Capítulo 11 – Esta é a Espada Divina?

3190 palavras de puro capítulo… ah, e no meio há Notas do Autor, que ele usa um asterisco* para marcar e tal – Este capítulo foi traduzido do MoonBunny Cafe.


Capítulo 11 – Esta é a Espada Divina?

Plop.

“*sob* Eu… Poong Chun-Ho… cumprimento o Imperador Gunmun… por favor perdoe minha inabilidade… em lhe servir em sua hora de necessidade.”

Suas lágrimas estilo cocô de galinha e ombros trementes mostravam a emoção inchando dentro dele. Pa Chun estava impressionado com esta cena. Apesar dele ter esperado isso até certo ponto, ele não esperava o Chefe Mestre de Gae Bang sendo um vassalo do primeiro imperador também.

Pa Chun foi para a sala do Chefe Mestre para falar.

“Os dois Nohs estão indo bem?”
“Sim, eles estão bem.”
“Por favor, fale livremente.”
“Não, isto está bom o suficiente. Eu não sou mais o imperador, então me trate como você trataria qualquer outro.”
“Então eu devo cumprir os desejos de vossa majestade… os gêmeos Nohs e eu somos os únicos poderes que o Imperador Fundador deixou em Gang Ho Murim. Eu acredito que os Nohs estiveram juntando suas forças no que eles treinaram em segredo. O Imperador Fundador nos contou que algo assim iria acontecer… mas para pensar que isso realmente aconteceria… eu ainda não posso acreditar nisso.”
“Está tudo no passado agora. Além do mais, eu estou mais do que contente com meu atual estilo de vida. Há muitos jeitos que um homem pode viver sua vida, e este é certamente um dos melhores. Eu posso livremente vagar neste mundo aberto como eu desejar… como isto pode ser algo senão uma grande sorte? Eu apenas nunca percebi porque eu vivi minha vida toda no palácio… o mundo é um lugar vasto e misterioso.”
“…”
“A estrada em que eu caminho agora será decidida por mim… este é o verdadeiro jeito de se viver a vida de alguém. Meu avô conquistou sua ambição e fundou uma fundação de um grande império. Apesar de sua fama ser respeitável, eu não tenho uso para seu legado. Eu não mais irei me envolver no governo. Meu tio… é um herói. Eu não desejo brigar contra ele por algo que eu não ligo mais. Então por favor não fale disso novamente.”
“O que você fará de agora em diante? Não importa o que seja, eu irei apoiar você com tudo que eu posso fazer.”
“Então… e se eu fosse lhe dizer para criar um banho de sangue em Gang Ho?”
“Então isso deve ser feito sem perguntas. A razão pela qual eu não me juntou com a Aliança dos Nove Jung era precisamente porque eu não sabia dos nossos planos futuros. Meu trabalho era fazer Gae Bang numa força completamente sob meu controle. Os oficiais de maior posição foram escolhidos para não importa que tipo de ordens eu dê, eles irão seguir sem perguntas. Naturalmente, nós somos seus para comandar.”

‘O Imperador Fundador tinha bons vassalos assim. Com uma lealdade tão profunda, meu avô deve ter sido grato. A razão pela qual ele foi capaz de alcançar suas ambições deve ter sido por causa da ajuda deles.’

“Eu não tenho quaisquer planos concretos para você seguir… mas eu irei definitivamente precisarei de seus serviços um dia. Quando a hora chegar, por favor venha à minha ajuda.”
“Sim, claro. Mas pelo que eu ouço, sua fama já alcançou os cantos de Gae Bong. O que está acontecendo? Também, eu ouvi que você é capaz de usar artes marciais dos Shaolin. Isto é verdade?”
“É uma longa história, mas você pode perguntar os Nohs sobre isso. Eu estarei indo agora. Oh certo, você está participando no Banquete Jung Do também?”
“Um estudante meu estará. Apesar que se você estará lá, eu terei que ir.”
“Então eu lhe verei lá.”

Os dois se levantaram juntos.

“Ah, meu senhor, eu tenho algo para lhe dar.” (NT: Lord)
“Hm?”
“Por favor me siga.”

“Ho, que lugar incrível.”

Pa Chun ficou espantado com a cena diante dele. Ele estava num depósito secreto de armas atrás da sala do Chefe Mestre. Ele estava cheio com armas dando uma aura de gelar os ossos, no que elas todas eram tesouros que haviam uma vez balançado o mundo.

