Capítulo 241 – O Arco de Justiça

Capítulo programado, mas é o único de hoje, mesmo que dê tempo para traduzir outro (programo o outro ou sei lá) – Este capítulo foi traduzido do Yoraikun: http://bit.ly/1GUTAJY


Capítulo 241 – O Arco da Justiça

Um *glug glug* encheu a sala no que o líquido é drenado do tubo contendo Itsuki.

Eventualmente, o tubo abre.

Armadura ergue Itsuki e remove a venda e a bola de mordaça.

É uma grande cena.

Eu… meio que quero fugir.

A aparência dele é uma piada de e em si mesma. Eu me encontro segurando a risada.

“…” (Itsuki)

Itsuki lentamente abre seus olhos e sonolentamente olha em volta da sala.

“Agora! Herói do Arco despertado! O mal que desafia nossa justiça se infiltrou em tudo até aqui! Use seu poder da Justiça para acabar com ele!” (Armadura)

“Que diabos você está dizendo, seu cretino!” (Naofumi)

Você infiltrou minha base e fugiu até aqui com sua cauda entre as pernas!

“E para começar, não foram vocês que brigaram com Itsuki!?” (Naofumi)

Pelo testemunho do Usuário de Magia, eles cortaram as relações.

“Que tolice. Para o Herói do Arco descobrir poder ainda maior, nós meramente deixamos ele experimentar um pouco de dificuldade.” (Armadura)

Eu acho que tudo é uma questão de frasear. Mas, a verdade está vazando.

Este homem não chamou Itsuki pelo nome real dele nem uma vez.

Eu posso assumir que ele ainda não coloca nenhuma confiança no Itsuki.

A razão pela qual ele fugiu até aqui foi porque Itsuki era tudo que ele ainda tinha.

Itsuki me olhou com uma expressão atordoada, e ele começa a soltar uma aura negra tão grossa que até eu consigo ver ela.

Essa é a aura que envolve um Herói devorado pela Maldição dele.

Então o que é essa? Qual maldição está devorando a mente do Itsuki?

“Naofumi…” (Itsuki)

Isso é uma incrível sede por sangue.

De todas as pessoas que eu encarei, esta é de primeira linha. Ela faz meu sangue ficar frio.

“Suas ações são imperdoáveis! Você fez coisas que eu nunca irei perdoar!” (Itsuki)

“O que você está dizendo do nada? Mantenha essa sua conversa de sonâmbulo para quando estiver dormindo.” (Naofumi)

Ele é um sujeito problemático mesmo logo depois de acordar.

Isso é devido à maldição dele, ou ele era assim desde o começo? Isso é uma linha delicada.

“Itsuki-sama! Você não pode acreditar nas palavras do Mald!” (Rishia)

“Certo! Aquele homem é um criminoso!” (Ren)

Rishia e Ren tentam persuadir ele.

Mas o olhar do Itsuki continua fixado em mim, e ele não dá nem uma olhada nos dois.

“Então me deixe dizer isso. Você junta escravos, coloca eles para fazer trabalho pesado, e mantém todos os lucros para você mesmo!” (Itsuki)

“Isso não é só senso comum?” (Naofumi)

Esse homem… eu acho que eu ouvi ele dizer coisas parecidas antes.

Não é isso que escravos supostamente são?

Claro, trabalho manual requer compensação apropriada, mas escravos supostamente trabalham sem uma, certo?

Se você perguntar se tem um problema em comprar e vender humanos, eu diria que há um, mas é só esse tipo de mundo que é este.

Se você quer uma analogia extrema, então talvez escravos possam ser comparados com aspiradores de pó.

Você se sente mal por um aspirador de pó por ter que lidar com o lixo no chão todo dia?

Escravos são como eletrodomésticos. Conveniente meio para um fim.

Espere, algo está aparecendo na minha cabeça.

“Niichan! Me faça o jantar! Crepes~, Crepes~!”

“Comida!”

“Crepes são gostosos!”

“Faça alguma comida boa, por favor!”

“Brinque comigo!”

Não ligue para isso. Não ligue para isso.

Saia da minha mente!

