Capítulo 17 – A Armadura Bárbara

Próximo capítulo vai ser postado pelo njurken na quarta-feira; se acontecer alguma coisa de diferente (como ele se viciar demais no Pokemon dele) eu vejo de traduzir ele para sair na data prevista – Este capítulo foi traduzido do Baka-Tsuki: http://bit.ly/11vgncM


Capítulo 17 – A Armadura de Bárbaro

“Olha só, se não é o guri do escudo? Já faz mais de uma semana agora.” (Oyaji)

Depois de voltar para a cidade do castelo, nós fomos direto para o distrito de mercados.
Ainda, por algum motivo, Oyaji tinha sua boca escancarada quando ele olhou para Raphtalia.

“Nós só estamos nos encontrando depois de um tempinho… e olhe o quanto você se tornou linda.” (Oyaji)
“Haah?” (Naofumi)

Mas o que ele estava dizendo? Por que o Oyaji estava balbuciando incoerentemente assim?

Por favor não fale como se eu estivesse ficando gorda

“Você se desenvolveu tão bem… isso é de longe muito diferente da sua anterior complexão faminta.” (Oyaji)
“Por favor não fale como se eu estivesse ficando gorda.” (Raphtalia)

Aparentemente incomodada com a frase dele, Raphtalia ficou inquieta enquanto mexia com seus dedos.
Essa reação dela era repulsiva! (NT: Naofumi tem problemas sérios, não escutem ele)
Ela me lembrava daquela puta de uma mulher.

“Gahaha, você cresceu em bela e adorável raposa.” (Oyaji) (NT: é o melhor que eu consegui fazer, a tradução do nome ia ficar algo como furão, fuinha [vison, na realidade] e como é um elogio relacionado com animais, sem ser direto como ‘gata’, vai isso)
“Cresceu? Bem, o level dela certamente subiu.” (Naofumi)

Uma semana atrás ela estava no Lvl 10 e agora ela estava no Lvl 25. Mas a aparência física dela realmente mudou tudo isso? (NT: olhe a imagem e diga você mesmo)

“Fuumu… você é bem cínico, sabia disso?” (Naofumi)
“Eu não tenho ideia de que coisa sem sentido você está falando.” (Oyaji)

Era verdade que qualquer um iria achar uma pequena garota de 10 anos fofinha. Mas já que ela só estava comendo carne, carne e mais carne o dia inteiro, isso pode ter tornado ela um pouco gordinha.
Toda vez que o estômago dela resmungava, nós iríamos imediatamente cozinhar a a carne dos monstros que nós tínhamos encontrado.
Eu estava com medo que ela pudesse se tornar uma daquelas pessoas beribéri por causa da dieta não balanceada dela. Então eu comecei a adicionar ervas medicinais nas refeições dela, mesmo que isso quebrou meu coração e carteira por fazer isso. (NT: beribéri é uma doença de pessoas que não conseguem vitamina B1, mais informações no Wikipédia)
Ela não tem tossido mais recentemente, provavelmente graças às poções de recuperação finalmente estar fazendo efeito.

“O que você esteve fazendo nessa última semana? Caçando?” (Oyaji)
“O pessoal do hotel da vila tiveram que me ensinar algumas maneiras na mesa. Já que eu queria ser capaz de jantar tão elegantemente como Naofumi-sama um dia.” (Raphtalia)
“Parece que você está bem no seu caminho.” (Oyaji)

Inesperadamente, Oyaji estava num bom humor. Desse jeito ele provavelmente irá nos vender alguns produtos de alta qualidade.
Então continue elogiando ele, Raphtalia!