A entrada era cerca de 10 jangs de largura, suas paredes contendo centenas de armas brilhantes. Poong-Gae trouxe Pa Chun para a área mais interna, erguendo um pano vermelho cobrindo uma caixa de metal. A caixa de metal tinha várias Pérolas de Encobrimento imbuídas nela. (NT: Pérolas que previnem que poeira invada o que ela está protegendo.)

“Aqui está. Tente abrir ela. Isso é algo que o Imperador Fundador adquiriu e me entregou para preservar. Há duas delas, então escolha uma de seu agrado.”

Pa Chun acalmou sua mente excitada e foi para frente da caixa de metal.

Creak.

A tampa abriu com um som ensurdecedor, no que o rosto de Pa Chun ficou mais alegre depois de ver o conteúdo dentro da caixa.

-Ho, isto é?
=Oh, amitabul.

Chun Ma e Huineng foram os primeiros a reagir.

Era uma espada. Provavelmente cerca de três jas e cinco chis? Seus dois gumes afiados brilharam com um tintura vermelha enquanto a lâmina carregava uma cor bem preta. Uma imagem de um dragão ascendendo aos céus estava inscrito em seu cabo, e no seu fim estava bordado com um fio dourado. A bainha da espada também estava decorada com uma imagem de um dragão ancião bordado nela com um fio dourado. A espada e a bainha estavam lado a lado, e ao lado dela estava outra espada. Sua lâmina, contudo, não podia ser visto no que a lâmina estava dentro de sua bainha. (NT: A espada tem cerca de 1m35cm)

“Qual das duas você gostaria?”
-Pegue a preta.
=Não, shizhu! Pegue a espada de cor branca ao lado dela.

Pelo que esses dois estão ficando tão agitados? Por que eles ligam o que eu pegarei?

Pa Chun alcançou pela espada preta hesitantemente. No que King Gae Poong Chun-Ho observou esta cena a testa dele ficou coberta com gotículas de suor. Por que?

Pa Chun então alcançou pela espada branca. Apesar de sua bainha não ter padrões nela, a espada ainda carregava uma aura mística. Pa Chun parou sua mão novamente! Toda vez que ele fazia isso, o rosto de Poong Gae mudava.

-Não, não, sim sim.
=Sim, shizhu. Não, não essa…

Ambos Chun Ma e Huineng estavam enlouquecendo. Pa Chun moveu sua mão de uma para outra em rápida sucessão, só para brincar com os dois. As vozes deles continuaram subindo, e no fim, Pa Chun retirou suas mãos para fora.

“Poong-Gae… que tal eu pegar ambas as duas?”
“Ambas? … Haha, claro, vá em frente. Elas são suas para começo de conversa, meu senhor.”
-Tsk, que cretino ganancioso!
=Amitabul. Apenas uma seria difícil de lidar…

‘Só o que há com essas espadas para fazer esses dois agirem assim?’

A curiosidade de Pa Chun estava em seu pico.

“Poong-Gae, você sabe algo sobre essas espadas?”
“Sim, eu sei! A preta é… a lendária Espada do Demônio Celestial… dita de ter sido usado pelo próprio Chun Ma.”
“Chun Ma!!”
“Sim.”
[Você estava num auê por causa da sua velha espada?]
“Nada foi confirmado é claro. É apenas minha especulação. Ela parecia bater exatamente com os detalhes da espada de Chun Ma descritos nas Biografias de Murim…”
-É minha.
“Chun Ma confirmou que é dele…”
“Perdão?”
“Não, não, continue.”
“A outra é uma das três lendárias espadas sagradas – Yu Chang, Gan Jang e Mak Sa. Esta é a Espada Gan Jang.”
“Espada Gan Jang?” (NT: Isso também pode significar molho de soja; que outro significado tem? Não sei!)

Por que não chamar ela de Miso?

“Sim. Esta espada foi forjada pelo lendário ferreiro, Gan Jang, que viveu durante o Caótico Período dos Reinos Combatentes. De suas duas últimas peças – Gan Jang e Mak Sa – esta é a primeira.”
“Entendo.”
“Há muitas histórias envolvendo esta espada, mas elas são apenas histórias. Ela também é conhecida como ‘a espada carregada pelo imperador’. Por conta disto, muitos imperadores partiram em busca desta espada.”
“Eu gostaria de ouvir algumas dessas histórias.”
“Eu só ouvi sobre isso de outro, então não é nada especial.”

A história era assim.

