Capítulo 148 – Craft Falho

Acredito já ter explicado sobre craft antes, mas só lembrando: é trabalho (normalmente) manual que cria coisas, tipo (mas não só) artesanato – Este capítulo foi traduzido do KookieDreamer: http://bit.ly/1FakpoM


Capítulo 148 – Craft Falho

“Ah!” (???)

Quando eu estava alimentando o lanche infantil para a nova escrava lumo, uma voz alta pôde ser ouvida do lado de fora da loja.

“Nii-chan está comendo!” (Kiel)

Quando eu olhei, Kiel estava apontando para mim do lado de fora da loja enquanto ela entrava.

“Não é justo, isso é trapaça! Eu também quero comer!” (Kiel)

“Você só está dizendo isso porque você vê o espeto na minha mão.” (Naofumi)

Eu tinha dado para todo mundo trocados e tempo livre para celebrar as tão esperadas subidas de classe deles.

Enquanto eles tiverem dinheiro, eles devem podem comer aqui.

De qualquer jeito, eles não deviam estar me pedindo por espetos de um estande de comida depois que eles comeram.

“Isso não está de boa~?” (Kiel)

“Kiel-chan, pare de falar tão egoisticamente.” (Raphtalia)

“Não adicione ‘-chan’ ao meu nome!” (Kiel)

É esse diálogo de novo. Que problemático.

“Hm? Quem é essa criança?” (Kiel)

“Eeep…” (Lumo)

Assustada, a escrava Lumo se curvou numa bola.

Não é que ela é tímida, mas… ela tem medo de estranhos.

“Ela é uma nova escrava.” (Naofumi)

“Entendo, Escudo Nii-chan pode dizer coisas assustadoras mas ele é mais indulgente, então está tudo bem.” (Kiel)

“Você…” (Naofumi)

Para dizer esse tipo de coisa sobre alguém enquanto está na frente da pessoa em si.

“Qual é seu nome?” (Kiel)

“… Imya Lucullan Lisella Tereti Quariz.” (Imya)

Que nome grande! É difícil de lembrar.

“Logo Imya então. Você é um garoto?” (Kiel) (NT: E aqui a merda toda que eu fiz até agora pela falta de gênero das expressões e burrada começam a se concretizar)

“Não…” (Imya)

Outra garota. E eu pensei que ela fosse um garoto.

Isso está ficando um pouco demais.

“Só que você não pode ficar mimada. Eu e Raphtalia-chan não iremos permitir isso.” (Kiel)

“O-okay.” (Imya)

“O lugar para onde nós iremos é um lugar onde se você trabalhar duro, você será capaz de ver seu melhoramento, mas só na parte em que você trabalhou, então vamos trabalhar duro juntas.” (Kiel)

Kiel explicou atrapalhadamente e sorriu para Imya.

Isso é um bom desenvolvimento.

“E então, Nii-chan. Me dê um pouco também.” (Kiel)

“Nem.” (Naofumi)

No fim era isso. Ela está me zoando, essa maldita pirralha.

“O que aconteceu com os outros?” (Naofumi)

Desde que eu dei comida pela primeira vez para Kiel comer, toda vez que ela me acha eu acabo tendo que alimentar ela. Me dê uma pausa.

“Eles foram comprar com os trocados que Nii-chan deu para eles. Para souvenires e tal.” (Kiel)

Sério, mas o que eu estou sequer fazendo.

Eu devia estar cuidando da minha terra, mas em vez disso parece mais que eu acabei de me tornar um irmão mais velho que cuida de todo mundo.

“Bem, nós iremos nos encontrar nos portões da Cidade do Castelo. Não se atrase por nenhum motivo.” (Naofumi)

“Eu já sei disso.” (Kiel)

Kiel saiu, como esperado de alguém que não foi normalmente Enquanto ela está indo, ela disse isso.

“Ah, certo, a amiga que Firo trouxe junto é um pouco orgulhosa mas ela é interessante!” (Kiel)

Melty… ela está brincando por aí incógnita de novo.