“Então, o que você quer comigo hoje?” (Oyaji)
“Haha, eu pretendo comprar alguns equipamentos.” (Naofumi)

Eu disse enquanto apontava para Raphtalia. Em resposta, ela firmemente segurou meu dedo com um sorriso estranho no rosto. (NT: estranho de misterioso, tipo quando ela ameaçou ele)

“Por favor considere Naofumi-sama e seu equipamento protetivo dessa vez.” (Raphtalia)
“Entendido. Mas por qual motivo?” (Oyaji)
“Eu gostaria de pedir que você tirasse um momento para ponderar sobre isso você mesmo.” (Raphtalia)
“Mmm… Bem, para se preparar para a onda que está vindo, eu acho?” (Oyaji)
“Mas aonde vocês dois querem chegar? Eu seriamente não tenho a menor ideia do que esta Jou-chan aqui está dizendo…” (Naofumi)

Mas o que diabos esses caras estavam falando sobre?
Tanto Raphtalia como eu já tínhamos decidido que nós iríamos comprar meu equipamento, certo?

“Então, parece que nós vamos conseguir para você alguma armadura. Por volta de quanto vocês estão pensando em gastar?” (Oyaji)
“Dentro do alcance de 180 moedas de prata, se você puder.” (Raphtalia)

Raphtalia foi e falou um limite da nossa verba sem minha permissão.
Agora, isso me irritou um pouco.
Se nós ficarmos com esse preço, então nós não poderemos comprar para ela uma nova arma!

“Vejamos… bem, minha melhor armadura balanceada por esse valor seria essa cota de malha aqui.” (Oyaji)
“Aquela cota de malha… BAAAH!” (Naofumi)

Emoções escuras começaram a subir do fundo das minhas vísceras.
Seria extremamente humilhante para mim re-comprar um pedaço de equipamento que originalmente tinha sido meu.

“Bem… se o garoto do escudo odeia tanto isso, eu acho que nós vamos ter que ir com alguma outra coisa.” (Oyaji)

Oyaji respondeu enquanto coçava a cabeça, entendendo minha reação, enquanto ele virava para suas outras armaduras em estoque.

“Para ser honesto, é meio difícil achar equipamento apropriado dentro dessa faixa de preço. Como soa para você uma armadura de placas de ferro?” (Oyaji)

Ele perguntou enquanto apontava para a armadura em questão.
Era uma grande folha de ferro morfada numa… totalmente guardada placa. A armadura era decorada com o símbolo da cidade do castelo.
Eu sabia sobre isso! Antigamente no meu mundo antigo, isso era o que as pessoas chamavam de ‘armadura completa de placas’ ou algo assim. Esse tipo de armadura era dita de ser extremamente ruim de se mover; o usuário não podia nem levantar sozinhos; e finalmente, elas eram as mais rápidas para afundar num pântano. (NT: eu não sei porque toda essa explicação agora, apareceu uma igual na primeira vez que Naofumi pisou nessa loja)

“Um pouco de estamina física vai ser necessária para usar isso aqui. O único problema é que a função ‘Andar no Ar’ não é aplicada nela.” (Oyaji)
“Função ‘Andar no Ar’?” (Naofumi)
“Uma função que permite o usuário diminuir seu peso por consumir seu próprio poder mágico. Uma verdadeiramente magnífica habilidade.” (Oyaji)
“Eu concordo.” (Naofumi)

Basicamente neste mundo, se uma armadura de corpo inteiro não tivesse a função Andar no Ar então era nada além de um saco de areia imóvel.
Isso não está bem certo. Se o usuário fosse fisicamente capaz então eles devem ser capazes de se mover por aí de algum jeito.
Contudo, eu não tenho muita estamina neste ponto no tempo.

“Parece que nós podemos fazer ela mais leve e barato removendo as partes mais massivas e pesadas…” (Naofumi)
“Então garoto, você estava pensando algo nessas linhas no fim.” (Oyaji)
“Não é algo óbvio?” (Naofmi)
“Peitorais de ferro são de fato mais baratos para comprar. Mas sua cobertura protetiva é muito limitada.” (Oyaji)
“Fumu… Enquanto defesa alta é uma necessidade, perder sua mobilidade em troca tiraria todo o sentido.” (Naofumi)

Era tudo maravilhoso ser sólido como uma parede, mas seria um grande problema se eu mal pudesse me mover.
Eu gostaria de evitar de equipar equipamentos que tirem mobilidade o quanto for possível.
A função Andar no Ar, huh? Eu imagino quanto iria custar para adicionar essa função.