Durante o Período dos Reinos Combatentes, havia um ferreiro pelo nome de Gan Jang, que tinha uma esposa chamada Mak Sa. Um dia, a rainha do país deles ficou grávida e deu à luz; mas o que ela havia dado à luz não era uma criança, mas aço bruto! Depois de muitos dias contemplando, o rei ordenou que o melhor ferreiro da era, Gan Jang, derretesse o aço e forjasse a melhor espada que ele já criou. Gan Jang separou o aço em dois, fazendo duas espadas – Gan Jang e Mak Sa. Ele de uma das duas para o rei, mas foi incapaz de retornar para casa. Com medo que ele fizesse outra espada equiparada com aquela, ele ordenou que Gan Jang fosse morto. Infelizmente para o rei, outra espada de igual força já havia sido feita por Gan Jang. Sua esposa, Mak Sa, que estava grávida na época, deu à luz para um filho. Ela escondeu do rei numa casa isolada na montanha, ensinando ao filho dela artes marciais todo dia. Quando o filho atingiu a maioridade, ela entregou a espada Mak Sa e ordenou ele a tomar vingança por seu pai. Contudo, se ele teve sucesso ou não nunca foi registrado.

“Tudo bem, eu levarei elas duas então.”

‘Ah, para pensar que outra das profecias do Imperador Fundador se tornaria verdade. Ele uma vez disse que alguém irá aparecer que empunhará ambas espadas e unificará as terras sob um. Na verdade, as palavras dele sugeriram que este homem iria unificar o mundo inteiro… isso inclui a autoridade do imperador?’

Pa Chun colocou as duas Espadas Divinas em volta de sua cintura. As duas espadas juntas com sua aparência bela deram à ele um visual divino.

Enquanto falavam sobre todos os tipos de coisas, os dois foram para fora do Templo. Vendo o Chefe Mestre pessoalmente acompanhando ele embora, os homens de Gae Bang observaram os dois com olhares suspeitos.

Depois de chegar de volta ao hotel, Pa Chun não foi para seu quarto, no que ele achou os outros tendo café da manhã no refeitório do hotel. Quando Pa Chun entrou, todos se levantaram de seus assentos e perguntaram onde ele havia ido.

“Haha, eu fiquei um pouco cheio então eu saí para uma caminhada matutina.”

Os olhares deles haviam focado nas duas espadas ao redor da cintura de Pa Chun.

“Ah, essas são espadas que eu por acaso encontrei… há algum problema?”
“Não, só que elas não parecem ser quaisquer espadas ordinárias. Na verdade, elas aprecem ser espadas estimadas.”

Nangong Hemi tinha um olhar de surpresa por esta afirmação.

“É mesmo? Hm… então alguém como eu devo ser indigno de tais espadas, não?”
“Claro que não. Se há algo que Senhor Mun não possa possuir, quem sob os céus iria clamar que ele poderia? Não nos embarace com tais piadas.”
“Haha, vamos nos sentar e terminar nosso café da manhã primeiro.”

Pelas palavras dele, todos se sentaram de novo. Desde o incidente noite passada, o jeito que eles tratavam Pa Chun havia mudado significantemente. Apesar dele ser mais jovem, eles tratavam ele com o respeito que alguém usaria para seu mais velho. (NT: Normalmente eu uso ‘ancião’, mas…)

‘Mm. Por que ela está me encarando tanto. É só manhã…’

Quem era aquela encarando Pa Chun? Era Nangong Ah-Yeon. Naturalmente, ela foi aquela que fez uma visita tarde da noite para Pa Chun. Ela estava encarando Pa Chun com olhos cheios de amor e arrependimento. Sem ligar para isso nem um pouco, Pa Chun devorou a comida que ele havia acabado de pedir. Contudo, no que ela não mostrou quaisquer sinais de parar, Pa Chun não pôde deixar de continuar notando o olhar dela. Mas ele não podia demonstrar isso em seu exterior. Se os outros descobrissem, isso levaria à coisas problemáticas.

“*Cough*, você dormiu bem noite passada, senhorita Nangong? Você parece preocupada sobre algo. Há algo errado?”
“Sim…?”

Ela entrou em pânico assim que todos haviam virado a atenção para ela. Mas dentro de um momento, ela reganhou sua compostura e disse com um sorriso.

“Hoho, que preocupações? Eu dormi bem… foi uma noite satisfatória.”

