho para eles, e decidiu ir numa viagem para procurar pela erva medicinal.

Então, no dia em que Gareos estava para começar sua jornada, ele disse “eu conseguirei ela de qualquer jeito” para Kokurou, que cuidou delas sem comer ou beber. Kokurou acreditou naquelas palavras em lágrimas.

Originalmente, ele mesmo queria ir procurar por isso, mas ele odiava estar separado de Nerei. Além do mais, para Gareos que era um guerreiro de primeira classe no país, deixar isto para ele era uma boa escolha.

Preocupado com o resultado, contrário ao tempo quando ele deveria estar chegando, Gareos não voltou. Ele foi atacado por um demônio brutal na viagem dele para achar a erva medicinal? Ou ele foi atacado por humanos que estavam escondidos numa emboscada?

Contudo, dias se passaram, mas não haviam notícias mesmo de Gareos, e a pior parte era, Branza estava no seu limite.

Sua pele normalmente sadia mudou para uma cor mais escura, secando como uma árvore seca e morta, e ela ficou incapaz de colocar sua voz para fora livremente. Seu belo rosto era tão lamentável que você choraria só de olhar para ele.

Só havia um remédio. Claro que Kokurou que era contra isso estava determinado que ele deveria ser administrado em Nerei, sua verdadeira irmã mais velha. Era porque a doença de Nerei estava se espalhando mais rápido.

Mas Leowald, que era incapaz de ver Kokurou pego com desespero, começou à se enfurecer, e antes que as coisas ficassem fora de controle, com sua pequena autoridade no meio, ele decidiu ter Kokurou se comportando na prisão.

Recebendo uma surpresa inesperada, Kokurou recuperou sua consciência notando que ele estava na cadeia. Leowald que foi até a prisão, declarou para ele nesta maneira:

“Ficará tudo bem. Eu salvarei Nerei de qualquer jeito.” (Leowald)

Kokurou deu um olhar sério para as palavras que Leowald havia dito, e recuperando sua presença de mente, deixou seu corpo para a sonolência que atacou repentinamente como um resultado de vários dias sem dormir.

E quando Kokurou acordou, ele ouviu as palavras que Leowald que veio até a prisão, com seu rosto tingido em desespero.

“Me desculpe. Branza foi a única que eu pude salvar.”

Naquela hora, Kokurou se tornou estranho. Lamúrias ressoaram da prisão o dia todo, e três dias mais tarde, o cabelo do homem que saiu da prisão foi mudado para um padrão irregular de branco e preto.

Todos seguraram seus fôlegos pelas mudanças dele, e ele só tinha algumas palavras.

“Eu quero ir lamentar pela minha irmã mais velha.” (Kokurou) (NT: É um verbo que é basicamente se entristecer pela morte…)

E com isso, todos concordaram com isso e o funeral foi feito solenemente, e naquela hora chovia, e a chuva que deveria ser fria, parecia ser quente por algum motivo.

A chuva continuou por um longo tempo, mas não havia sinal de ninguém chorando. Então, alguma notícia boa chegou.

“Gareos retornou.” (Leowald)

Todos que ouviram a notícia seguraram suas respirações.

“A erva medicinal estava certamente segurada nas mãos dele. Contudo… era tarde demais.” (Leowald)

Sim. Ele não conseguiu. Com um corpo gasto, cheio de lama e arranhões, ele voltou todo ferido, mas ele… não conseguiu à tempo.

Então, repentinamente, um raio de luz brilhou. Quando eles notaram, a espada de Kokurou havia penetrado o corpo de Gareos.

“Po-por que……” (Mimir)

Incapaz de aguentar, Mimir segurou suas mãos em sua boca.

“Então aquele sujeito começou a atacar todas as pessoas no lugar indiscriminadamente.” (Leowald)

Aquele olhar que é distorcido além dos pensamentos de qualquer um, como se um Asura que se manifestou neste mundo. Séries de flashes pretos e brancos correram com uma velocidade de luz.