“Dito isso… eu posso ser capaz de fazer uma armadura personalizada se você puder me trazer os materiais…” (Oyaji)
“Parece bom, eu gosto de fazer esses tipos de coisas.” (Naofumi)
“Você tem um expressão satisfeita aí, guri… Acho que nós vamos com esse plano.” (Oyaji)

Oyaji abriu o pergaminho com os nomes de vários materiais escritos nele.

“Eu não consigo ler isso.” (Naofumi)

Enquanto era possível se comunicar diretamente graças à função do escudo de tradução, eu ainda não podia ler as escritas deste mundo.
Oyaji pareceu preocupado, então ele foi em frente e explicou tudo para mim.

“Você pode comprar algum cobre e ferro barato do atelier por ali. Depois disso, me traga alguns couros de Usapiru e Porco-Espinho, e então algumas penas de Pikyupikyuu.” (Oyaji) (NT: então aquele escudo era de um monstro com esse nome… que coisa)
“Aqui estão os couros e as penas.” (Raphtalia)

Com um sorriso, Raphtalia alegremente tirou os couros e penas de dentro do nosso saco de bagagem.
Esses eram usadas como nossas cobertas e colchões já que eles eram quentes e macios.
Mas… bom, acho que tá bom de um jeito ou outro.

“A qualidade da armadura será um pouco ruim. Mas ainda será boa para uso prático.” (Oyaji)
“Então qual é o motivo para fazer ela?” (Naofumi)
“Essa é a Armadura Bárbara. Sua performance é como a da Cota de Malha e cobre a maioria do corpo. Pode ser meio frio de usar mas é muito forte.” (Oyaji)
“Oh…” (Naofumi)

Armadura Bárbara… De algum jeito a frase soou meio desagradável.

“Tem um truque para adicionar algumas opções mágicas como um bônus, mas esse passo pode ser feito mais tarde quando você ter terminado de juntar os outros materiais.” (Oyaji)
“Isso é tranquilizador. Então tá, vamos lá e comprar algum ferro e cobre.” (Naofumi)
“Vamos lá! Vamos lá agora!” (Raphtalia)

Raphtalia energeticamente puxou minha mão enquanto me apressava para fora.

“O que aconteceu?” (Naofumi)
“Naofumi-sama vai aparecer como um aventureiro de verdade. Eu não posso esperar para ver.” (Raphtalia)
“B-bem… Eu acho.” (Naofumi)

Ela de fato disse que eu pareço exatamente como um aldeão.
Apesar que o equipamento será um pouco bárbaro, não era como se eu tivesse muita escolha.
Nós então fomos para o atelier de metal e compramos a quantidade necessária e ferro e cobre.
Eles pareciam ter ouvido sobre nós do Oyaji, então eles nos venderam os bens num preço surpreendentemente barato.
Eles também falaram que Raphtalia era fofa e nos deram um pequeno extra.
O ossan do atelier de metal estava com um sorriso arreganhado no rosto enquanto olhava para ela. (NT: ossan = homem de meia idade)
Raphtalia graciosamente acenou de volta para ele de volta.
Eu nem queria começar a pregar sobre pedofilia e moralidade para esse mundo.

“Isso foi uma coleta rápida de material.” (Naofumi)
“É tudo graças ao seus próprios esforços, não é mesmo, guri?” (Oyaji)
“Bem, é. Já que maioria dos conhecidos do Oyaji são lolicons. Eu já posso apontar dois ou três deles.” (Naofumi)
“Lolicon? Mas o que em Melromarc você está dizendo?” (Oyaji)
“Você não entende o que são lolicons? Eu achei que você iria entender essa palavra através da função de tradução do escudo.” (Naofumi)
“Não isso, eu só não entendo porque você acha que as preferências dos meus colegas de trabalho são por jovens garotinhas…” (Oyaji)
“Eles disseram que Raphtalia era fofa então eles nos venderam bens mais baratos para nós.” (Naofumi)
“Guri… pode ser que você seriamente não sabe?” (Oyaji)
“Não sei o que?” (Naofumi)
“Oyaji, não tem problema por enquanto.” (Raphtalia)

Raphtalia disse por algum motivo enquanto balançava a cabeça.
Oyaji de algum jeito entendeu. Resignado, ele abaixou os ombros e me jogou um olhar.