Quando ela respondeu com uma gota de precocidade, os olhares dos outros brilharam estranhamente. As três outras garotas especialmente deram à ela um olhar de questionamento, somente para encontrarem nenhuma resposta. Depois de um pouco, o tópico da conversa se mudou para o Banquete Jung Do que ia aconteceu hoje.

O usualmente quieto Moyong Jung-Geol explicou enquanto seus olhos tremeram como haviam feito antes. Porque parecia que ele estava tentando seduzir ele, um homem, Pa Chun não se sentiu muito confortável. (NT: Esse tremer que eu uso é tipo umas piscadas involuntárias)

“Senhor, sua fama já alcançou os fins de Gae Bong. Parece que você receberá um bocado de atenção no Banquete.”

Foi somente depois que eles acordaram que eles ouviram sobre quão famoso Munyun (o nome pelo qual eles conheciam ele) se tornou. Ele havia até recebido o apelido de Dragão Divino de Face de Jade. Como eles tinham pessoalmente testemunhado a habilidade dele, eles não pensaram que isso era um exagero nem um pouco.

“Isso é honestamente um pouco demais para mim. Eu estou honrado que alguém como eu é visto com tal respeito.”
-Hmph, sua fama está se espalhando por Murim num ritmo exponencial. Quem iria acreditar que você acabou de estrear em Murim? Você pode até anunciar que você é Discípulo de Chun Ma. Ninguém aqui acreditaria em você. O mundo é seu para tomar.
[O mundo é meu para tomar, eh? Eu gosto disso… eu lembrarei disso.]

Depois de terminarem o café da manhã, o grupo seguiu para fora. A Estrada Yun Hyun que ia através do norte para o sul da Prefeitura de Gae Bong estava lotada com pessoas. No grupo de 10 incluindo Sul Ju-Bong estavam todos andando em cavalos. A importância deste grupo podia ser vista claramente no que o dono do hotel pessoalmente veio acompanhar eles indo embora. O Banquete Jung Do que começaria na tarde iria continuar por três dias. Murim-ins que vieram participar podiam ser vistos em todo lugar, e pessoas que se conheciam se cumprimentavam. Pessoas especialmente reconheceram homens das Espadas do Norte. Aqueles que reconheceram Pa Chun também não puderam deixar de falar sobre ele com os outros na multidão.

Seguindo o Huang He que fluia para o norte de Gae Bong, alguém iria achar as Espadas do Norte, um dos 4 Poderes do Jung Do.

Espadas do Norte!

Eles eram um grupo militante que unificou as áreas do norte cheias com clãs de arte marcial. Apesar deles clamarem ser parte do Jung Do, as ações deles só podiam ser descritas como hostis e malignas. O jeito deles de fazer as coisas era claramente diferente daquele das Lâminas do Sul, localizadas no Distrito de Wu Chang da Província de Hu Guang*. Era também vastamente diferente da União dos Cinco Clãs da Província de Sichuan, ou as 9 Escolas da Aliança dos Nove Jung do Jung Do. (NA*: Dividida entre Província de Hubei e Hunan em 1667 com o Lago Dong Ting como a borda delas)

Dos 4 Poderes do Jung Do, as Espadas do Norte tinham o maior número de pessoas. O ranking deles do maior para o menor era assim: o Chefe, então três Protetores, então os Conselheiros, Generais e Inspetores. Sob o comando dos três Protetores estavam o Palácio Guardião, o Palácio da Espada Demoníaca, Palácio da Espada de Sangue e Palácio da Espada Celeste. Os Generais estavam encarregados do Regimento de Cavalo Blindado, e os Inspetores estavam encarregados da Corporação de Aplicação de Lei, a Corporação de Assassinos e a Corporação de Informação. Além desses grupos, as Espadas do Norte controlam uma força adicional de 15,000 homens. Eles eram inegavelmente o maior dos 4 poderes.

O que fez muitas pessoas levantarem preocupações eram os Palácios da Espada de Sangue e o Palácio da Espada Demoníaca, sob o comando dos Protetores. Os dois grupos consistiam de famosos Ma Do-ins que as Espadas do Norte recrutaram, e suas perversidades ainda eram as mesmas. As Lâminas do Sul e a União dos Cinco Clãs levantaram questões em várias situações mas as Espadas do Norte sempre recusaram tomar ação, fazendo a União dos Cinco Clãs duvidar da motivação das Espadas do Norte.

