Capítulo 156: Hiiro e Aquinas

Estou aqui pensando, acho que vou fazer uma mudança no WP por causa do DdH… porque não é uma tradução e tal, mas eu preciso checar algumas coisas com outras pessoas antes – Capítulo traduzido do NetBlazer.


Capítulo 156: Hiiro e Aquinas

Aquinas guiou Hiiro para o que parecia ser o quarto dele. No terraço, havia uma mesa circular junto com algumas cadeiras.

Depois de ser oferecido para tomar um assento, Hiiro sentou silenciosamente.

“Você pode beber?” (Aquinas)

Depois de ser perguntado assim, Aquinas pegou uma garrafa, que parecia conter vinho.

“Desculpe, mas eu não realmente entendo o apelo de álcool.” (Hiiro)
“Hmm, você está perdendo até que um pouco na vida.” (Aquinas)
“Hey, eu posso aproveitar vida sem beber, sabe?” (Hiiro)
“É mesmo? Bem, pretenda que eu lhe enganei e você tentou beber um pouco. Se não agradar seu gosto, você pode só deixar isso assim.” (Aquinas)

Então, Aquinas inclinou a garrafa para o copo e um líquido similar com vinho vermelho fluiu para fora.

“Estou te dizendo adiantado, não há veneno nele.” (Aquinas)
“Eu não estou preocupado sobre isso. Não há mérito em envenenar alguém de que você está pedindo um favor.” (Hiiro)

Hiiro ergueu o copo e trouxe ele para seus lábios. (NT: Ou é uma taça… palavra genérica dos infernos)

“Nh? … nh?” (Hiiro)

Isso deu à ele um sentimento bem inesperado. Não era nada amargo, e se ele tivesse que dizer, isso tinha a doçura que o deixou aliás fácil de se beber.

“Como está? Não tem muito álcool nisso. Isso agrada seu gosto?” (Aquinas)
“Não é tão ruim quanto eu pensei.” (Hiiro)
“Bom ouvir isso.” (Aquinas)

Aquinas se sentou, tomou um pequeno gole, e deixou isso fluir adentro de sua garganta. Então, ele silenciosamente colocou o copo na mesa e abriu sua boca.

“Hiiro.” (Aquinas)
“… O que?” (Hiiro)
“Você tem minha gratidão.” (Aquinas)
“……?” (Hiiro)

Hiiro pensou que ele ia pedir seu favor imediatamente, mas estava tão surpreso pelas repentinas palavras de gratidão, que ele reflexivamente respondeu.

“… Pelo que você está grato?” (Hiiro)
“Várias coisas.” (Aquinas)
“Várias coisas… huh?” (Hiiro)
“Isso mesmo, várias coisas.” (Aquinas)

Hiiro pensou que isso era por ajudar durante a guerra. Mas, para ele, isso era trabalho relacionado com o contrato que ele havia assinado com Eveam. Ele não se lembra de mais nada pelo qual Aquinas seria grato. Enquanto ele recebesse propriamente compensação, então ele estaria satisfeito…

“Isso não é só sobre as preparações de guerra… sabia?” (Aquinas)

Ele disse como se ele tivesse lido a mente de Hiiro.

“Então o que é?” (Hiiro)
“……… Prin… é sobre Sua Majestade.” (Aquinas)
“A maou, cuja cabeça é cheia de flores, certo?” Hiiro disse com uma leve risada.
“Fufu. Só você diria algo assim sobre a governante de um país.” (Aquinas)

Invés de achar problema nas palavras de Hiiro, Aquinas sorriu com vontade.

“Aah, isso mesmo, é sobre Vossa Majestade.” (Aquinas)
“… Eu não fiz nada, sabe?” (Hiiro)

Se ele tivesse que dizer se ele fez algo, então seria sobre como ele curou as feridas dela. Independentemente, ele tinha simplesmente pensado na hora que se ela morresse, ele iria perder seu tão esperado ingresso para a biblioteca.

