Capítulo 350 – Idealismo

Capítulo grande e comecei tarde… mas tá aí… – Este capítulo foi traduzido do Yoraikun


Capítulo 350 – Idealismo

Isso me deixou levemente aliviado que Fohl estava agindo tão enérgico.

Então eu deixei Raphtalia na casa e decidi dar uma caminhada noturna rápida em volta da vila. Eu fui para fora.

E lá, eu achei Itsuki sentado na frente da Casa de Bioplanta olhando para o céu da noite.

“O que você está fazendo, tão tarde na noite?” (Naofumi)

Eu pergunto ao homem solitário.

Rishia está dormindo?

Ela deve ser quem está de olho nele… mas pelas ações dele até agora, eu acho que nós podemos confiar no Itsuki um pouco mais.

“Ah, é você, Naofumi-san?” (Itsuki)

Itsuki muda seu olhar das estrelas para mim no que ele responde.

Ele é um pouco… bem, o Itsuki recente tem sido quieto então é um pouco estranho.

Pode soar legal se você chamar ele de obediente, mas eu não consigo dizer o que ele está pensando por trás daquela máscara.

“Eu só pensei que a lua era bonita, então eu queria observar ela.” (Itsuki)

“Entendo.” (Naofumi)

Mesmo em outro mundo, tem uma lua.

Bem, este é um mundo com lobisomens, e como Fohl e Kiel, há demi-humanos que podem se transformar também.

… Porque só a raça lobo foi traduzida como ‘lobisomens’ pelo Escudo é um mistério para mim. (NT: Está escrito em kanji “homem lobo”, enquanto o resto é katakana de Raça [Algo])

Quando me foi mostrado um pelo Slave Dealer, ao menos, é assim que o nome apareceu.

Será que é assim que ouvido uma vez, o Escudo irá sempre traduzir assim?

Pensando de novo para o Status demonstrado lá trás, eu aposto que foi minha culpa.

É provável que quando o Slave Dealer me introduziu, ele usou uma ferramenta para demonstrar informação de um jeito que poderia ser lida por qualquer um. Ela usou meu entendimento do meu mundo.

Mas só usou isso para um certo conjunto de palavras.

“…”

“…”

Silêncio cerca Itsuki e eu.

Devo sair?

Quando eu penso isso, Itsuki quebra o silêncio de seu próprio acordo. Ele começa a falar.

“Naofumi-san, você sabe sobre isso, certo?” (Itsuki)

“Sobre o que?” (Naofumi)

“Minha… maldição saiu a maior parte já.” (Itsuki)

“… É.” (Naofumi)

Eu não sou um tolo.

Não teria como eu não suspeitar o Itsuki, que continuou a ficar ao lado da Rishia sem assertar sua presença.

“Então você sabia…” (Itsuki)

“Claro.” (Naofumi)

Ainda mais, ele até parou de ser um Homem do Sim recentemente.

Apesar que eu não acho que isso seja tão ruim em si.

Ainda assim, para ele responder minhas questões honestamente apesar disso, eu imagino que tipo de mudança aconteceu dentro dele.

“Um tempo atrás, quando você estava falando sobre a onda, e o reencarnado, você se lembra.” (Itsuki)

“Sim.” (Naofumi)

“Eu… não conseguia pensar numa resposta. E o que eu me lembrei era de um NPC de um jogo que disse coisas parecidas…” (Itsuki)

Parando para pensar, Itsuki disse alguma coisa assim.

Eu acho que é um sistema de trapaça que o desenvolvedor intencionalmente colocou no jogo, ou algo assim.

“Se você pergunta porque eu permaneci aqui mesmo quando minha maldição se quebrou…” (Itsuki)

Ele repentinamente muda de tópico.

Eu não acho que ele se recuperou por completo ainda.

“… Eu estava errado. Naofumi-san estava certo… é só que eu nunca tive a coragem de dizer isso, é o que eu pensei.” (Itsuki)

“E agora você pensa diferentemente?” (Naofumi)

Eu realmente considerei essa possibilidade.