Eu imagino o que irá se tornar da educação nesse país.

Imya também está num bom humor e se tornou animada.

É parecido como a Raphtalia era no passado.

“Por hora, vamos para a loja de armas depois que nós acabarmos de comer.” (Naofumi)

“Hai.” (Imya)

*Munch munch* Imya freneticamente devorou seu combo infantil.

Parece que ela iria se dar bem com Firo, com o jeito que ela está comendo.

Depois que nós acabamos nossa refeição no restaurante, nós fizemos uma aparição na loja de armas.

“Oh, se não é o guri. Faz um tempo.” (Oyaji)

“Faz cerca de duas semanas.” (Naofumi)

“É cerca disso tudo.” (Oyaji)

“Ah… isso é sobre os escudos que eu pedi da última vez mas… o dinheiro ainda está…” (Naofumi)

É muito difícil dizer. Que eu não tenho dinheiro então eu só estarei copiando.

“Ooh, eu também queria falar com você sobre isso.” (Oyaji)

O oyaji também parece ter problemas falando. A atmosfera é opressora.

“Ainda não está acabado.” (Oyaji)

“Entendo… então está tudo bem.” (Naofumi)

“Eu serei franco. Eu consegui os materiais do país, mas eles todos possuem a característica de serem resilientes.” (Oyaji)

“Ho…” (Naofumi)

“Se eu fosse fazer eles em armas, adicionar encantamentos ou opções especiais seria fácil e pela fundação ser sólida, isso se tornaria uma arma só por raspar eles no formato.” (Oyaji)

Hmm… a parte de manufaturar é tão difícil assim?

Eu não realmente olhei em outras lojas de armas então eu não realmente entendo, mas esta parece ter um pouco de apelo nisso.

Eu lembro as lanças e espadas eram bem visíveis.

Tinha uma lâmina que parecia casco de tartaruga. Então aquilo foi formada por raspagem.

“Contudo, eu também imagino se isso pode sequer ser chamado de arma. Não há necessidade de habilidade. No pior caso, um item martelado de qualquer jeito pode ainda acabar no mercado.” (Oyaji)

“Você está tão preocupado com isso?” (Naofumi)

“Bem, isso iria ser afetado pelas habilidades do criador, então eu estou bem só imaginando. Só que isso não pode realmente ser dito sobre fazer armadura.” (Oyaji)

“É mesmo?” (Naofumi)

“Sim. De qualquer jeito, o material parece ter afinidade ruim com a função ‘Despertar do Ar’. Ela não tem efeito.” (Oyaji) (NT: Esta função foi traduzida antes como ‘andar no ar’, mas parece que em vez de Walk, que é andar, era Wake, que é acordar/despertar)

A função ‘Despertar do Ar’. Se eu não estou enganado, ela supostamente faz armadura pesada mais leve.

Isso é devido à um efeito especial que o escudo tem. Campo de Gravidade vem em mente.

Esse efeito especial usa um campo gravitacional. Isso tem uma alta possibilidade de desenvolver nos escudos da Serie Tartaruga Espiritual e parece ter o poder de algum jeito causar objetos flutuando cair.

Se isso fosse aumentado pelos efeitos do escudo, então até Firo diria que é difícil pular por aí.

Eu aceno ao fato de que se os materiais da Tartaruga Espiritual possuem até um pouquinho desse efeito então sua afinidade com a função ‘Despertar do Ar’ iria ser ruim.

“E esses materiais são intrinsecamente pesados, eu posso improvisar algo para uma espada ou lança se eles forem só usados como uma lâmina, mas armadura é diferente.” (Oyaji)

O casco da Tartaruga Espiritual em si não pode fazer nada senão repelir ataques… contudo ele é pesado.

“Tem o conceito de fazer ele mais fino, mas, você sabe… o poder defensivo fundamental iria diminuir.” (Oyaji)

“Entendo.” (Naofumi)

É um material difícil. Na minha opinião, ele ainda não foi aperfeiçoado ainda.