“Vai ficar pronta por amanhã, então por favor espera até lá.” (Oyaji)
“Isso é rápido, achei que ia levar pelo menos um mínimo de dois dias para você acabar.” (Naofumi)
“Hmm, esse pode ser o caso para algum estranho. Mas para você é diferente, guri.” (Oyaji)
“Dessa vez, você tem minha gratidão.” (Naofumi)
“Wahaha, essa com certeza foi uma resposta bem escrota.” (Oyaji)

Ele com certeza estava tirando sarro de mim só porque eu mostrei para ele um pouco de apreciação.

“Então, qual será o preço dessa armadura personalizada?” (Naofumi)
“Incluindo a taxa para o cobre e ferro… cerca de 130 moedas de prata. Como extra, eu posso adicionar alguns melhoramentos opcionais.” (Oyaji)
“Esse é o preço de custo? Eu achei que seria de boa contanto que eu conseguisse os materiais requeridos.” (Naofumi)
“Waha, esses já foram levados em conta para o preço de 130 moedas, eu não posso ir nenhum pouco mais baixo que isso.” (Oyaji)
“Eu entendo. Então já é bom o suficiente para mim.” (Naofumi)

Eu tirei 130 moedas de prata e dei para o Oyaji.

“Obrigado por seu patrocínio.”
“Ah, é verdade. Oyaji, eu quero comprar uma arma dentro do limite de 90 moedas de prata.” (Naofumi)
“Eu estou chutando que é para essa Jou-chan aqui?” (Oyaji)
“Haha…” (Raphtalia)

É isso mesmo. A espada ordinária que compramos semana passada estava polida como nova agora. Então nós devemos pedir por uma troca?

“Raphtalia.” (Naofumi)
“Hai.” (Raphtalia)

Raphtalia puxou a espada da sua cintura e colocou ela no balcão.

“Eu gostaria de pedir por uma revenda. Então aqui, inclua essa espada na quantia do pagamento.” (Raphtalia)
“Fumu… parece que você cuidou propriamente dela dessa vez.” (Oyaji)
“Tudo graças ao meu escudo.” (Naofumi)

A manutenção de polimento iria acabar pela próxima manhã se nós colocássemos a arma dentro do escudo amolador antes de ir dormir.
Isso também manteve a lâmina boa e afiada para corte facilitado

“Esse é um escudo conveniente… eu quero um também.” (Oyaji)
“Você não será capaz de equipar nenhuma outra arma, você sabe.” (Naofumi)

Eu sou só uma parede que anda sem nenhum poder de ataque.
Eu iria alegremente dar isso para qualquer um que quisesse ele. Se isso só fosse possível.

“Essa parte é meio problemática.” (Oyaji)

Eu esperei a troca começar enquanto aguentava a risada desagradável do Oyaji.

“Não tem um espetro de ferrugem na lâmina. Como esperado do lendário escudo, sua performance é superba.” (Oyaji)

Oyaji falou sua admiração aberta enquanto inspecionava a espada.

“Vejamos, com tudo isso sobrando, eu posso vender para você uma espada de ferro mágica.” (Oyaji)

Espada de ferro mágica com certeza era mais alta que uma espada de ferro em termos de ranking de armas.

“Deve ser dado que aquele revestimento sangue-limpo está incluso, certo?” (Naofumi)
“Urg, eu vou adicionar aquilo como um bônus. EU sei muito bem que você está trabalhando duro, guri!” (Oyaji)

Oyaji com certeza era um grande cara. Se você parar pra pensar, ele tem me dado vários extras desde o dia que eu fui roubado e deixado com absolutamente nada.

“Obrigado…” (Naofumi)
Do fundo do meu coração, eu expressei essas palavras sinceras de gratidão para o Oyaji.

“Guri. É uma boa notícia ver esse mesmo brilho nos seus olhos como da primeira vez que nos encontramos. Você me mostrou alguns coisas boas hoje.” (Oyaji)

Oyaji de algum jeito parecia satisfeito enquanto ele passava a espada de ferro mágica para Raphtalia.