O grupo do Itsuki instigou uma rebelião contra o estado, e eles foram todos executados.

Eles até conspiraram com Witch. Ele deve ter ouvido da Rishia sobre como ele usou uma habilidade para causar lavagem cerebral nos outros.

Por causa da maldição dele, ele foi forçado à escutar e a aceitar o que os outros disseram para ele.

“Neste momento, porque eu estou assim… eu posso… juntar minha coragem.” (Itsuki)

“Ah, entendo.” (Naofumi)

“Mas, por favor… você definitivamente não pode confiar em mim.” (Itsuki)

“Eu nunca confiei em você desde o começo. É por isso que você está sob a proteção da Rishia.” (Naofumi)

E tem também aquela promessa com Rishia.

“Então você não tem que acreditar nisso, mas por favor escute o que eu tenho para dizer.” (Itsuki)

“Entendido. E? O que é que você quer falar sobre?” (Naofumi)

“Primeiro… sobre a progressão da minha maldição.” (Itsuki)

“Ela não está curada?” (Naofumi)

“Eu não consigo dizer. Enquanto eu acho que ela foi removida, eu posso achar vários lugares onde ela ainda está em efeito.” (Itsuki)

Bem, a maldição dele é algo como a perda de individualidade.

Se alguma coisa está estranha, aqueles em volta dele não conseguem dizer, mas eu acho que o indivíduo em si pode notar.

“Meu julgamento e minha vontade, eu perdi várias coisas para esta maldição. Mas… parece que minha memória estava inclusa também.” (Itsuki)

“O que?” (Naofumi)

“Eu ainda… não consigo me lembrar do rosto da minha família no outro mundo, e há partes do jogo, e novels que eu li online, que eu não consigo me recordar nada.” (Itsuki)

“Você nunca disse nada sobre isso.” (Naofumi)

“Não é que eu não quisesse… eu não notei. Apesar que eu fui capaz de recordar um breve contorno das coisas quando eu não tinha meu senso de julgamento.” (Itsuki)

“…” (Naofumi)

“Quando Naofumi-san falou das novels do seu mundo, eu meramente pensei ‘então há histórias assim também’, mas quando eu usei a Onsen de Cal Mira hoje… eu me lembrei que meu mundo tinha elas também.” (Itsuki)

“Eu… entendo.” (Naofumi)

Ele tem amnésia parcial, e ele não tem a habilidade de sentir que algo está estranho?

“Mas por que?” (Naofumi)

É estranho para ele não ter notado até agora.

“Esquecer seus pais não é algo sério?” (Naofumi)

“Não é que eu não consigo me lembrar. Eu posso olhar para trás e ver que tipo de pessoas eles eram, e que tipo de coisas eles fazem, mas é como se eu tivesse leves lapsos na memória em alguns lugares. Eu não consigo lembrar eles não importa o que.” (Itsuki)

“Mas isso não é apenas natural? Qual é o problema?” (Naofumi)

“Parece que no meu conhecimento de jogador também. Eu falei sobre o jogo Onda Dimensional do meu mundo, correto?” (Itsuki)

“É.” (Naofumi)

“Não é estranho? Se tivesse uma sequência ou continuação no mercado, então eu não devia ter ao menos pesquisado a informação sobre isso ou algo assim?” (Itsuki)

Bem… ele está certo.

Não importa quão viciado ele estivesse, se ele soubesse que havia uma sequência para seu jogo favorito, ele teria ao menos olhado um panorama geral da história.

Mas Itsuki não fez nenhuma pesquisa. Ele não leu nada.

Não, ele não falou sobre algo?

“Claro, a informação sobre o que a onda era… provavelmente não estava no jogo. Mas, que tipo de ondas haviam, ou que tipos de novos sistemas de batalha estavam ocorrendo estariam definitivamente lá.” (Itsuki)

“I-isso mesmo.” (Naofumi)

“Bem, eu me lembro de visitar o país que Silt Welt atualmente ocupa e as áreas que eu não consegui visitar. Mas isso não é tudo.” (Itsuki)

“O que?” (Naofumi)

Ele está enrolando para o tópico principal. Eu não sei o que ele está tentando conseguir.