“Não, graças à você, Sua Majestade é capaz de ir adiante, em direção ao seu objetivo.” (Aquinas)
“……” (Hiiro)
“Durante o conflito desta vez, nós devemos ter sofrido uma quantia significativa de dano. Mas, por causa dos seus esforços, nós fomos capazes de resolver o incidente com dano mínimo para o país. Foi também por sua causa que Sua Majestade ganhou a determinação para lutar.” (Aquinas)
“Eu só expliquei senso comum para ela. Além do mais, se você está falando sobre a proposta, você está agradecendo a pessoa errada. Isso foi só um flash de inspiração que eu tive. Eu normalmente não pensaria que haveria pessoas dispostas à colocar isso em prática ou aceitar a proposta.” (Hiiro)
“E ainda isso foi proposto à nós, e foi aceito pelo outro lado.” (Aquinas)
“… Realmente tem algo errado com os governantes deste mundo.” (Hiiro)
“Talvez…” (Aquinas)

Aquinas rapidamente tomou outro gole de seu copo.

“… Hmm, Sua Majestade é capaz de continuar em seu caminho do seu próprio jeito. Aquele que ajudou ela chegar neste ponto foi você, Hiiro.” (Aquinas)

Eles ambos se olharam em entendimento mútuo.

“Sua Majestade sofreu um golpe. Não apenas ela foi traída pela sua assistente, que esteve ao ao lado dela por muitos anos, a conferência de paz também acabou em fracasso.” (Aquinas)
“……” (Hiiro)
“Mas você ainda está aqui. Por alguma razão, Sua Majestade acredita em você completamente. No momento, sua própria existência é um grande suporte para sua Majestade.” (Aquinas)
“Mesmo que eu ache isso problemático?” (Hiiro)
“Hmph, não diga isso. Mesmo que ela pareça daquele jeito, ela é genuinamente uma garota inocente. As visões dela ainda são rasas. Mas assim como você, ela tem algo que atrai pessoas para ela.” (Aquinas)
“Mesmo que eu não acredite que eu tenha algo assim?” (Hiiro)

Isso era algo que ele verdadeiramente acreditava.

“Se você disser algo assim, seus companheiros ficarão bravos, sabia?” (Aquinas)
“Por que?” (Hiiro)
“……” (Aquinas)

Como esperado, até Aquinas piscou em descrença quando ele ouviu uma resposta dessas.

“… Hiiro, você já foi considerado como cabeça dura?” (Aquinas)
“Ah? Cabeça dura? Hmm, eu lembro da Aka-loli e o Hentai dizendo alguma coisa assim.” (Hiiro)
“Aka……loli? H-hentai?” (Aquinas)
“Aka-loli é aquela que te encarou. O Hentai é o mordomo velho.” (Hiiro)
“…… Kuh.” (Aquinas)

Ouvindo isso, Aquinas olhou para o lado enquanto seu corpo começou tremer pouco a pouco.

“………?” (Hiiro)

Hiiro imaginou o que havia de errado com Aquinas no que ele observou ele. Logo após isso, Aquinas parecia ter retornado ao normal já que ele se virou novamente para Hiiro com uma expressão refrescada.

“Como esperado, você é uma pessoa interessante. Não é supresa Liliyn estar interessada em você.” (Aquinas)
“Aonde você está tentando chegar?” (Hiiro)
“Hmph, vamos deixar isso de lado. Sobre sua majestade…” (Aquinas)
“Oh, tudo bem.” (Hiiro)
“De qualquer jeito sua majestade decidiu lutar.” (Aquinas)
“Entendo.” (Hiiro)
“Até agora ela nunca quis lutar, mas agora ela finalmente abriu seus olhos para a realidade. Isso é tudo graças à você.” (Aquinas)
“Escolher não lutar pode ser considerado uma coisa respeitável. É uma noção maravilhosa.” (Hiiro)
“De fato, uma noção maravilhosa.” (Aquinas)
“Contudo, isso é algo difícil de se fazer na realidade. Especialmente quando você vive numa era governada por reis.” (Hiiro)
“Esse é de fato o caso.” (Aquinas)
“Bem, não está bem se ela é agora capaz de ver a realidade um pouco? Por enquanto, você poderia dizer que ela cresceu um pouco.” (Hiiro)
“Mas, a maior questão é se as decisões dela irão ou não trazer frutos.” (Aquinas)

Em outras palavras, ele estava dizendo que não havia sentido se eles não ganharem contra os Gabranth.

“Entendo. Parece que o favor que você está planejando pedir é bem o que eu pensei.” (Hiiro)
“Hou, você gostaria de compartilhar?” (Aquinas)
“Você quer que eu… participe, certo? No duelo com os Gabranth.” (Hiiro)
“……” (Aquinas)

Hiiro considerou o silêncio de Aquinas como aceitação. Aliás, quando Hiiro contou à Eveam sobre o jeito de resolver esta situação, ele havia previsto que algo assim iria acontecer.