Leowald encarou ele para parar seu surto, mas ele ficou instintivamente devastado pelo seu poder.

Mas ele não podia ir com isso. Naquele momento, uma espada havia cortado através de seu corpo, e como ele fez com Lendock, Kokurou arremeteu a espada em seu peito. (NT: Aqui está Lendock, mas eu acho que deveria ser Gareos…)

E com algumas palavras, Kokurou

“… nada além de mentiras.” (Kokuro)

Pulou da <Grande Árvore>.

“Então, nós desesperadamente procuramos por aquele cara… mas ele não foi achado. Apesar de eu ter escapado da morte, Gareos foi num instante, e meu pai morreu por causa da ferida também. E num timing desses, os [Evila] atacaram.” (Leowald)

Apesar deles terem tido sucesso em defesa de algum modo, eles levaram muito dano. Tendo sucesso em extrair informação dos [Evila] capturados, eles descobriram que Kokurou havia dado para eles a informação e deu para eles uma abertura para atacar.

“Aquele cara estava sério em esmagar este país. Isso aconteceu não só uma, mas várias vezes. Mas com a ajuda das <Três Feras Guerreiras> e Rarashik e os outros, nós conseguimos superar de algum modo…” (Leowald)

Até assim a pessoa que havia perdido ainda estava livre. A insurreição de Kokurou deu aos [Gabranth] uma ferida muito profunda.

“Aquele cara não apareceu depois de um tempo. Apesar de ter sido pensado que ele morreu em algum lugar, mas… como esperado, ele ainda está vivo.” (Leowald)

 

Depois que Leowald terminou sua história, ninguém disse uma palavra, e o silêncio dominou a sala. Eles pareciam estar imaginando como eles deveriam reagir ao passado que eles não conseguiam imaginar ter acontecido.

Contudo, Mimir se determinou e abriu sua boca.

“Ma-mas então, mãe, se eu não estou enganada, eu ouvi que o pai da minha mãe morreu de doença.” (Mimir)

Não era só Mimir, isto também foi dito para todas as pessoas que não conheciam Kokurou.

“É assim mesmo. Como um resultado disto, eu menti para todos vocês. As pessoas que sabiam daquele escândalo, a maioria delas já foram mortas por Kokurou. Depois disso, o nome König foi tratado como azar, então eu casei com este homem imediatamente, jogando fora esse nome.” (Branza)

“En-então é por isso… mas por que a mãe e o pai não contaram a verdade?” (Mimir)

Para todos que estavam buscando pela resposta, eles encararam os dois.

“…… Isso é porque nós não queremos passar que nós [Gabranth] tivemos um traidor aparecendo em nossa história. Felizmente, Kokurou é julgado como tendo morrido, e nós pensamos que a verdade continuaria escondida nas trevas.” (Leowald)

Contudo, Kokurou não morreu, mas apenas ficou quieto até agora.

“O laço entre os beastmen é acreditado como sendo tão forte que é incomparável aos dos [Humas] e [Evila]. Mesmo que você leia a história, só há o fato que Kokurou era a única pessoa que causou uma revolta. Logo, informar eles sem pensar muito só fará com que esses laços sejam preenchidos com insegurança… aparentemente, eu estava errado.” (Leowald)

Leowald ergueu seu rosto com olhos olhando para algum lugar distante.

“Não importa por quanto tempo você esconda isso, a verdade será revelada mais cedo ou mais tarde. Não há um beastman abalado por algo assim. Certamente, era um passado repugnante, e agora ele causou um desastre neste país. Por essa própria razão, eu não posso deixar essa tragédia quebrar o poder dos nossos laços.” (Leowald)

Ele olhou para todos com olhos cheios de reafirmação. Para responder isso, eles deram um pequeno aceno.

“O oponente não é apenas Kokurou. Acompanhado por aquele sujeito… está o Ex-Maou Avoros.” (Leowald)

O som de pegar o fôlego de alguém foi ouvido sobre esse nome.

