Capítulo 113: Contra-medidas do Judom e uma Nova Traição

Este capítulo foi traduzido da LoliQ, porém ela deletou o WP dela por motivos que desconheço e um troll amigável resolveu upar os capítulos dela, então o link é do WP do troll mas o crédito é da LoliQ.


Capítulo 113: Contra-medidas do Judom e uma Nova Traição

“… Agora, você explicará o que aconteceu, Judom?” (Rudolph)

Judom esperou por Rudolph do lado de fora, naturalmente Eveam e os acompanhantes dela direcionaram sua hostilidade nele. Especialmente Marione, que tinha uma atmosfera como se estivesse para surtar a qualquer momento.

Ainda que havia um monte de soldados na área ao redor, eles se tornariam insignificantes se Marione ficasse berserk. Até Dennis estava secretamente se escondendo atrás dele por medo. (NT: Berserk, eu não quero traduzir por motivos… é um estado de fúria, resumindo dá pra deixar assim; e o Dennis acho que estava se escondendo atrás do rei)

Contudo, Rudolph estava calmamente inquirindo Judom ao colocar um rosto neutro.

“Como? A informação na 《Sala Sagrada》 se espalhou para fora……?” (Rudolph)

“Você tem um ponto, aquela sala é um espaço completamente isolado do mundo externo. Ela devia ser inacessível porque a informação de dentro não devia ser capaz de vazar. Apesar disto, como?” (Dennis)

Era uma questão válida. Os guardas do lado de fora não deviam ser capazes de ouvir nada fora da sala exceto se a pessoa dentro da sala saísse. Logo, devia ser impossível para aqueles fora saberem qualquer coisa exceto se a pessoa dentro fosse para fora.

Do mesmo modo, informação na sala não devia vazar para fora também. Contudo, a realidade é, o subordinado de Judom sabia sobre o acidente e apareceu na hora certa. Era tão misterioso que eles não podiam deixar de inquirir os detalhes.

Eveam e seus acompanhantes estavam segurando uma dúvida similar a de Rudolph no que eles prestaram atenção para Judom.

“Hey.” (Judom)

Judom chamou um de seus subordinados para o lado dele. Então, uma pessoa veio, ele cochichou para Judom no que ele mostrou para ele um pedaço de papel. Judom olhou para o papel no que ele escutou a explicação dele. Apesar de Judom ter mostrado uma expressão duvidosa no meio do caminho enquanto lia a carta, ele sorriu logo após.

“… Entendo, como eu pensei, aquele cara agiu, huh? Bem, isso é bom, nós fomos realmente salvos por isto, obrigado.” (Judom)

O subordinado sorriu no que ele deixou o lugar.

“… Então agora, você queria uma explicação, certo? Este pape- não, a pessoa que entregou esta carta merece o crédito.” (Judom)

“Você disse uma carta?” (Rudolph)

Rudolph que estava intrigado, encarou o papel com uma expressão distante. Então, as respostas estão certamente escritas naquela carta, Rudolph pensou.

“A carta está escrita desta forma: A conferência é um blefe, tudo isso foi uma conspiração para a destruição dos 『Evila』. Por favor ajude a Demon Lord… ou assim ela afirmou. Essas palavras estavam escritas no começo da carta.” (Judom) (NT: Até usaram essa 『desgraça』, que pessoa prendada)

Depois da explicação do Judom, Rudolph tinha uma expressão séria, diferente de um momento atrás. Então, Judom continuou.

“Uma certa pessoa entregou esta informação para meus subordinados. Bem, eu disse se houver algo urgente, aquela pessoa podia entregar informação para aquele local, eu acho que isso foi útil. Meus subordinados estavam surpresos, sabia? No fim do dia, aquele lugar era nosso esconderijo, quando eles ponderaram a razão de um pássaro ter entrado o lugar, uma carta podia ser vista no pássaro endereçada para meus subordinados.” (Judom) (NT: Esse ‘fim do dia’ não é a hora que veio a mensagem, é um jeito de dizer que mesmo quando acaba tudo, aquilo ainda é o que é… ficou estranho, mas literal também ia ser estranho)

De qualquer jeito, se o conteúdo escrito fosse normal, os subordinados dele teriam ignorado isso. Contudo, quando eles viram o nome do remetente, eles acreditaram aquela informação e imediatamente agiram como eles foram ditos porque Judom tinha suspeitas sobre a conferência.