E então, enquanto ele havia achado inesperado que Aquinas iria vir pedir à ele pelo favor dessa maneira, Hiiro já havia entendido que Aquinas tinha vindo pedir pela participação dele no duelo.

Isso era, claro, para eles poderem ganhar. Se uma pessoa pensasse sobre isso, todo mundo iria procurar pelo poder de Hiiro. Mesmo quando ele era alguém de fora, seria estranho se eles não usassem o poder dele quando ele estava por perto.

De qualquer forma, Hiiro sabia que algo assim iria acontecer, então ele havia algo preparado. Ele queria acabar com a guerra o mais breve possível para que ele pudesse ganhar acesso à 《Grand Biblioteca Fortuna》 de uma vez.

Em adição à isso, ele também estava dedicado à realizar o sonho de Liliyn. O sonho dela era criar 【Um lugar que todo mundo podia aproveitar】.

Com o atual estado das coisas, algo assim era impossível. Era exatamente por isso que Liliyn queria criar um novo país e estabelecer seu lugar dos sonhos; apesar que no momento isso ainda era um objetivo distante.

Contudo, se eles continuassem ficando por aí sem fazer nada, mesmo se cem anos se passassem, as chances de ainda ser incapaz de realizar o sonho dele eram altas. Este sendo o caso, a ideia de Hiiro era de fazer uso dos países existentes.

Este mundo tinha três países, cada com sua própria grande história. Mas eles lutavam entre si continuamente e criaram extremo ódio uns contra os outros. Como eles estavam neste momento, seria impossível para sempre criar um lugar onde pessoas de cada país pudessem viver em harmonia.

Com isso em mente, qualquer país servia, enquanto eles pudessem manter os outros países na linha. Com esse controle ocorrendo, liberdades civis poderiam ser estabelecidas e haveria uma alta chance deles sendo capazes de controlar a oposição.

Invés de dominação e servidão, alguém buscaria liberdade e amizade. Contudo, algo assim não poderia ser estabelecido sem resolver os conflitos entre os países. Enquanto Hiiro ainda estava incerto sobre como resolver estes, enquanto o método usado para trazer o conflito para um fim fosse concordado por ambos os lados, ele pensou que estaria tudo bem.

Com isso em mente, Hiiro estava incerto sobre como ele iria aproximar os 『Humas』. Contudo, ele percebeu que para os 『Gabranth』, o duelo proposto dele iria funcionar melhor. Uma razão primária para isso era que ele de algum modo sentiu que se fosse aquele Rei das Feras, ele estaria disposto em aceitar a oferta.

Os Gabranth eram um grupo que tinham a crença de que força era tudo. Assim, Hiiro sentiu que se eles tivessem um método para exibir seu poder, eles iriam seriam capazes de persuadi-los. Se as coisas fossem bem, então ambos os lados estariam dispostos em participar na batalha.

Logo, se os 『Evila』 ganhassem, eles então seriam capazes de obter o país dos Beastmen. Apesar que ele pode ter dito “obter”, o que ele realmente queria fazer era finalmente pavimentar o caminho para uma aliança.

Se eles pudessem fazer isso, então tudo que sobraria para eles fazerem seria lidar com os 『Humas』 de algum modo, assim permitindo Liliyn tomar um grande passo em direção ao seu sonho.

Naturalmente, haviam um monte de incertezas, mas no momento a única coisa que ele podia fazer era assegurar que a 【Capital Demônio: Xaos】ganhasse. É por isso-

“Soa bom. Eu também participarei neste duelo contra os Gabranth.” (Hiiro)

Esta resposta estava preparada com antecedência.

Da próxima vez, finalmente… ‘eles’ irão aparecer !? (NT: Eu acho que esta linha era uma nota do autor, mas não tem nada escrito sobre isso…)

Anúncios

6 respostas em “Capítulo 156: Hiiro e Aquinas

      • KKKKKK sim, mas continuo rezando pra n acontecer, esses personagens okama geralmente são zoados e alivio comico, se o aquinas for gay vai quebrar o personagem dele de fodão das espadas gigantes (pensando bem, espadas gigantes…)

        Curtir

    • Tem um certo capítulo que fala do passado da Nikki, mas é muito breve… preguiça de checar em que capítulo é isso, mas basicamente ele encontrou ela, salvou ela e pegou ela como discípula. É isso.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s