“De qualquer jeito, o que nós recebemos no último duelo foi enorme. O poder do ex-maou está em outro nível. Também, todos aqueles caras que estão sob ele possuem uma aura que é bem longe de normal. Contudo, desta vez, nós [Gabranth] e os [Evila] lutaremos juntos.” (Leowald)

“Ah…… Hiiro-sama.” (Mimir)

As bochechas de Leowald se viraram com um leve sorriso pelo nome que Mimir murmurou.

“Ah, se nós assumirmos que Hiiro, que me nocauteou irá dar uma mão também, não há outra coisa tão asseguradora como esta.” (Leowald)

“Mas pai! Kokurou é um beastman, não é?” (Lenon)

Como se ele não gostasse da ideia de depender de uma pessoa não relacionada, Lenon disse isso num mau humor.

“Eu sei. Kokurou é um [Gabranth] e deve ser lidado por nós.” (Leowald)

“Pai… então você realmente entende.” (Lenon)

“Claro. Os assuntos dos [Gabranth] devem ser resolvidos pelos [Gabranth]. Contudo, o inimigo não é apenas Kokurou. Talvez, se isto se tornar uma guerra, o ex-maou irá gastar algum potencial de guerra também. A possibilidade de nós acertarmos um lugar duro é alta. Nesse nível é…… a força de Avoros.” (Leowald)

Todos engoliram saliva pelo fato que Leowald admitiu.

“É por isso que é necessário contactar os [Evila], e rapidamente expandir nosso potencial de guerra de agora em diante.” (Leowald)

Ninguém disse nada sobre a legitimidade dessa proposta. Mas estando preocupado sobre algum, Lenon abriu sua boca.

“… diga, talvez, eles estão por alguma chance cooperando com os [Humas]?” (Lenon)

“……” (Resto)

Desde então, os [Evila] tiveram conexões profundas com os [Humas]. Eles só eram pegos e tratados como gado por eles. A maioria dos [Gabranth] tinham sentimentos similares também.

“S-sem chance, Hiiro-sama é um humano também!” (Mimir)

Lenon estalou sua língua pelo grito de Mimir.

“Eu já sei disso! Mas eu ouvi que aquele cara foi invocado de outro mundo, certo? Em outras palavras, ele provavelmente não está totalmente com os [Humas]!” (Lenon)

“Is-isso é…” (Mimir)

Com certeza, Hiiro era certamente classificado como um dos [Humas], mas como Lenon disse, não havia base para decidir se ele realmente estava com eles.

Apesar de Mimir confiar em Hiiro completamente, ele veio dos [Humas] onde eles não tinham relações. Mesmo que ele seja humano, isso não quer dizer que você pode confiar em todos os outros humanos.

Ela também ouviu a história que ele é um ser humano. Logo ela entendeu a razão pelos sentimentos inquietos de Lenon.

“Bem, o que você pensa, pai?” (Lenon)

Ele pressionou Leowald por uma resposta. Então, ele tremeu seus lábios gentilmente.

“Não há nenhum país em que o rei regente tenha um entendimento completo de suas forças.” (Leowald)

“Eu pensei assim também.” (Lenon)

Lenon deu um leve sorriso.

“Contudo.” (Leowald)

“Huh?” (Lenon)

“Se o país mudar, pode ser possível negociar.” (Leowald)

“Haa?! O que você está dizendo, pai!” (Lenon)

Lenon que ficou completamente aliviado mais cedo, gritou reflexivamente por aquele comentário.

