Capítulo 90: A Conclusão!

Hey pessoas, resolvi voltar um dia mais cedo por dois motivos: primeiro é fechar a lacuna entre capítulos, depois porque o nome deste capítulo combinou com a minha situação. Uma coisa que gostaria de dizer: eu não traduzi, mas fiquei ocupado fazendo várias coisas que não foram lá prazerosas -> então acabando TnY (finalzão mesmo), eu vou ficar um tempo sem traduzir para tentar aproveitar – tem aí uns 2 meses para isso, mas enfim, vamos lá. Este capítulo foi traduzido do ELYSION (e LoliQ).


Capítulo 90: A Conclusão!

Camus pensou que ele havia acabado com Hiiro. Contudo, parecia que os ataques dele foram muito ralos. Nesse caso, ele só terá que atacar de novo. Contudo, desta vez, ele iria ter certeza de conseguir um acerto direto. É isso que Camus pensou enquanto encarava Hiiro.

Ainda, ao ver os olhos de Hiiro, Camus mudou de ideia. Havia uma sede por sangue habitando dentro dos olhos de Hiiro. Camus assumiu que Hiiro não iria cair pelo mesmo ataque duas vezes. Os olhos de Hiiro passaram que se Camus fosse aproximar ele, Hiiro iria fazer ele se arrepender disso. Era verdade que, enquanto Camus não tivesse confirmado a identidade da magia de Hiiro, seria perigoso focar em combate corpo-a-corpo.

“Aproximar… perigoso? Então, com minha areia… eu irei acabar isso!” (Camus)

A areia na mão direita de Camus se espalhou no que caiu no chão. Ao ver que Camus não tinha intenção de se aproximar dele, Hiiro sorriu de leve.

(Isso foi efetivo… entretanto, eu tenho que fazer minhas preparações também. Desta vez, eu deixarei você provar meu verdadeiro poder.) (Hiiro)

Ele escrever <Velocidade> duas vezes, ativando elas consecutivamente para poder criar um efeito sinérgico.

Hiiro voou diretamente em direção a Camus. Contudo, Camus pressionou suas mãos no chão.

“Que direto… aqui vou eu.” (Camus)

Camus descarregou seu poder mágico. Ele pretendia usar a mesma magia, mas, parecia que a situação não acabou como ele havia esperado.

“… eh?” (Camus)

Shi~n!

A areia não escutava ele. Não houve nenhuma resposta. Então, ele repentinamente sentiu algo estranho com a areia abaixo de seus pés.

(A areia… está dura?) (Camus)

Ele tocou a areia com a ponta de seus dedos para poder confirmar isso. Como esperado, ele podia sentir que a areia havia se tornado mais dura do que ele havia esperado. Era parecido com a sujeira achada em solo normal. No que Camus estava perplexo pela mudança repentina na areia, Hiiro já havia aproximado ele.

Dosu!

“Kaha-!?” (Camus)

Usando o momento da corrida, Hiiro socou Camus no estômago. Camus soltou um grande fôlego devido ao ataque repentino que ele recebeu.

“Confirme seu apoio claramente, Nitoryuu?” (Hiiro) (NT: Acho que já foi dito, mas é o apelido que Hiiro deu para Camus; é por ele usar duas espadas; e essa coisa de apoio, é literalmente onde você está de pé, o que você tem para pisar)

“Gu…?” (Camus)

Enquanto segurava sua barriga, Camus tentou sair daquele lugar imediatamente. Entretanto, Hiiro perseguiu ele no que ele tentou acertar o golpe final.

(Ku-… comparado com antes… está mais rápido!?) (Camus)

Camus foi reduzido num estado de pânico. Essa frenesi foi causada não apenas pelo aumento anormal de velocidade de Hirro, mas porque Camus não era mais capaz de usar sua areia para sua magia.

Baki-!

Desta vez, foi Camus que foi arremessado pelo soco de Hiiro na cara dele. Ele tentou rotacionar seu corpo para descer seguramente. Contudo, no momento que Camus aterrissou, na frente dele estava o punho do Hiiro.

Dogo-!

Ao receber outro golpe no seu estômago, Camus novamente soltou um grande fôlego.