“Portnis, tome isto.” (Judom)

No que Judom disse assim, ele entregou uma adaga para ela.

“… Isto é!? A, 《Relíquia do Herói》-!?” (Portnis)

“Sim, meu subordinado procurou por ela. Nós obtivemos ela a frente do tempo quando aqui foi escolhido como o lugar para a conferência. Num sentido… isso era uma precaução. Mas eu não carreguei ela porque eu não achei que seria necessário.” (Judom)

Mesmo que Judom carregasse ela, Portnis e os sacerdotes teriam prevenido ele de carregar ela para dentro. Como isto estava fadado a acontecer, ele confiou ela nas mãos de seu subordinado.

“Você deve levar isto com você.” (Judom)

“E-está tudo bem em eu ter isto?” (Portnis)

“Sim, eu tenho confiança em você. E também, pegue os outros sacerdotes e saia daqui.” (Judom) (NT: Sacerdote/padre é a mesma palavra, mas acho que num contexto fantasioso assim sacerdote é mais legal)

“… Eu entendo.” (Portnis)

Este é o favor da nossa relação de conhecidos de longa data? Judom pensou, Portnis então carregou a adaga com cuidado no que ela levou os outros sacerdotes e deixou a área, ela parecia ter entendido o que Judom estava tentando passar. (NT: A mensagem que ele pensou, era o que ele queria passar)

“… -em raios.” (Rudolph)

“Hã?” (Judom)

“Quem raios é aquela essa pessoa? A pessoa que passou tal informação?” (Rudolph)

Quando Rudolph perguntou amargamente para Judom, um nome inacreditável pulou.

“… Nazaar Skride.” (Judom)

“… O-o que você disse?” (Rudolph)

Eu ouvi esse nome, Rudolph pensou. Aliás, ele havia conversado com essa pessoa várias vezes. Nazaar era um pintor de renome, ele havia comprado várias pinturas dele. Haviam vários lugares onde ele demonstrava as pinturas no castelo. Isto era porque Rudolph era fã dele.

Contudo, Rudolph não era o único que ficou surpreso depois de ouvir a identidade daquela pessoa.

“Na-, Nazaar…? Ju-, Judom-dono! Es-, esse homem chamado Nazaar…” (Eveam)

Eveam apertou suas palavras no que ela perguntou por confirmação.

“Sim, é exatamente o que você está pensando neste momento Maou-chan. Aquela pessoa, é o 《Rank 3》 dos Cruel, Teckil Shizaa.” (Judom)

“E-entendo… era ele…” (Eveam)

Então um suspiro cansado foi ouvido de algum lugar próximo. Eveam olhou para seus arredores.

“Há alguma coisa errada?” (Kiria)

Kiria falou preocupada no que ela olhou para Eveam. (NT: Em inglês, está escrito ‘Kiria rabiscou em preocupação no que ela olhou para Eveam’ e na boa, essa merda não faz sentido)

“N-, não, não é nada.” (Eveam)

Talvez tenha sido apenas minha imaginação, Eveam pensou no que ela observou Judom novamente.

“Então, você sabe onde ele está agora?” (Eveam)

“… Ah, sobre essa-” (Judom)

“Se é sobre ele, ele deve estar bem. Vossa Majestade.” (Marione)

Marione está atualmente raspando seus dentes no que ele é encarado pelos 『Humas』 nos arredores. Sua raiva parece ter acumulado consideravelmente.

“Certamente, ele tem um ponto. Princesa… quero dizer, Vossa Majestade, nós devemos prontamente obter informação na 【Capital Demônio: Xaos】.” (Aquinas)

Quando Aquinas ao lado dela falou essas palavras.

“Não é isso! Vocês devem ter percebido isso já! Nós devemos punir eles por nos traírem!” (Marione)

Marione concentrou magia em ambas suas mãos. Tensão correu através dos soldados nos arredores. “Hii-!”, Dennis emitiu, já que ele era incapaz de recuar devido ao medo.

“Cesse suas ações Marione!” (Eveam)

“Por que você está me parando, Vossa Majestade! As pessoas aqui são lixos patéticos, que eu posso me livrar em alguns minutos.” (Marione)

“Eu falei para cessar suas ações!” (Eveam)

Eveam severamente encarou ele.