“Eu fiz dois protótipos. Dê uma olhada.” (Oyaji)

O oyaji me guiou para o interior da loja e eu olhei os protótipos dele.

“É isto aqui?” (Naofumi)

“É.” (Oyaji)

“Tudo bem se eu segurar eles?” (Naofumi)

“Vá em frente.” (Oyaji)

Um era um escudo ordinário feito do casco da tartaruga espiritual, o problema é que ele era meio grande e maciço.

Eu pensei em tentar carregar ele para testar, mas era simplesmente muito pesado. Eu devia ter força para parar o pé da tartaruga espiritual, mas… aquilo foi simplesmente o poder miraculoso do escudo?

Não é que eu não possa pegar ele, mas seria difícil de lutar com isso.

Eu não posso usar isso.

Só tirar isso fez um som *thud*.

E, tinha uma falha principal.

Ele não ativou a Cópia de Arma.

Em outras palavras, isso não era tratado como um escudo. O critério era difícil de entender mas, isso pode parecer como uma… parede.

Contudo, tinha uma leve reação, então eu acho que isso é uma linha delicada.

“Como está?” (Oyaji)

“Parece que isso não é um escudo.” (Naofumi)

“Ah, é uma falha total.” (Oyaji)

“O outro?” (Naofumi)

“Aqui está.” (Oyaji)

E o que ele de meu era um escudo fino, semi-transparente feito do casco da tartaruga. Sua aparência era realmente bonita.

Eu tentei segurar por hora. Seu peso não é tanto ao ponto de ser incapaz de segurar ele. Isso parece bom de usar.

Contudo… huh? Este é mais estilo escudo, mas não há reação.

“Ah, como eu esperava, até o guri acha que tem um problema.” (Oyaji)

“Qual o significado disso?” (Naofumi)

“Para esse escudo, eu foquei em fazer ele o mais leve possível. Em troca disso, mal tem poder defensivo. Ele quebraria numa vez.” (Oyaji)

… Wow. Um descartável. Ou eu deveria dizer, isso já é…

“Isso não é um prato?” (Naofumi)

“Mesmo que você diga isso, eu não posso revidar isso. Quando eu fiz ele primeiro, eu vi algo parecido numa loja de presentes e eu quis chorar.” (Oyaji)

“Isso também é mais pesado do que parece.” (Naofumi)

“Isso mesmo, não é. É uma propriedade forte desses materiais.” (Oyaji)

“Ambos extremos são demais, você não tem nenhum que seja mais um meio termo?” (Naofumi)

“Só que é isso mesmo. De algum jeito, se eu exceder uma certa grossura, o peso não muda.” (Oyaji)

“Eh?” (Naofumi)

“Se eu fizesse esse prato só um pouco mais grosso, seu peso teria sido o mesmo. O peso é proporcional ao tamanho. Tendo dito isso, eu queria tentar fazer um escudo menor mas então seu antebraço ficaria pesado.” (Oyaji)

… Isso é duro de lidar.

Será que os ingredientes em si emitem gravidade?

“Que difícil.” (Naofumi)

“É, mas minha intuição está me dizendo que eu serei capaz de fazer algo bom. Só espere com altas expectativas, guri.” (Oyaji)

“… Eu entendi. Ah, verdade, isso é sobre o escudo, mas–” (Naofumi)

Eu expliquei para o Oyaji sobre os itens necessários para fortalecer os materiais da Tartaruga Espiritual. Talvez possa ter algo de útil.

“Entendo… essa é uma história interessante, isso pode ser melhor que fazer ele só com esses materiais.” (Oyaji)

“Na verdade eu irei receber eles em seguimentos, então eu posso entregar alguns em seguida.” (Naofumi)

“Tudo bem. Eu também irei tentar uma variedade de coisas.” (Oyaji)

E, enquanto dizia isso, nós dois retornamos do interior da loja.