É só que eu entendo que isso irá transitar para algo importante.

“A Sequência da onda… depois de derrotar Ouryuu, Onda Dimensional teve a expansão… Vamos Para o Novo Mundo ligado pela Onda! Um sistema assim. Eu me lembro… eu estava esperando para ela vir.” (Itsuki)

“Isso significa…” (Naofumi)

“Sim… já era tarde demais para salvar aquele mundo.” (Itsuki)

Toda onda, Glass lentamente guia seu povo para cá.

Então o que acontece com o povo aqui?

Eu terei que perguntar depois.

“Não importa como você olhe para isso, é tarde demais.” (Naofumi)

“… eu sei. Mas… como se intencionalmente, a informação sobre a onda foi… deletada. Isso também é interferência do inimigo?” (Itsuki)

“Nem ideia.” (Naofumi)

A Arma Maldita que Itsuki colocou suas mãos era uma que um Herói do Passado pegou em mão para tentar conquistar o mundo, parece.

Se aquele herói conseguiu a arma por qualquer deus lá em cima, e Itsuki recebeu sua influência, então tem uma possibilidade para quem quer que esteja tocando isso levar quaisquer memórias que se provariam desvantajosas. (NT: Eu não sei se isso é no Brasil inteiro, mas por aqui, tocar algo é uma expressão que significa cuidar, manter funcionando e tal)

“E então, eu sou… talvez eu esteja sendo usado pelo inimigo. Eu não consigo nem dizer se a maldição foi ou não completamente removida.” (ItsukI)

Ah… então ele estava sempre pensando sobre algo assim.

“Então se eu alguma vez fazer algo que iria machucar você e os outros… por favor me derrube sem hesitação.” (Itsuki)

“Eu não posso fazer isso, então posso deixar isso para outros?” (Naofumi)

“Sim. Eu sei que isso é algo que eu devia estar estar deixando com Rishia-san… mas eu não acho que aquela garota será capaz de fazer algo tão impiedoso.” (Itsuki)

“Entendido. Eu farei uma promessa com você.” (Naofumi)

Com Ren e Itsuki, se isso fosse uma história, então eles estariam erguendo tantas death flags neste momento.

Enquanto eu pensava isso, Itsuki se voltou para a vila.

“Esta é uma boa vila. É um lugar que eu invejo, um lugar que Naofumi-san construiu do zero.” (Itsuki)

“Bem, isso não é um lugar ruim para se viver.” (Naofumi)

É próximo ao mar, e frutos de Bioplanta são fartos. Você não terá problemas com suprimento de comida.

A Árvore de Crepe é… questionável, mas isso é um lugar bacana de viver.

“Eu posso entender agora. Naofumi-san não é mau… se você só arbitrariamente juntar a pior informação, até o maior dos santos pode se tornar além de outro vilão.” (Itsuki)

“Não, eu sou um vilão.” (Naofumi)

… Eu olho na direção da vila para me condenar.

É um lugar que eu contruí. Um lugar que os aldeões irão alegremente tirar suas vidas para. Um lugar onde eu treinei todo mundo para alegremente marcharem para guerra.

Eu aprendi isso em negócios, você pode fazer o maior lucro quando você faz o outro lado alegre em comprar sua mercadoria.

Mas eu não consigo pensar que aquele que fez um lugar onde pessoas alegremente se sacrificam para guerra pode ser uma boa pessoa.

“Eu nunca ensinei as pessoas aqui a futilidade e tragédia trazida pela batalha.” (Naofumi)

“Mas… você está sempre protegendo eles para que eles não tenham que experienciar isso.” (Itsuki)

“… Eu não pude proteger eles.” (Naofumi)

Eu não pude proteger meus próprios aldeões.

Começando com Atlas, nós tivemos abundância de vítimas na batalha do Houou.

Na guerra com Faubley, a quantia de casualidades do nosso lado foi inacreditavelmente baixa, mas isso não significa que não houve nenhuma.