“Boas armas só irão se tornar poderosas em mãos capazes, enquanto elas irão só se tornar em lixo inútil nas mãos daqueles sem talento. Contudo, eu acredito que você vai ser capaz de masterizar completamente as forças delas. Dê seu melhor tiro, Jou-chan.” (Oyaji)
“Hai!” (Raphtalia)

Raphtalia guardou a espada na sua cintura com olhos brilhantes, motivados.

“Então tá, por favor volte de novo por volta dessa hora amanhã.” (Oyaji)
“Aarg.” (Naofumi)
“Muitíssimo obrigado!” (Raphtalia)
“Até lá.” (Oyaji)

E então, nós deixamos a loja de armas.
Com nossos negócios lá resolvidos, nós saímos pensando sobre o que comer e o que devíamos fazer pelo resto do dia.
Mesmo que eu não consiga sentir o gosto de nada, eu ainda precisava comer já que eu ficava com fome como todo mundo.
Nas minhas mãos haviam 10 moedas de prata. O que nós conseguimos economizar em uma semana cheia tinha sumido instantaneamente.
Tanto faz. Isso estava dentro das minhas expectativas, e essas moedas devem ser o suficiente para fazer nossos futuros investimentos.
Felizmente, tinham vários jeitos de se ganhar dinheiro.

“Ah, é verdade. Você quer comer na loja que nós fomos um tempo atrás?” (Naofumi)
“Você tem certeza que não tem problema?” (Raphtalia)
“Eu espero ver as maneiras gulosas da Raphtalia enquanto ela devora comida do seu prato de novo.” (Naofumi)
“Por favor pare com isso! Mou, eu não sou mais uma criança!” (Raphtalia)

A anteriormente animada Raphtalia estava agora ficando brava enquanto enchia suas bochechas.
Por que você iria tentar de repente ser uma adulta quando você estava agindo como uma criança só uma semana atrás?
Parecia que nossa garotinha acabou de alcançar a puberdade.

“É, é. Você honestamente quer comer. Eu entendo isso, eu realmente entendo.” (Naofumi)
“Naofumi-sama não está escutando nem uma palavra que eu estou dizendo.” (Raphtalia)
“Tá certo. Você é totalmente uma adulta. Com isso dito… você realmente quer jogar pra dentro, não quer?” (Naofumi)
“Você acha que eu não consigo ver seus pensamentos verdadeiros atrás desses olhos simpáticos usados para falar com criança?! Eu não preciso desse tipo de simpatia!” (Raphtalia)

Quem diria, ela com certeza estava numa idade difícil.
Devemos ainda pegar o Lanche Infantil para ela? Nós entramos na mesma loja que servia aqueles.

“Bem vindo!” (Garçom)

Oh? Nosso garçom cordialmente nos guiou até nossa mesa dessa vez.
Era esse o efeito de mudar o penteado da Raphtalia? Pessoas realmente eram cruéis com as menores das coisas lá trás. (NT: Naofumi, me escuta)

“Eu vou pedir o combinado de refeição mais barato que você tiver, enquanto esta garota vai querer o lanche para crianças, aquele com a bandeirinha nele.” (Naofumi)
“Naofumi-sama!” (Raphtalia)

O empregado confirmou nossos pedidos com uma expressão perplexa enquanto trocava entre eu e Raphtalia.

“Err, por favor me dê a refeição mais barata também.”
“S-sim.”

Nosso garçom acenou com a cabeça para Raphtalia e voltou para a cozinha?

“Pra que isso? Você realmente não gosta tanto assim do lanche infantil?” (Naofumi)
“Como eu disse antes, eu já cresci.” (Raphtalia)
“Um… okay?” (Naofumi)

Acho que não tinha o que fazer. Eu vou deixar Raphtalia se indulgir no egoísmo dela por enquanto.
Eu suponho que minha única obrigação atual é deixar ela comer o que ela quiser comer.

Anúncios

3 respostas em “Capítulo 17 – A Armadura Bárbara

Deixe uma Resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s