“…… Eu presumo, você tem uma explicação razoável para esta aqui, certo?” (Marione)

“Eu tenho um monte de questões sobre tudo neste momento. No que o Rei de Victorias disse, os heróis e os 『Gabranth』 podem ter cruzado a ponte e atacado o continente demônio, contudo, há Iraora que está guardando a 《Ponte Mütich》 e tem até Shublarz e Greyald presentes também? Iraora teria nos informado se eles começaram a cruzar a ponte antes de nós termos cruzado a ponte. Não é isso mesmo, Kiria?” (Eveam)

“Isso mesmo. Eu teria sido sempre informada se qualquer informação foi passada, se há qualquer anormalidade, Vossa Majestade será imediatamente informada.” (Kiria)

Mesmo se o inimigo tinha um grande exército, no exército 『Evila』, há duas pessoas do 《Cruel》 e Iraora que era um ex 《Cruel》, Eveam não pensou que eles seriam facilmente superados.

Mesmo que seja possível superar eles, há soldados na 【Capital Demônio】, no caso deles terem se exausto pela hora que eles chegassem lá, Eveam pensou que eles poderiam defender o país.

No caminho para cá, mesmo que os heróis estivessem presentes, não havia sinal de luta na ponte. Supondo que eles se rebelaram contra eles, ela acreditou que Shublarz e os outros irão fazer alguma coisa de um jeito ou de outro.

“… Então, por exemplo, se uma guerra acontecesse lá, eles já teriam suprimido ela?” (Eveam)

“Sim, nós 『Evila』 somos seres que carregam feridas sofridas de incontáveis guerras, nós não somos tão moles para sermos facilmente suprimidos.” (Kiria)

“… Você tem um ponto aí. Então, isso significa que a traição deles irá apenas ruir de lá.” (Marione)

Naquele momento, Marione expressou um sorriso com um senso de superioridade. Ele então olhou para Rudolph que não havia falado por um longo tempo, seus olhos fechados.

“Humph, parece que seu plano falhou. Isto é porque você nos subestimou.” (Marione)

Apesar de Marione ter falado aquelas palavras para Rudolph, ele respondeu com-

“… Hahaha.” (Rudolph)

Por alguma razão, ele repentinamente começou a rir.

“Aparentemente todas minhas especulações parecem estar erradas.” (Rudolph)

Depois que ele riu por um tempo, Rudolph abriu seus olhos e olhou para Marione.

“Ah, minhas desculpas por rir. *Ehem*, apesar disto diferir certamente do cenário que eu havia planejado… eu antecipei que isto poderia acontecer.” (Rudolph)

“Humph, que blefe.” (Marione)

“Hahaha, Demon Lord.” (Rudolph)

Ele chamou Eveam enquanto ignorava a palavra de Marione.

“… O que?” (Eveam)

“Você disse que você acredita nos 『Evila』, certo?” (Rudolph)

“Sim, eu acredito na minha família.” (Eveam)

“Entendo, então supondo que um dos membros da sua família lhe odeia, o que você fará?” (Rudolph)

“… O que há com isso de repente.” (Eveam)

“Até os 『Evila』 possuem alguns sentimentos. Eles também possuem alguma vontade. Se esse é o caso, eles também possuem pensamentos pessoais. Ou, você está dizendo que todos os 『Evila』 fizeram um juramento de lealdade à você? Isso não é só sua arrogância?” (Rudolph)

Eveam franziu para as palavras repentinas que ele disse para ela.

“Eu cuidadosamente pensei sobre isso, de qualquer jeito, mesmo se os 『Gabranth』 estão do seu lado que são o maior potencial de guerra, você pensa que eles podem cruzar a ponte por força com suas ações tolas? Há uma possibilidade que a ponte possa ser destruída, sabe?” (Eveam)

Certamente, isso é possível, Rudolph pensou. A 《Ponte Mütich》 não é tão forte assim. Ela será facilmente quebrada se tais forças lutarem dentro da ponte. Logo, ele não selecionou essa rota.

“Eu irei lhe contar algo bom Demon Lord. Apesar disso poder soar inacreditável, o potencial de guerra aqui, todo mundo deve ter cruzado intacto para o continente demônio.” (Rudolph)

“Is-, isso não é possível!” (Eveam)

“Isso não é possível? Por que isso?” (Rudolph)

“Certamente, há uma pequena possibilidade onda eles podem cruzar por lutar com eles. Contudo, eles não sairão ilesos! Também, no caminho para cá, eu vi os heróis. Em outras palavras, eles não haviam cruzado naquela hora.” (Eveam)

“……” (Rudolph)

“Mesmo que eles tenham cruzado em seguida, há companheiros em quem eu posso confiar lá. Eles são as três pessoas que estão entre aqueles com o maior potencial de guerra lá.” (Eveam)

Ela admite que até Iraora era uma pessoa influente digna de ser mencionada naquele grupo.