(Por que… ele é… tão rápido?) (Camus)

Vendo a mudança repentina de Hiiro, Camus apertou seus dentes no que ele pensou que Hiiro estava pegando leve com ele até agora. Ele pensou, desse jeito, ele ia ser espancado o tanto que Hiiro quisesse. Por hora, ele precisava abrir uma grande distância entre eles primeiro.

Depois que ele escapou, Camus pegou suas katanas no que a dor no seu estômago distorceu seu rosto. Contudo, no próximo instante mesmo, a lâmina foi puxada por alguma coisa.

“-!?” (Camus)

A fonte do puxão estava vindo do chão abaixo. Contudo, não havia nada lá além de areia no chão. Camus pensou que a razão pela qual a katana caiu no chão era porque ele não havia segurado ela fortemente o suficiente. Camus apressadamente tentou puxar ela da areia, contudo, parecia que seu peso aumentou consideravelmente.

“Você tem certeza que está tudo bem olhar para outra coisa?” (Hiiro)

Quando Camus rapidamente virou sua cabeça, o chute de Hiiro iminentemente se aproximou. Então-

Doga-!

“Gaha-!?” (Camus)

Sendo chutado na cara, Camus foi jogado longe na distância. Ele tombou na areia, assim como Hiiro havia antes. Sangue fluiu de sua boca. Ele era incapaz de levantar reto. Hiiro sorriu levemente no que ele disse…

“Eu te disse, certo? Observe seu apoio.” (Hiiro)

“… -eh?” (Camus)

No próximo instante-

Bushubushubushu-!

“Is-isso é… essa é… minha…?” (Camus)

Numerosos espinhos de areia apareceram abaixo do pé de Camus. Camus percebeu que isso era bem como a magia que ele havia usado antes. Enquanto ele estava tentando descobrir como Hiiro foi capaz de usa rela, Camus recebeu várias feridas em seu corpo.

Um espinho de areia se direcionou para o pescoço de Camus. Ele não parou em seu pescoço, em vez disso ele foi parado de alcançar o pescoço dele. Fosse ele continuar seu caminho, Camus iria sem dúvida ter morrido.

Camus ficou chocado no que ele não tinha ideia do que estava acontecendo mais. Ele já havia levado incontáveis feridas no corpo dele. Ele não tinha suas katanas. Ainda mais, devido ao último ataque, ele não tinha mais nenhuma força sobrando.

“É… minha derrota…” (Camus)

Não apenas Camus, mas todo mundo que observou a luta estava chocado pelos resultados, suas bocas abertas largamente. Era como se o tempo tivesse parado. Seguindo isso, Hiiro falou de leve…

“Essa é… minha vitória.” (Hiiro)

Naquele momento, a luta havia verdadeiramente alcançando uma conclusão.

(Fuuh. Parece que isso foi bem…) (Hiiro)

Dessa vez, a luta prosseguiu assim como Hiiro havia planejado.

Primeiro, Hiiro iria confirmar no que Camus iria usar a areia. Ao fazer isso, seu objetivo primário seria analisar precisamente como Camus iria reagir. É por isso que Hiiro confrontou as katanas de Camus com a sua própria. Ele queria entender os movimentos e pensamentos de Camus.

Seguindo isto, no que Hiiro não podia simplesmente se permitir receber de cabeça a magia de Camus, ele planejou usar a palavra <Proteger> para poder pegar os intervalos de conjuração da magia e características especiais da magia. Contudo, como o apoio era pior do que ele esperava, Hiiro foi inesperadamente forçado a usar a palavra <Proteger> mais cedo. (NT: Esse ‘apoio’ é o de pisar lá…)

No que Hiiro havia de algum jeito sucedido em agitar Camus o suficiente para fazer ele usar sua magia. Usando a palavra <Proteger> para defender, Hiiro foi capaz de identificar a fraqueza na magia de Camus enquanto abaixava a guarda dele com sucesso. Foi nessa hora que Camus usou seu tsunami de magia.

Naquela hora, Hiiro escrever uma palavra e disparou ela abaixo dos pés de Camus. No que era uma palavra de instalação, ela desapareceu, absorvida pelo chão. Hiiro então cortou através do tsunami e correu em direção ao Camus. Contudo, para a surpresa genuína de Hiiro, Camus evitou o ataque dele.