“O eu passado teria lhe condenado pela sua falta de responsabilidade… mas agora, eu posso entender. Em vez de uma vila sem os meios para lutar, uma que existe apenas para ser protegida pelo Herói do Escudo, uma preenchida com pessoas que querem lutar juntas com Naofumi-san e emprestar o poder deles para ele, brilha muito mais clara.” (Itsuki)

“Isso é só lábia.” (Naofumi)

“Sim, isso com certeza é. É por isso que Rishia-san, e Ren-san, e Naofumi-san estão trabalhando tão desesperadamente. É isso que eu entendo.” (Itsuki)

“Então eu posso continuar trabalhando os aldeões como escravos!?” (Naofumi)

Eu continuo dizendo que eu não estou trabalhando duro, mas duas pessoas me deram esse discurso já.

Agora e lá, eu nunca me senti tão conflitado antes na minha vida.

“Nós Heróis somos… nós não podemos apenas trabalhar pela nossa própria auto-satisfação. Porque Naofumi-san tinha muitas coisas que nós estávamos faltando, ele foi capaz de resolver os problemas que nós causamos. Na verdade… como Naofumi-san, nós queríamos fazer as pessoas verdadeiramente felizes, sem deixar elas para apodrecer.” (Itsuki)

“Apodrecer?” (Naofumi)

“Vamos ligar isso para uma pessoa que sabe que perigo está se aproximando. Se ela é meramente protegida, ela irá eventualmente pensar que é natural ser protegida, e eventualmente, ela irá até… esquecer a gratidão dela.” (Itsuki)

… Isso não é algo que eu não entenda.

É disso que o mundo da normalidade vive.

É apenas quando os heróis sem glória desaparecem que nós notamos. (NT: Heróis não cantados, aquelas pessoas que fazem as coisas mas ninguém sabe… estou cansado…)

Neste caso, é de novo, tarde demais.

“É por isso, mesmo se Naofumi-san retornar para seu próprio mundo, a vila que ele fez irá definitivamente continuar vivendo. Ele estava apenas fazendo um lugar assim.” (Itsuki)

“Isso era só meu jeito de agradecer uma escrava, Raphtalia.” (Naofumi)

“Ainda assim. Todo mundo está sendo protegido, mas por proteger eles, você mostra a eles a dificuldade de proteger, e o significado de força. E é exatamente por isso que esta vila é um bom lugar.” (Itsuki)

“… Poder é tudo sobre como você usa ele.” (Naofumi)

Ainda que eu faça eles fortes, não tem sentido se eles usarem isso para roubo ou vingança.

Essa vila não pode ser devota de pessoas com sentimentos como esses.

Tristeza é seguida por Ódio, e Ódio é seguido por Conflito… e se alguém ganhasse a força para realizar esses meios?

A resposta é simples.

Eles se tornam como eu.

Isso pode ser pela auto-satisfação, mas é um fato que eu nunca desejarei àqueles caras.

“Isso é… olhando para Ren-san e Wyndia-san, todo mundo está aprendendo como lidar com isso também.” (Itsuki)

Ren e Taniko?

Eu acho que todos os aldeões sabem sobre isso.

Sobre como ela se dá bem com aquele que matou o pai dela.

E parece que a Taniko se determinou em não agir por vingança.

“Também… todo mundo aprendeu que o mundo não é cheio com pessoas ruins. Vender foi seu jeito de ter eles aprofundando os conhecimentos deles de pessoas, certo?” (Itsuki)

Não, eu só queria dinheiro.

É o que eu penso, mas entendo.

As pessoas acabaram entendendo demi-humanos, apesar de serem odiados pelo país, através das suas vendas sob o popular logo do Herói do Escudo.

Para os aldeões que tiveram seus pais mortos por humanos, e aqueles que oprimidos como escravos, eles foram capazes de aprender, através da venda, que a raça humana tinha pessoas boas também.

Mas, eu não entendo o que há para se celebrar.

Mau entendimento pavimentando o caminho para guerra é uma história comum.

Bem, países demi-humanos frequentemente vão para guerra, então eles devem ter escravos oprimidos eles mesmos.

Eu acho que é uma coisa boa para esse sistema gradualmente se tornar obsoleto.