“Apenas me escute primeiro.” (Leowald)

“Guh… apenas o que é?” (Lenon)

“Certamente, a nação presente que Rei Rudolph unificou não é confiável. É porque aquele país foi pintado cheio de mentiras. Mesmo formando uma aliança, nós não sabemos quando nós seremos traídos.” (Leowald)

“Então, quanto mais é necessário pensar sobre isso…” (Lenon)

“Mas se essa pessoa mudar, o país mudará também.” (Leglos) (NT: Eu não sei se uso Leglos ou Regulus para o nome dele… Por um lado quero manter todos com nomes semelhantes, por outro Regulus é mais legal)

Todos que ouviram aquelas palavras ficaram impressionados. Contudo, apenas Leowald fixou seus olhos nessa pessoa… encarando Leglos,

“Se explique, Leglos.” (Leowald)

E demandou uma explicação dele.

“Como você queira. Se essa pessoa mudar, o país também mudará. Você entende, Lenion?” (Leglos)

“…….” (Lenon)

Olhando para ele que ainda permanecia quieto,

“Escute aqui, o rei atual neste momento, para mim que ainda é imaturo, é imbecilidade em si mesmo. Invocando heróis, e até quebrando a conferência… talvez, eles realmente estejam conectados com o ex-maou.” (Leglos)

“Mah-!?” (Lenon)

“Hohou, então você notou também, Leglos.” (Leowald)

“Sim, caso contrário quebrar a conferência não levaria simplesmente para uma guerra acontecendo. Provavelmente, o ex-maou negociou com Rei Rudolph com alguns meios e fez um plano com antecedência. Apesar de nós termos entrado nisso para levar vantagem, deve ter alguém que foi armado para nos pegar desprevenidos à qualquer hora.” (Leglos)

Todos estavam surpresos, mas apenas Leowald gemeu com admiração.

“Simplesmente por causa do pensamentos que eles planejaram algo, ao invés de uma aliança, eles chamaram por uma trégua temporária. Um acordo para não interferir um com o outro mais do que o necessário.” (Leowald)

“Então?” (Lenon)

“Rei Rudolph, desde o começo, não queria formar uma aliança nenhuma, simples assim. Ele não pensou em nada além de assassinar a Maou naquele lugar. Se for pelo bem do país, é necessário recomendar formar uma aliança, e ele deve ter emprestado nossas mãos para matar a Maou. E ainda assim, ele não fez quaisquer objeções contra minha demanda, e apenas para matar a maou, ele até despachou os heróis com a gente para agir como uma distração para o [País Demônio]. Naquela hora, ele já…… não, ele já não era mais um rei por algum tempo.” (Leowald)

“……” (Lenon)

“Um rancor talvez… um rancor pessoal está claramente envolvido na questão. Logo, seu pai não é assertivo para fazer uma aliança com eles, certo?” (Leowald)

“Ah, então é assim. Mas é também um fato que esta é uma boa oportunidade. Com isto, [Xaos] deve ser limpada e movida. Contudo, mesmo depois deles terem feito isto e aquilo, um irregular acabou com tudo numa massiva falha.” (Leglos)

Claro, é de Hiiro que nós estamos falando.

“Um rei que se move por um rancor pessoal não pode liderar um país para um caminho melhor. O país do rei tolo que não ligou para seu povo nem um pouco irá eventualmente ser corrompido mais tarde.” (Leglos)

“É esta a razão para você falar algo sobre o país mudando, meu irmão?” (Lenon) (NT: Era irmão mais velho, mas é ruim escrever isso em português… e eu não sei quem está falando direito, poderia ser a Mimir… aniki ou onii-___ faz toda diferença…)

“Sim. O país mudará. O povo não terá escolha senão mudar. Não é mesmo, Lenon?” (Leglos)

“…?” (Lenon)

“Não o Rei Rudolph, mas alguém que ama seu próprio país, seu próprio povo. Se uma pessoa que ama paz acima de todo resto ficar no topo, isto mudará o país.” (Leglos)

“Há algum ser humano assim?!” (Lenon)

“Eu não sei.” (Leowald)

Leowald respondeu assim.

“Nunca foi resolvido numa situação política. Contudo, uma pessoa que tem o poder estourando completamente deve tomar o topo, ou o país não mudará.” (Leowald)

Anúncios

7 respostas em “Capítulo 209: Rebelião de Kokurou

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s