“Logo, eles não podem sair ilesos se eles encontraram uma luta lá.” (Eveam)

“…… Eu lhe contarei outra informação interessante.” (Rudolph)

“O qu-… e?” (Eveam)

“Os heróis cruzaram para o continente demônio………… antes de vocês cruzarem a ponte.” (Rudolph)

“Na-!?” (Eveam)

Eveam enrijeceu no que ela não foi capaz de pegar o significado nas palavras de Rudolph.

“A-, ainda mais não é possível! Iraora está sempre guardando a ponte lá, eu teria sido informada se tivesse uma batalha!” (Eveam)

Ela ergueu sua voz com toda sua força, Rudolph que viu isso subitamente afrouxou suas bochechas.

“Eu lhe disse antes, certo? Os heróis cruzaram seguramente.” (Rudolph)

“E eu lhe disse que-” (Eveam)

Então, Aquinas colocou uma mão no ombro dela para interromper as palavras dela.

“… Aquinas?” (Eveam)

Aquinas virou seus olhos para Rudolph.

“Entendo, se eu tomar o que você disse como real então, Iraora é…” (Aquinas)

“… Isso mesmo. Ele é um dos 『Evila』 no meu lado.” (Rudolph)

Palavras que fizeram Eveam enrijecer foram ditas novamente.

Eveam fechou e abriu sua boca mas nada saiu. Era provavelmente por causa do choque pelo que Rudolph disse.

“Porque ele decidiu se juntar ao nosso lado, nós decidimos prosseguir com este plano.” (Rudolph)

“Iraora é um traidor…?” (Marione)

Foi Marione quem murmurou aquelas palavras, apesar dele não acreditar completamente suas palavras também, se supondo aquelas palavras são verdade, então as razões dele para o ataque são plausíveis.

“Hahaha, a existência chamada 『Evila』, ela parece estar presa à traição. Você não acredita nisso? No que seu irmão traí caros irmãos.” (Rudolph) (NT: A palavra é algo do tipo ‘alguém da mesma espécie/raça’, a melhor tradução que vem é irmão; devia ter colocado essa nota em algum lugar antes, mas deixa agora)

“… Mentiras.” (Eveam)

“Hã?” (Rudolph)

“Suas palavras não são bem embasadas! Você só está jogando suas palavras para nos provocar.” (Eveam) (NT: Não é embaçadas, é fundamentadas, por isso embasada; e o jogar é de como no jogo de cartas)

“… Haa, você está tremendo nesta hora tarde? Sabe, você não precisa forçadamente acreditar em mim. Contudo…” (Rudolph)

Rudolph então, olhou para um certo lugar.

“Quando eu estou atualmente vendo isto com meus próprios olhos, como esperado, eu não posso fazer nada senão acreditar na minha noção?” (Rudolph)

“… O que você está dizend-… o……… eh?” (Eveam)

Eveam notou um senso de fraqueza em seu corpo, ela entendeu que o sentimento estava vindo de baixo, do peito dela, e ela abaixou seus olhos para lá.

Isto é estranho. Isto é estranho. Isto é estranho. Eveam achou estranho no que ela achou a mão de alguém perfurou através da área do peito dela.

E porque é isso, que eu reconheço essa mão, Eveam pensou. Apesar dela não querer considerar isso, ela tinha que confirmar o dono daquelas mãos.

Pela dor, o rosto dela se distorceu no que ela estava mortificada de confirmar isso. Ainda, ela lentamente virou seu rosto, para ver o rosto da pessoa que estava atrás dela.

Quando ela viu aquele rosto, um choque foi através do corpo inteiro dela. Como pode ser… porque… ali. (NT: Pela minha tradução habitual, ia ser algo como ‘como raios… porque… ali’, mas ela está chocada demais para usar algo assim, por isso alterei para ‘como pode ser’)

“Por que… você está ali…………… Kiria?” (Eveam)

Anúncios

7 respostas em “Capítulo 113: Contra-medidas do Judom e uma Nova Traição

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s