Neste momento, Melromarc e Silt Welt possuem uma aliança.

Olhando para as guerras que eles tiveram no passado, eu acho que é um resultado maravilhoso.

“Se fosse eu… eu definitivamente iria etiquetar aqueles que maltrataram demi-humanos como sendo um mal para se derrotar. Eu até entreguei punição em humanos naquela época.” (Itsuki)

“Há verdadeiros vilões por aí também. Não olhe para mim como uma lei rígida.” (Naofumi)

“Coisas não podem ser decididas pelos ideias de uma única pessoa… eu sabia. Talvez eu teria acabado como aquele reencarnador. Eu acho que eu preciso falar mais com aqueles que eu vejo como mau. Ou senão história irá meramente se repetir.” (Itsuki)

“Então… o que você fará se aquele se chamando deus tiver seus próprios motivos?” (Naofumi)

“… Se ele tem algo grande o suficiente que requira as mortes de tantas pessoas, então eu definitivamente gostaria de ouvir isso. Para poder ler isso no funeral dele.” (Itsuki)

A razão para destruir o mundo…

Eu não acho que isso pode ser qualquer coisa boa.

“Você quer dizer do como, para salvar o mundo da onda, nós temos que sacrificar dois terços da população? Para ele, pode ter uma certa razão para ele ter que fazer algo assim.” (Naofumi)

“Cada e todo mundo tem seu limite, e mundos que não são mais necessários devem ser destruídos. Se fosse algo assim eu poderia entender, mas eu não acho que isso oferece qualquer respeito aqueles que morreram como um resultado. Eu quero que ele ache um jeito melhor, não, é o dever dele achar um. Ou senão nós todos iremos contra ele.” (Itsuki)

Fumu… isso é idealismo, mas isso não soa ruim.

Claro, no fim, nós talvez tenhamos que trazer algumas vítimas nós mesmos.

E somos nós que temos que fazer essa escolha.

Mas no fim mesmo, nós vamos opor ele.

“Rishia-san disse isso. Que leva uma boa quantia de coragem para alguém dizer que outra pessoa está errada, mas empurrar justiça no outro é algo completamente diferente. Provavelmente.” (Itsuki)

“Com certeza soa como ela.” (Naofumi)

Para Rishia ser capaz de dizer coisas assim para Itsuki faz soar que o começo lamentável dela era apenas uma mentira.

Apesar que o “provavelmente” no fim realmente combina.

Mas, eu não consigo pensar nela como quem gritava “FUEEEE” enquanto tentava se afogar.

Hmm? Ela gritou algo assim quando ela pulou? Eu não consigo lembrar.

Mas ainda agora, Rishia continua a “FUEEEEEE” bem alto no que os ideias dela se desenvolvem adiante.

“Para poder cumprir o próprio desejo de alguém, para tomar de pessoas que você odeia é ruim. Mas e quanto tomar daqueles que você odeia para proteger os fracos? Se não para satisfazer sua própria luxúria, mas para salvar alguém, um homem tomou a fortuna que um nobre havia ganhado ele mesmo, isso seria certo?” (Itsuki)

“Isso é um problema duro.” (Naofumi)

Que tipo de pessoa é o nobre que ele odeia? Por que ele precisa roubar para ganhar a habilidade para proteger os fracos?

Fatores adicionais aparecem.

No fim, é melhor manter as regras estabelecidas.

Mas regras em si são criadas por humanos, e elas precisam se adaptar aos tempos.

“E então, eu estou… sem seguir adiante num único ideal, eu acho que eu preciso falar com a pessoa que eu estou para me opor e vir à uma conclusão em seguida. Até agora, eu estava meramente ignorando eles enquanto eles gritavam para mim. Isso era meramente porque eles eram de um patamar mais baixo que eu acreditei que os fracos sendo aqueles que eu tinha que proteger.” (Itsuki)

“Itsuki, eu não acho que você alcançará uma resposta assim.” (Naofumi)

A pessoa irá definitivamente esconder qualquer informação inconveniente.