“Isso não é nada senão maligno! Eu ouvi! Em troca de dar um remédio de alta qualidade para uma garota, você forçou o irmão dela para trabalhos pesados! Um dos escravos que Malty-san salvou me contou a história!” (Itsuki)

“Não tem como aquela Witch ir salvar alguém!” (Naofumi)

“Quem é essa Witch…? Oh, e como esperado do Naofumi-sama. Você salvou um par de irmãos além de nós?” (Atlas)

“Não, esses são vocês.” (Naofumi)

Ele está mais provavelmente falando sobre a garota inclinando sua cabeça em direção à mim e seu irmão mais velho.

Eu não sei quanta informação ele conseguiu, mas ele claramente está escolhendo o que quer aqui.

E para Witch ajudar um demi-humano é mais improvável que uma garota caindo do céu.

“E você vende remédios para nobres ricos sem fazer nada para os pobres!” (Itsuki)

“Eu não sou um filantropo. Se você está mantendo um negócio, você não pode simplesmente dar coisas embora para aqueles sem dinheiro. É senso comum pegar algo como compensação.” (Naofumi)

Aqueles nobres simplesmente invadiram meu lugar e demandaram remédio, tudo enquanto me esnobavam.

E também, eu tenho memórias de dar remédio para os pobres. Depois que eles me imploraram com as poucas moedas de cobre que eles conseguiram juntar, o mínimo que eu pude fazer era dar um pouco para eles.

“Bem quando eu achei que os Nobres Malignos iam morrer de doença, o Herói do Escudo entrou na cena e atrapalhou nossos planos!” (Itsuki)

“Você está apontando dedos para a pessoa errada aqui. Eu meramente vendi remédio para pessoas que pagaram dinheiro por ela. O que elas fizeram depois não me importa. É mais estranho pensar que só porque eles fizeram algo ruim, eu iria recusar de vender remédios para eles e deixar eles morrerem.” (Naofumi)

E o que é isso? Quando que vender remédio para compradores ricos virou um crime?

Se eu não vendesse para eles, você iria estar gritando comigo por negar remédio para aqueles que pediram?

Não importa o que eu faça, é um crime. Pare de zoar comigo!

Mesmo que você tenha sido concedido o poder de ajudar pessoas como um Herói, eu ouvi uma pessoa gritando que você não podia salvar a filha dele!” (Itsuki)

“… Eu não tenho ideia de quem você está falando aqui.” (Naofumi)

Nem, nada vem à mente.

Não podia salvar? Se fosse uma doença, eu faria ao menos o que eu poderia.

Apesar que, eu iria exigir algum tipo de compensação, menor que seja.

Claro, pessoas tentaram fugir sem pagar.

Mas, eu simplesmente perguntei por aí pelo destino deles e prendi eles de qualquer jeito.

“Uma garota veio chorando até mim dizendo que ela nunca iria te perdoar!” (Itsuki)

As pessoas me odeiam tanto assim?

“A filha está… morta?” (Naofumi)

“Sim! O escudo do Naofumi pode trazer milagres assim, e ainda, você nega ao povo seu poder!” (Itsuki)

Itsuki não está usando nenhum honorífico comigo.

Mas, eu acho que eu irei deixar isso como está.

“Com certeza você está zoando… mesmo o Lendário Escudo não tem um poder que pode reviver os mortos.” (Naofumi)

Eu acho que eu tenho uma ideia de quem seja.

Ocasionalmente, quando eu vou para vilas, algumas pessoas vêm até mim pedindo para trazer os amados deles de volta à vida. Eles vêm chorando, carregando os corpos mortos.

Há pessoas que vem até mim depois de ouvir boatos do Santo ou Herói do Escudo.

Lógica passa por essas pessoas.

Quando eu digo que eu não posso fazer isso, eles continuam implorando em lágrimas.

Alguns até transferem suas raivas para mim.

Eu tive alguns corpos abandonados na frente da minha vila.

Se eu tentasse dar um enterro decente para eles, os culpados iriam sair e gritar comigo. Eu tive os soldados mandar eles de volta algumas vezes.

É por isso que a placa na entrada da vila diz assim. Os mortos nunca podem voltar. Por causa disso, eu fiz com que eu só trate pessoalmente pacientes no prédio clínico especial.

“Isso é só ressentimento injusto. Você só quer me marcar como mau não importa o que. Por que você não traz eles de volta? Você é um Herói também.” (Naofumi)

“Não, princesa Malty me disse. Isso é um poder especial concedido apenas para o Escudo!” (Itsuki)

Aquela Witch. Ela me deixou um ultrajante presente de partida.