Mesmo que Hiiro tivesse atacado de uma abertura nas defesas de Camus. Camus conseguiu evitar isso. Hiiro então escreveu outra palavra e, novamente, disparou abaixo do pé de Camus. Essa foi a segunda palavra instalada.

Em seguida, Hiiro escreveu outra palavra e pular bem acima de Camus. A palavra foi mirada e disparada no Camus. Contudo, ele conseguiu evitar ela no que as palavras desapareceram no chão de novo. Essa foi a terceira e última palavra instalada. Na verdade, Hiiro clicou sua língua para prevenir Camus de perceber o que ele estava fazendo. Hiiro pensou que se ele se mostrasse frustrado devido ao fato que ele errou, Camus iria abaixar sua guarda.

Naquele momento, Hiiro pensou que tudo estava no lugar. Ele não esperava Camus contra-atacar. Recebendo um ataque da Armadura de Areia, Hiiro foi deixado quase inconsciente. Ele jurou pagar de volta completamente.

A próxima fase do plano dependia de timing. Ainda, por alguma sorte, Camus decidiu usar um ataque de longa distância depois de olhar nos olhos de Hiiro. Parecia que o ato de Hiiro de colocar sentimentos de ‘não se aproxime’ nos seus olhos foi efetivo. Em adição, Hiiro só podia sorrir no que ele viu o lugar onde Camus estava de pé. A razão para isso era porque aquele era o lugar onde Hiiro havia colocado a armadilha.

Ele imediatamente ativou uma de suas palavras instaladas, <Sólido>. A areia repentinamente endureceu. Parecia que Camus queria usar seu melhor ataque, e ainda, a areia não respondia ele.

A razão para isso é porque a areia em volta de Camus não era mais a areia que ele estava acostumado. Era essencial para ele formar uma imagem quando usando magia. Parecia que a magia de Camus permitia ele controlar livremente a areia. Entretanto, no que ele não conseguia imaginar como controlar areia tão sólida quanto concreto, a magia de Camus falhou.

Magia é o processo para completamente entender e operar um fenômeno.

Contudo, Camus era incapaz de entender o estado da areia naquela hora. Como um resultado, ele era incapaz de mover a areia. Claro, ela ainda era areia. Se Camus entendesse sua verdadeira natureza, poderia ter sido capaz de mover ela.

Contudo, no que Camus ainda tinha algum MP sobrando, ele estava confuso no porque sua magia falhou. Como ele não podia se acalmar e analisar a situação, ele se tornou incapaz de manipular a areia.

Dada essa chance, Hiiro intencionalmente pagou Camus de volta pelo ataque que ele recebeu um pouco atrás. Ele usou duas palavras <Velocidade> para criar um efeito sinérgico e correu para socar Camus no abdômen dele. (NT: Eu aprendi isso traduzindo, mas a palavra abdômen para estar correta tem que terminar com N. E ninguém nunca me disse isso)

Claro, Camus definitivamente tentou escapar, Contudo, Hiiro atacou Camus para encurralar ele no lugar que Hiiro havia preparado mais cedo antes dele lançar outro ataque. Quando ele escapou daquele lugar, Camus devia sentir alguma coisa não natural acontecendo com as katanas dele. Por causa disso, as katanas caíram no chão.

Isso era de se esperado, Hiiro havia usado a palavra <Magnético>. Camus sentiu que as katanas dele estavam sendo sugadas no chão. Se fosse o Camus normal, ele não teria derrubado elas. Contudo, no que ele havia levado dano, a força dele estava vazia. Sendo incapaz de manter um agarro forte nas katanas, Camus inconsolavelmente perdeu contra a força magnética. Como esperado, ele conseguiu privar Camus de suas katanas.

Então, para poder entregar o golpe final, Hiiro atacou ele mais uma vez. Claro, Camus foi lançado para o lugar que Hiiro queria.

Dessa vez, a palavra <Espinho> foi invocada. A razão pela qual Hiiro queria usar isso era porque Camus era um praticante de magia de areia. Hiiro queria assediar Camus por conjurar um feitiço idêntico ao dele. Hiiro julgou que isso iria reduzir o espírito de luta de Camus. Como um resultado, isso havia de algum modo acabado bem. Hiiro havia vencido. Tudo de acordo com o plano.

Anúncios

10 respostas em “Capítulo 90: A Conclusão!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s