E há vários casos onde conversas não levam à lugar algum.

Ou talvez… há casos onde os dois lados são podres além do que pode ser reparado.

“… Eu irei apostar. Mas se eu fosse voltar até o início disso tudo, então eu gostaria de ouvir o que você e Witch-san tinham para dizer. Eu gostaria de confirmar a verdade. Gênero não importa. Por que aquilo aconteceu, e se Witch-san foi aquela que enganou Naofumi-san, então por que ela fez algo assim? Eu quero pensar cuidadosamente depois de perguntar tudo isso.” (Itsuki)

“Entendo. Se alguém assim estivesse lá naquela hora, então talvez as coisas teriam ido numa direção levemente melhor.” (Naofumi)

Mas já passou.

Notando que ele estava errado, parece que Itsuki está tentando dizer que ele quer salvar o eu do passado.

Eu acho que eu só tomarei esses sentimentos.

Bem… se é apenas palavras, ele poderia só falar qualquer merda para mim, mas é erro meu pensar nisso?

“Na verdade, justiça era… alguma coisa tão difícil quanto isso. Mas eu fiquei embriagado no sentimento de condenar outros…” (Itsuki)

“Então o que você planeja fazer assim que a onda acabar?” (Naofumi)

“Eu acho que eu quero ficar nesse mundo, e ir numa jornada.” (Itsuki)

“Uma jornada… onde você planeja ir? E  espera, o que você planeja fazer?” (Naofumi)

“Eu quero emprestar meu poder para aqueles precisando de ajuda.” (Itsuki)

“Usando sua justiça arrogante de novo?” (Naofumi)

“Talvez… mas desta vez, eu quero tentar duro para que eu não seja o único satisfeito pela conclusão. Um caminho onde eu não terei mais arrependimentos tardios. E se no fim disso tudo, eu tiver pedras jogadas em mim mais uma vez, eu não oferecerei nenhuma desculpa.” (Itsuki)

Isso é uma doença. É o retorno do Vírus da Justiça.

Mas, eu sinto que ele oferecerá um pouco menos de auto-justificação do que o Itsuki do passado.

Eu gostaria de esperar que ele faça algum progresso.

Com as ações do Itsuki, haviam definitivamente um monte de problemas, mas eu acho que haviam pessoas que foram salvas como um resultado também.

Rishia é um caso representativo. Apesar que o cuidado posterior dele com ela foi o pior.

“Eu ainda não contei para ela, mas quando chegar a hora, se eu fizer um erro de novo, por favor diga para Rishia me parar novamente.” (Itsuki)

“Cara… essa é uma bela Death Flag, não é?” (Naofumi)

“Death Flag, é? Agora que você mencionou isso, você está certo.” (Itsuki)

“Bem, eu gostaria de acreditar que tais coisas não tenham sentido na realidade. Ainda assim, é pressagioso, então cuidado com o jeito que você fraseia as cosias. Ren até disse algo nas linhas de ‘assim que essa batalha acabar…’ apesar que eu tenho a impressão que eu instiguei essa.” (Naofumi)

“Então eu irei contar para o Ren para evitar seu fim iminente.” (Itsuki)

“Não, você pode intencionalmente evitar Death Flags…?” (Naofumi)

Assim como antes, Itsuki ainda é um pouco estranho.

Mas de qualquer jeito, ele mudou.

Eventualmente, ele irá vagar numa batalha onde não há resposta certa, mas ele se determinou a procurar por uma.

Ele achará felicidade no fim do caminho dele? Eu só posso rezar.

Anúncios

17 respostas em “Capítulo 350 – Idealismo

    • Eu sou das pessoas que não gostam disso -> preguiça de dizer, mas acho que é porque eu preferiria mais exploração do mundo; passado da Sadina, história da família da Raphtalia, tem tanta coisa legal que não foi dita e nem será…

      Curtir

    • … esse não me parece necessário, porque já vi e usei da forma que está durante conversas, eu não acho que seja tão local assim, mas é válido.

      Ah, eu ainda verei o capítulo… 347, mas só mais tarde, talvez amanhã…

      Curtir

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s