Itsuki não tem jeito de logicamente provar esse argumento sendo falso.

Além do mais, com Itsuki do jeito que ele está, eu não acho que nada que eu diga vai ser capaz de persuadir ele.

“Itsuki, isso soa errado. Com Naofumi e Motoyasu, eu fui pelos sistemas das armas. Os efeitos diferem levemente, mas cada arma lendária geralmente tem uma arma correspondente com os mesmos efeitos. Se Naofumi tivesse um poder desses, então minha Espada deveria ter um equivalente. Ou, seu arco tem algum poder que nossas armas não tenham?” (Ren)

Ren oferece um argumento plausível.

Tem definitivamente uma diferença em capacidades ofensivas e defensivas entre armas, mas os efeitos em si são geralmente os mesmos.

Isso é algo que eu aprendi por falar com Ren e Motoyasu.

O único que não sabe é o solitário Itsuki.

Mas, talvez eu só tenha que achar ela. Eu não posso negar a possibilidade de ter uma arma que possa trazer os mortos para vida.

E, se fosse ter uma única arma que possa fazer isso, eu acho que seria o Escudo.

Mas se eu pudesse usar isso, então eu iria.

Quem sabe só quanto eu ia faturar se eu divulgasse que eu posso reviver os mortos?

“E há ainda muitos outros pecados pelos quais você tem que responder! Eu definitivamente não irei deixar você escapar!” (Itsuki)

“E eu não preciso que você me perdoe. O verdadeiro mal aqui é provavelmente aquele Armadura atrás de você. Ele atacou meus subordinados e lançou vários ataques. Ele provocou muita violência desnecessária. Sua justiça é meramente uma palavra? Ele até conspirou com a Igreja dos Três Heróis que você conhece tão bem.” (Naofumi)

Pela minha palavra, Itsuki vira seu olhar para Armadura.

“Essas são meramente as mentiras do Senhor Demônio do Escudo! Você não deve ser enganado por elas!” (Armadura)

“Se isso é verdade ou não é algo que eu irei determinar com meu próprio poder.” (Itsuki)

“A-ah, espera… pare!” (Armadura)

Itsuki cresce asas brancas. Apesar que elas deviam parecer divinas, elas de algum jeito passam uma impressão sinistra. Ele tira um arco altamente ornamental e atira uma flecha no Armadura.

“Guha!” (Armadura)

Ele está morto?

“Naofumi-sama, a aura pressagiosa se juntou num ponto e perfurou através da pessoa que nós estávamos perseguindo.” (Atlas)

E o Armadura na minha frente caiu para frente.

Será que ele eliminou de um subordinado tolo?

No que eu pensei isso, Armadura de repente se levanta do chão.

“Itsuki-sama, é como o Senhor Demônio do Escudo diz. Para satisfazer meus desejos egoístas, eu entrei em batalha com ele e perdi. Eu peço pelo seu perdão.” (Armadura)

… O que?

O comportamento do Armadura é claramente estranho.

Qual é a habilidade daquele arco?

Ela é sem dúvida a fundação para aquelas adagas.

“Eu aceito sua desculpa. De agora em diante, vamos trabalhar juntos para guiar esse mundo em direção à paz!” (Itsuki)

“Hai! Itsuki-sama!” (Armadura)

Os olhos dele são estranhos.

O rosto dele é um que não é guiado pela sua própria ambição. Não é um que só mirou por auto-satisfação. Assim como o povo que sofreu lavagem cerebral, ele carrega uma expressão anormal preenchida apenas com um tesão por Justiça. (NT: Porque ‘com uma luxúria por Justiça’ é escroto demais)

“Itsuki… esse arco…” (Ren)

No que Ren aponta seu dedo para o Arco, Itsuki responde com um sorriso brilhante.

“Ele não é incrível? É um arco incrível que eu acabei de ter em mãos. Seu nome é Arco de Justiça! Ele é claramente uma arma feita para mim. Um tiro deste arco elimina lavagem cerebral e permite que outros me entendam.” (Itsuki)

Anúncios

9 respostas em “Capítulo 241 – O Arco de Justiça

  1. Obrigado pelo capítulo Thyros 🙂
    Será que só eu odeio esse itsuki desde o início com toda essa conversa de justiça dele? Que personagem mais chato meu!

    Curtir

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s