 

A estrada levando para as Espadas do Norte estava preenchida com Murim-ins. Alguns andaram sobre cavalos enquanto alguns andavam em carruagens. Alguns andavam num grupo de considerável quantia de pessoas enquanto alguns participavam sozinhos em seu próprio mérito. Havia centenas de escolas menores que não haviam se juntado aos 4 Poderes de Jung Do. Se uma escola menor do Ma Do não tivesse se juntado à Aliança Ma Do, as pessoas do Jung Do iriam buscar e provocar elas. Contudo, os Jung Pa não ligavam se escolas menores do Jung Do não se juntam aos 4 Poderes. Era as Espadas do Norte que sempre ficaram diante das escolas opressoras do Ma Do. Os outros 3 poderes apenas ocasionalmente ajudaram.

Pa Chun começou a ver a fortaleza gigantesca das Espadas do Norte na distância. Suas paredes externas tinham 20 li de altura, e outra parede dentro dela separava a fortaleza em partes internas e externas. Vários pagodes estavam espalhados pela fortaleza, tomando um largo espaço envolta dela. Um particular situado no centro das paredes internas havia evocado admiração de seus espectadores. Este era o Pavilhão da Espada Divina de 9-camadas.

“Tsk, olhe para o dinheiro que eles gastaram naquilo.”

As pessoas ao redor do cavalo de Pa Chun deram uma bufada leve.

“Quanto dinheiro eles gastaram para construir esse negócio?”

Apesar do homem estar falando com ele mesmo, outro havia ouvido e respondeu.

“Eu ouvi que eles usaram dez mil moedas de ouro* só para construir o Pavilhão da Espada Divina. Quem poderia chutar o que a fortaleza inteira custou?” (NA*: Cerca de 500 milhões de Won nos dias de hoje)

Nesta questão Nangong Hyuk Ryun olhou ao redor cuidadosamente antes de dar a resposta dele.

“A mais importante fonte de renda deles é transportar bens. Além disso eles possuem vários hotéis e bares ou trabalham em grupos mercenários. No que eles começaram a expandir nesses negócios, eles acharam Ma Do-ins sendo um empecilho, já que isso era o que Ma Do-ins estão normalmente envolvidos. É também o porquê deles estarem indo tão longe para caçar vários clãs Ma Do. Se esses clãs caírem, as Espadas do Norte seriam capazes de monopolizar esses negócios.”
“Oho… de fato, se eles pudesse monopolizar esses negócios em toda Terra Central, os lucros deles serão imensos.”
“Sim?”

Nangong Ah-Yeon perguntou depois de repentinamente grudar ao lado dele.

O que há com ela tão de repente? Apenas me deixe sozinho, sim? Não pode ver como as outras garotas estão olhando para nós? Ou você está propositalmente tentando exibir isso? Eu já indiquei para ela parar… ela é densa? Ou ela é apenas tenaz?

Dudududu.

“Saiam da frente! Giddyap.” (NT: Esse Giddyap parece ser aquelas coisas que se fala para cavalos)

A batida de cascos de cavalo podiam ser ouvidos. Sair da frente? Ele pensa que qualquer um estará disposto em fazer espaço para um cavalo passar no meio?

Como Pa Chun esperava, ninguém ligou para este homem.

 

4 respostas em “Capítulo 11 – Esta é a Espada Divina?

    • Eu vou continuar até acompanhar o povo em inglês (capítulo 16, se for contar assim) – está empacado faz um tempo nisso, mas todos temos a esperança que vai voltar (o cara deu sinais de vida).

      E quando “acabar” esta, eu arrumo outras coisas, como já planejo fazer…

      Curtir

  1. Thyros, desculpa usar esse espaço pra perguntar isso mas você qual é o nome de um Novel onde (só pra variar) o protagonista é teletransportado pra um mundo diferente no meio de uma floresta junto com toda a sua turma onde cada um ganha um poder diferente, menos uma parte que não tem poder (protagonista incluso). Depois deles formarem uma “vila” e um grupo com poder sair pra buscar ajuda acontece altas confusões com uma galerinha da pesada onde morre metade do povo que nao tem poder e o protagonista acaba de escondendo numa caverna e descobre que tem o poder de controlar os monstros que ele “mata”.

    Eu lembro que alguém estava traduzindo esse novel mas com formatações, limpezas de cache e TCC eu perdi quem estava com o projeto.

    Curtir

    • Não faço a menor ideia – nunca vi essa aí… tente perguntar para o povo do Espreom, Hirune ou algum site assim, que tem vários projetos; maior a chance de alguém saber qual é.

      Curtir

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s