Raphtalia e Imya estavam esperando perto da entrada.

“Ah, verdade, parece que você trouxe uma escrava homem-besta com você.” (Oyaji) (NT: … Mudo para ‘mulher-besta’ ou mantenho? Disputa interna sobre isso)

“É, parece que essa criança é de uma raça com muita destreza, então eu comprei ela.” (Naofumi)

“Oh, então é ela que irá se tornar minha aprendiz?” (Oyaji)

“Eu ainda não pensei sobre isso ainda. Eu irei trazer alguém depois que eu juntar e criar eles mais um pouco.” (Naofumi)

“Entendo. Eu só estou esperando porque é você.” (Oyaji)

“Será bem em breve. Por favor espere um pouco.” (Naofumi)

“Só que eu sou estrito.” (Oyaji)

“Trabalhe eles duro, mas por favor não discrimine.” (Naofumi)

“Eu não farei esse tipo de coisa.” (Oyaji)

Parece que ele não era originalmente nascido neste país e eu não quero ver o Oyaji discriminando nem nada.

Logo isso foi uma boa resposta.

“É porque os homens-besta são assustadores como inimigos, mas quando eles são aliados eles são bem confiáveis. Se for essa criança, eu recomendaria uma rapieira.” (Oyaji)

“Falando nisso, você já acabou a arma feita para Rishia?” (Naofumi)

“É, a arma melhorada feita com o dinheiro que eu recebi do país. Está acabada.” (Oyaji)

O oyaji tirou uma espada debaixo do balcão.

Rapieira de Cisco

Qualidade: Boa

Efeito Adquirido: Aumento de Agiliade, Aumento de Magia, Acabamento Sangue Limpo

Comparada com a espada da Raphtalia, os efeitos adquiridos são meio baixos.

Bem, isso era originalmente uma lança, então parece ter decaído de manufaturar.

“Então eu estarei levando ela.” (Naofumi)

“Tudo bem. Por favor volte quando você bem entender.” (Oyaji)

“Eu gostaria de vir quando eu tiver dinheiro. Eu não posso ser mimado sempre.” (Naofumi)

“Hahaha, toda vez que você tem essa atitude me faz querer trabalhar mais duro.” (Oyaji)

O oyaji respondeu em bom humor.

Ele pode realmente me deixar aliviado com as palavras dele.

“E é também graças ao seu patrocínio que eu posso ser tão próspero.” (Oyaji)

“Ah, então aquela influência está aparecendo.” (Naofumi)

“Claro. Ao ponto onde eu estou tão ocupado que é difícil.” (Oyaji)

O equipamento pendurado na loja tem vendido consideravelmente.

Dá a impressão que o lado da produção não é rápido o suficiente.

“Por um tempo, eu fui salvo pela seclusão para minha manufaturação.” (Oyaji)

“Isso soa bem invejável.” (Naofumi)

“Parando para pensar nisso, a farmácia foi levada à força pela loja de magia. Você fez alguma coisa?” (Oyaji)

“É mesmo… logo a loja de magia sucedeu então.” (Naofumi)

Aquele velho cara teimoso foi pescado bem legal.

Com isso, os escravos podem ser ensinados sobre farmacêutica.

“Eu ouvi algo que eu não queria ouvir…” (Oyaji)

“Próximo é…” (Naofumi)

“Guri. Por favor pare com seu recrutamento.” (Oyaji)

“Hahaha” (Naofumi)

“Pare de esconder por trás do seu sorriso.” (Oyaji)

Eu queria que o oyaji também viesse para minha terra.

Quando eu mando um olhar dizendo isso, ele evita meu olhar diretamente se virando.

“Un… sobre o que eles estão falando?” (Imya)

“Shh… eles estão no meio de uma discussão importante. Vamos só esperar por eles.” (Raphtalia)

“C-certo…” (Imya)

Raphtalia e Imya ouviram a conversa entre o Oyaji e eu.

Anúncios

9 respostas em “Capítulo 148 – Craft Falho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s